Simule e contrate Consultar Apólice

G1 > Mundo


Christian Santos, de 17 anos, praticava pesca submarina nos Açores quando viu garrafa amassada com bilhete dentro, escrito por adolescente de 13 anos que estava em Rhode Island a passeio. Mãe divulgou imagem na esperança de que autor entre em contato, após enviar email e não receber resposta. Bilhete encontrado no mar pelo jovem português Christian Santos Reprodução/Facebook/Molly Santos Um jovem português encontrou uma mensagem em uma garrafa que viajou quase 4 mil quilômetros, escrita por um adolescente de Vermont, nos Estados Unidos. Christian Santos, de 17 anos, estava praticando pesca submarina nos Açores quando encontrou uma garrafa de plástico amassada que foi jogada no mar perto de Rhode Island, em 2018, relatou o jornal “The Boston Globe”. A mãe de Santos, Molly Santos, postou uma foto do bilhete no Facebook, pedindo que outras pessoas compartilhassem a postagem, na esperança de encontrar o escritor para mostrar o quão longe a mensagem viajou. O bilhete dentro de uma garrafa de Powerade estava escrito em marcador laranja em um cartão que dizia: “É Dia de Ação de Graças. Tenho 13 anos e estou visitando a família em Rhode Island. Eu sou de Vermont”. O bilhete incluía um endereço de e-mail para resposta. Molly Santos disse que enviou um e-mail para o endereço, mas nunca recebeu uma resposta. Vídeos: Os mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias

O contencioso entre Estados Unidos e Rússia é extenso e não foi resolvido na reunião desta quarta-feira em Genebra. No encontro, os dois líderes jogaram para seus públicos internos e buscaram reposicionamento para lidar com ascensão da China. Você pode ouvir O Assunto no G1, no GloboPlay, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music, no Hello You ou no sua plataforma de áudio preferida. Assine ou siga O Assunto, para ser avisado sempre que tiver novo episódio. Dos ataques cibernéticos à Ucrânia, da interferência nas eleições de 2016 ao encarceramento do líder oposicionista Alexei Navalny, o contencioso entre Estados Unidos e Rússia é extenso, e ninguém esperava que diminuísse significativamente com a reunião desta quarta-feira em Genebra entre os presidentes dos dois países, a primeira desde a troca de comando na Casa Branca. Mas ambos conseguiram o ganho de imagem que esperavam, analisa o jornalista Guga Chacra, correspondente da Globo em Nova York. De olho principalmente no público interno, o americano afirma ter feito “advertências” ao russo, que por sua vez lucra com o simples reconhecimento de sua posição estratégica na cena global. Neste episódio, Guga passa em revista os principais gargalos da pauta bilateral e fala também do “sujeito oculto” da cúpula: a China, cuja ascensão explica todos os movimentos dos EUA, tanto para se reaproximar dos aliados europeus quanto para evitar a escalada das tensões com a Rússia. O que você precisa saber: Biden e Putin: discutem armas nucleares e ciberataques Aliança: presidente dos EUA reforça apoio a aliados europeus Tensão: em entrevista, Biden qualifica Putin como 'assassino' Ciberataques: EUA acenam pressão contra a Rússia Cúpula G7: Biden quer aliança para combater influência da China Análise: tensão e desconfiança mútua entre Biden e Putin O podcast O Assunto é produzido por: Mônica Mariotti, Isabel Seta, Glauco Araújo, Luiz Felipe Silva, Thiago Kaczuroski e Giovanni Reginato. Neste episódio colaboraram também: Gabriel de Campos e Ana Flávia Paula. Apresentação: Renata Lo Prete. Comunicação/Globo O que são podcasts? Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde a gente quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio, a gente acha na internet. De graça. Dá para escutar num site, numa plataforma de música ou num aplicativo só de podcast no celular, para ir ouvindo quando a gente preferir: no trânsito, lavando louça, na praia, na academia... Os podcasts podem ser temáticos, contar uma história única, trazer debates ou simplesmente conversas sobre os mais diversos assuntos. É possível ouvir episódios avulsos ou assinar um podcast – de graça - e, assim, ser avisado sempre que um novo episódio for publicado.

Relatório de 2021 do Global Peace Index coloca Brasil na 128ª posição entre 163 países, atrás de nações que viveram crises violentas no ano passado como Azerbaijão e Belarus. Tensões internas, como a que gerou a invasão ao Capitólio nos EUA, e a pandemia também preocupam. Rio de Janeiro viveu 24 horas de terror após confrontos entre traficantes no Complexo do São Carlos, em agosto de 2020 Wilton Junior/Estadão Conteúdo Confrontos entre traficantes e facções criminosas colocaram o Brasil mais uma vez em patamares preocupantes no ranking que mede a paz no mundo, mostrou a edição de 2021 do relatório Global Peace Index (GPI) divulgado nesta quinta-feira (17). O levantamento colocou o Brasil na 128ª colocação. No relatório de 2020, o país estava em 126º. Nos critérios dos organizadores do estudo, essa variação está dentro de uma estabilidade. No entanto, o ranking mantém o Brasil em um patamar considerado de "baixo estado de paz", segundo o relatório, que avalia 163 países no total. O país está atrás de outros que viveram conflito no último ano, como Azerbaijão, ou que passam por impasses políticos graves, como Belarus. Esse ranking é feito a partir de uma pontuação avaliada com base em indicadores que vão da criminalidade urbana ao grau de estabilidade política. Os pesquisadores também levam em conta a situação econômica de cada país e os mecanismos de combate à corrupção, entre outros fatores. Quanto menor o mundo, maior o grau de paz naquele país. Veja nos gráficos abaixo os países com as melhores e piores pontuações no estudo: O brasileiro Paulo Pinto, pesquisador sênior do Instituto de Economia e Paz (IEP) — órgão responsável pelo estudo —, avalia que os fatores que deterioram a paz no Brasil são outros em relação aos pontos de preocupação no resto do mundo. "Quando você fala em conflitos em andamento no mundo, você fala de guerras ou revoluções. Mas, no Brasil, esse indicador tem outra conotação, que são os conflitos com armas de alta potência entre traficantes e organizações criminosas", aponta. Isso explica em parte por que os brasileiros são os que mais têm medo da violência em todo o mundo, conforme outro ranking divulgado no ano passado pelo IEP e a organização Lloyd's Register com base em números de 2019. Mais de 82,7% disseram na ocasião estar "muito preocupados" com a violência, o maior percentual em todo o planeta. Segundo o Monitor da Violência, levantamento feito pelo G1 em todos os estados e o DF com dados de homicídios, o Brasil registrou um aumento de 5% nos assassinatos em 2020 na comparação com o ano anterior. É a primeira alta após dois anos de queda nesse número. Instabilidade política no mundo preocupa Policiais bloqueiam e detêm manifestantes da oposição em Minsk, Belarus, em setembro de 2020 Misha Friedman/AP Globalmente, a situação da paz no mundo se manteve estável, com uma pequena redução de 0,07% na comparação com os números divulgados em 2020. Os autores alertam que este é o nono levantamento, em uma série de 13 anos, em que o índice global de paz não aumenta. O dado positivo é que a violência causada por terrorismo vem diminuindo nos últimos anos. No entanto, o aumento das tensões políticas, internas e externas, contribuem para aumentar a sensação de violência: seja por crises nas democracias, seja por protestos que terminam em violência. Por exemplo, os Estados Unidos registraram uma piora no ranking de 163 países e aparecem na 122ª colocação. Manifestantes pró-Trump adentram o Capitólio em protesto em 6 de janeiro Saul Loeb/AFP Os autores do levantamento atribuem isso, em parte, a crises recentes ocorridas no país como a violência nas manifestações e a instabilidade política causada pela recusa do então presidente Donald Trump em reconhecer a derrota eleitoral — o que levou à violenta invasão ao Capitólio em janeiro. Paulo Pinto, pesquisador do IEP, diz que situações como a ocorrida nos EUA no início deste ano apresentam um risco à paz em todo o mundo. "É uma tendência mundial", alerta o especialista, que cita outros pontos de preocupação: Chile — os protestos contra a classe política levaram à formação de uma nova Constituinte, mas as manifestações tiveram episódios de violência generalizada e mortes Índia — revoltas recentes de fazendeiros contra reformas no setor agrícola também terminaram em violência Belarus — a repressão violenta a manifestantes que pedem a saída de Alexander Lukashenko e a prisão de dissidentes preocupam a Europa Outros países — manifestações contra as medidas de restrições na pandemia, sobretudo em países europeus, tiveram violência e aumentaram tensões entre alguns grupos e os governos Qual o impacto da Covid-19? Policiais detêm participante de protesto contra a reforma que permitirá ao presidente Vladimir Putin concorrer a mais dois mandatos, em Moscou, em julho de 2020 Dimitar Dilkoff/AFP Os autores do levantamento avaliam que ainda é cedo para detalhar os efeitos da pandemia do coronavírus para a deterioração da paz no mundo. Porém, o estudo aponta que houve, sim, aumento da violência no período. Novamente, um dos maiores pontos de preocupação do IEP é com a estabilidade política e com as revoltas civis dentro dos países. Veja alguns pontos levantados: Protestos contra as medidas de isolamento, que mostraram fragilidade na confiança das autoridades de saúde Uso de leis da pandemia como pretexto para prender dissidentes, como visto na Rússia (com a prisão de manifestantes contra Vladimir Putin) e no Egito (onde médicos que protestaram contra falta de equipamentos de proteção foram detidos acusados de espalhar fake news) Aumento da violência contra pessoas de origem asiática em países ocidentais, sobretudo no início da pandemia Preocupação com casos de violência doméstica, potencializada pelo período em que as pessoas tiveram de permanecer em casa O pesquisador Paulo Pinto, do IEP, avalia o uso abusivo das medidas de restrição contra a pandemia como a consequência mais preocupante. "Pode abrir precedente. Se há uma crise internacional, a autoridade vê carta branca para usar a força contra a população", diz ele.

Texas foi último estado do país onde escravos souberam que estavam livres, em 19 de junho de 1865; data é conhecida como 'Juneteenth'. Em raro momento de unidade, republicanos e democratas aprovaram a lei por 415 votos a favor e 14 contra. A bandeira do Juneteenth é vista tremulando em Omaha, Nebrasca, em 19 de junho de 2020 AP Photo/Nati Harnik Em um raro momento de unidade, republicanos e democratas aprovaram nesta quarta-feira (16) no Congresso dos Estados Unidos a criação de um novo feriado federal, em 19 de junho, para comemorar a emancipação dos últimos escravos do Texas em 1865. O presidente norte-americano, Joe Biden, ainda precisa sancionar a lei, mas não há dúvida de seu apoio. "Este dia representa a liberdade", disse a democrata Sheila Jackson Lee, uma das legisladoras da Câmara que apresentou o projeto de lei para transformar o "Juneteenth" - uma contração de junho e 19 em inglês - em um feriado nacional oficial. A Câmara dos Representantes aprovou a lei por 415 votos a favor e 14 contra, com o apoio dos líderes democratas e republicanos. Na véspera, a norma havia sido aprovada por unanimidade no Senado. Diante de uma foto antiga de um homem negro com as costas laceradas, Sheila Jackson Lee, uma congressista afro-americana, falou em plenário sobre a "longa jornada" até esta votação. "Mas aqui estamos hoje, livres para votar pelo Juneteenth como feriado nacional da independência, um feriado federal para os Estados Unidos", declarou. "Reconhecer e aprender com os erros do passado é essencial para seguir em frente", escreveu o senador republicano John Cornyn, que havia defendido o projeto com ela. Os dois representam o Texas no Congresso. Foi nesse vasto estado do sul que os últimos escravos souberam, em 19 de junho de 1865, que estavam livres. O presidente Abraham Lincoln havia ordenado o fim da escravidão dois anos e meio antes, ao assinar a Proclamação de Emancipação em 1º de janeiro de 1863. Porém, durante a Guerra Civil (1861-1865), a escravidão continuou nos estados confederados do sul dos Estados Unidos. O líder do exército confederado, Robert Lee, assinou sua rendição em 9 de abril de 1865. Levou mais de dois meses para que a notícia chegasse à pequena cidade de Galveston, no Texas, em 19 de junho. O "Juneteenth" já era feriado em alguns estados do país, inclusive no Texas, mas até agora não havia sido designado uma data federal. Os apelos pela criação do feriado nacional aumentaram após o assassinato de George Floyd, um homem negro morto por um policial branco em 25 de maio de 2020. O dia 19 de junho "nos lembra de uma história marcada pela brutalidade e a injustiça, e nos lembra da responsabilidade que temos de construir um futuro de progresso para todos que honrem o ideal de igualdade dos Estados Unidos", disse a presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi. Vídeos: Os mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias

Vacinação ocorre lentamente, e país espera ter 75% da população imunizada contra o coronavírus só em 2023. UTI para pacientes com Covid-19 no Hospital das Clínicas em San Lorenzo, no Paraguai, em foto de 14 de junho Daniel Duarte/AFP A doutora Fátima Ovando não quer rejeitar pacientes, mas sabe que, no Hospital das Clínicas, nos arredores de Assunção, não há capacidade para recebê-los. O Paraguai vive seu momento mais dramático da pandemia do coronavírus, e as previsões para as próximas semanas são sombrias. Leia também: Veja números da pandemia na América do Sul Com dados revisados, Peru se torna país mais afetado pela Covid, proporcionalmente Saúde do DF teme disseminação de variantes com Copa América no Brasil "Não há uma rejeição direta dos pacientes, mas quando chegam explicamos que não há mais oxigênio suficiente. Por isso, não podemos lhes dar a atenção que merecem. Infelizmente, há duas semanas, vem-se recusando pacientes", disse à AFP esta chefe do Departamento de Controle de Infecções do Hospital das Clínicas. Veja no VÍDEO abaixo os números da Covid-19 no Brasil Caixões empilhados em funerária de San Lorenzo, no Paraguai, nesta quarta (16) Norberto Duarte/AFP Com uma população de 7,3 milhões de pessoas, o Paraguai acumula quase 11 mil mortes por Covid-19 e cerca de 400 mil casos. Nas últimas duas semanas, tem sido o país com a maior mortalidade do mundo, com uma taxa de 24,79 óbitos a cada 100 mil habitantes, segundo um balanço feito pela AFP com base em números oficiais. O diretor de Vigilância Sanitária, Guillermo Sequera, advertiu que o Paraguai "está no vermelho", devido ao elevado número de mortes. Brasil registra 2.673 mortes por Covid-19 em 24 horas "O país se encontra com um nível de transmissão comunitária muito alto. As previsões são bastante sombrias para este mês e, provavelmente, para parte de julho também", disse ele. Os mais de 750 leitos de terapia intensiva do país estão ocupados. Além disso, cerca de 200 pacientes em estado delicado convalescem em salas comuns e até em corredores de hospitais, aguardando a liberação de uma vaga na Unidade de Tratamento Intensivo. Entre 30% e 40% dos pacientes de UTI não resistem e morrem. "A situação é bastante complicada. Apesar do impressionante crescimento (na capacidade de atenção em terapia intensiva) que se teve, não tem como dar respostas. Se continuarmos nesse ritmo, mesmo que tenhamos 1 mil, ou 2 mil leitos, não poderemos responder", declarou o ministro da Saúde, Júlio Borba. Hospitais sem insumos Profissional de saúde segura na mão de paciente internada com Covid-19 em hospital em San Lorenzo, no Paraguai, na segunda-feira (14) Daniel Duarte/AFP Marta Aquino, de 26 anos, conseguiu internar a mãe no Hospital das Clínicas, onde estuda. Antes, porém, passou pelo sofrimento de vê-la dois dias sem oxigênio, atendida em uma cadeira. "Chegamos implorar para que ela fosse atendida" no Hospital da Seguridade Social. "Mas eles não nos deram nenhum tipo de atenção. Apenas argumentaram que não tinham espaço no momento, que estavam saturados", disse Marta à AFP. Segundo a doutora Ovando, não falta apenas oxigênio nos hospitais, mas antivirais e antibióticos. "Talvez o planejamento do Ministério da Saúde tenha sido insuficiente. Não se teve, a tempo, os equipamentos, a infraestrutura, não se contratou a quantidade suficiente de pessoal que seria necessária para estes tempos", avalia. De qualquer modo, o resultado são duras imagens que mostram salas lotadas de pacientes gravemente doentes. Vacinação lenta Fila para vacinação em Vila Elisa, no Paraguai, em foto de 12 de junho Norberto Duarte/AFP Neste quadro, a campanha de vacinação avança muito lentamente. No último fim de semana, longas filas se formaram para a imunização de pessoas acima de 55 anos. Entre sábado e domingo, 55 mil conseguiram se vacinar. Segundo números oficiais, no Paraguai, 475 mil pessoas receberam a primeira dose, o equivalente a 6,7% da população que deve ser imunizada. A meta é chegar a 30% até dezembro, e a 75% da população, em 2023. "Menos de 500 mil paraguaios receberam imunização, de forma parcial, ou total, através da vacina. Isso continua favorecendo a alta transmissão e vai contra a diminuição das internações e da taxa de mortalidade", disse o epidemiologista Tomás Mateo Balmelli à AFP.

Candidato que obteve nas eleições presidencial o maior número de votos aguarda a proclamação do resultado oficial. Em discurso, Castillo disse que não é 'chavista', em referência a temores de que ele poderia se aproximar do regime de Nicolás Maduro. Pedro Castillo, candidato a presidente do Peru, fala a apoiadores em Lima na terça-feira (15) Sebastian Castaneda/Reuters Pedro Castillo, um ex-professor e político que está prestes a ser nomeado presidente do Peru, buscou acalmar os temores no país depois que uma lenta contagem de votos mostrou que ele venceu a eleição de 6 de junho. O socialista Castillo se declarou vitorioso na terça-feira (15), embora sua rival de direita, Keiko Fujimori, não tenha reconhecido a derrota. Ela alega que houve fraude, apresentando poucas evidências, e busca anular votos. O órgão eleitoral ainda não confirmou o resultado. Veja o VÍDEO abaixo. Castillo comemora vitória no Peru, mas Fujimori reclama de fraude na apuração "O povo peruano levantou a cabeça para dizer democraticamente que vamos salvar este país", disse Castillo a simpatizantes em uma sacada na noite de terça-feira. ENTENDA: Por que resultado no Peru não foi proclamado mesmo com 100% das urnas apuradas A ascensão abrupta de Castillo, de 51 anos, abalou o establishment político do Peru e pode ter um grande impacto sobre a vital indústria de mineração no segundo maior produtor mundial de cobre, uma vez que Castillo planeja fortes aumentos de impostos sobre o setor. Na capital Lima, temores se espalharam entre a pequena mas poderosa elite urbana da cidade sobre as políticas do pouco conhecido esquerdista, cujo partido Peru Livre defende ideias marxistas, mas ele procurou moderar sua retórica. Pedro Castillo fala a apoiadores em sacada de prédio em Lima na terça-feira (15) Alessandro Cinque/Reuters "Não somos chavistas, não somos comunistas, ninguém veio para desestabilizar este país", disse ele, referindo-se a um refrão comum do partido de Keiko Fujimori e de seus apoiadores comparando-o ao falecido presidente da Venezuela Hugo Chávez. "Somos trabalhadores, somos empresários e vamos garantir uma economia estável, respeitando a propriedade privada, respeitando o investimento privado e, sobretudo, respeitando os direitos fundamentais, como o direito à educação e à saúde." Castillo, que ganhou destaque como líder sindical de professores no norte rural, disse que seu governo atenderá tanto os eleitores de áreas ricas que apoiaram Keiko quanto sua base rural nos "cantos mais remotos" do Peru.

Imagem se tornou o meme NFT mais caro da história. Arquivo foi vendido como uma obra NFT, que usa tecnologia para criar um selo de propriedade sobre imagens, vídeos ou sons. Meme Doge foi vendido como NFT Reprodução O meme Doge foi vendido em um leilão virtual de NFT por valor equivalente a US$ 4 milhões, de acordo com informação da NBC News. A imagem se tornou o meme NFT mais caro da história ultrapassando outros vendidos recentemente, como o da garota em frente a um incêndio. A tecnologia NFT – "non fungible token" em inglês, ou token não fungível – funciona como um "selo" para arquivos digitais. Os tokens não fungíveis são certificados de propriedade vinculados a um produto digital, seja uma imagem, vídeo, animação, foto, som ou texto. NFT: 5 pontos sobre a tecnologia que torna um arquivo digital ‘único’ Conhecida em muitas postagens na internet, a imagem mostra uma cadela Shiba Inu com uma expressão de preocupada. Em 2019, o meme venceu o prêmio de "Meme da década", promovido pelo site Know Your Meme. A venda no leilão foi fechada por 1.696,9 ethereums, uma criptomoeda similar ao bitcoin. Na cotação atual, o valor é equivalente a mais de R$ 20 milhões. O que é NFT? G1 responde

Aparente perda de peso pode significar que líder norte-coreano está tentando melhorar sua saúde, já que é obeso e família tem histórico de problemas cardiovasculares. Kim também é conhecido por beber e fumar muito. Montagem com fotos de Kim Jong-un em 8 de fevereiro (esquerda) e 15 de junho deste ano evidencia rosto mais magro do ditador norte-coreano KCNA via AP A saúde do líder norte-coreano Kim Jong-un há muito tempo é alvo de especulações e curiosidade na vizinha Coreia do Sul, que tem de conviver com seu ameaçador exército de 1,2 milhão de soldados e seu crescente arsenal de mísseis e armas nucleares. Ele ganhou ainda mais peso? Ele está lutando para respirar depois de caminhadas relativamente curtas? E aquela bengala? Por que ele perdeu aquela importante agenda de Estado? Agora, o ditador de 37 anos é tema de novas especulações sobre sua saúde. Desta vez, porque ele está visivelmente mais magro. A saúde de Kim é importante para Seul, Washington, Tóquio e outros governos do mundo porque ele não definiu publicamente um sucessor que controlaria o programa nuclear norte-coreano caso fique incapacitado. A Coreia do Norte, que não tem um mínimo de transparência sobre o funcionamento interno de sua liderança, ao longo do ano passado se fechou ainda mais para se proteger contra a pandemia do coronavírus. Em imagens recentes da mídia estatal, incluindo as publicadas na quarta-feira, Kim parece ter perdido muito peso. A pulseira de seu relógio sofisticado está mais apertada e seu rosto mais fino. Alguns observadores dizem que Kim -- que tem cerca de 1,70 metro de altura e pesaria anteriormente 140 kg -- pode ter perdido cerca de 10 a 20 kg. A aparente perda de peso de Kim é mais provavelmente uma tentativa de melhorar sua saúde, em vez de um sinal de doença, de acordo com Hong Min, analista sênior do Instituto Coreano de Unificação Nacional de Seul. Em foto distribuída pela agência oficial norte-coreana, Kim Jong-un fala na reunião do Partido dos Trabalhadores em Pyongyang, em 15 de junho KCNA via AP “Se ele estivesse passando por problemas de saúde, não teria saído em público para convocar a reunião plenária do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores”, uma grande conferência política esta semana que deve durar de dois a três dias, disse Hong. Kim é conhecido por beber e fumar muito, e vem de uma família com histórico de problemas cardíacos. Seu pai e seu avô, que governaram a Coreia do Norte antes dele, morreram de problemas do coração. Especialistas apontam que seu sobrepeso pode aumentar a possibilidade de doenças cardiovasculares. O Ministério da Unificação da Coréia do Sul disse à agência AP que não tem informações para compartilhar sobre a saúde de Kim. Seu visual mais magro tem sido o foco de grande interesse na Coreia do Sul, com a mídia publicando fotos de suas aparições anteriores e atuais. Seo Yu-Seok, do Instituto de Estudos da Coreia do Norte, com sede em Seul, disse que a recente criação do cargo de primeiro-secretário do Partido dos Trabalhadores, o segundo mais importante do país, pode estar relacionada a possíveis problemas de saúde de Kim. Ele acredita que o ditador pode ter permitido o estabelecimento do posto a pedido de altos funcionários, mas ainda não nomeou ninguém para o cargo porque isso poderia diminuir seu controle sobre o poder. “Se Kim enfrentar um problema real de saúde e ficar numa condição em que não consegue expressar suas opiniões, embora não esteja morto, quem tomará a decisão de nomear a primeiro-secretário?”, indaga Seo. Quando as especulações globais explodiram sobre a saúde de Kim no ano passado, depois que ele perdeu a comemoração do aniversário de seu falecido avô, alguns analistas especularam que a irmã mais nova de Kim, Kim Yo Jong, seria a próxima na fila a herdar o poder de seu irmão. Outros disseram que uma liderança coletiva também seria possível. Mulher de Kim Jong-un faz rara aparição pública na Coreia do Norte em fevereiro de 2021

O líder norte-coreano Kim Jong-un admitiu que o país enfrenta uma 'situação alimentar crítica', informou a mídia estatal nesta quarta-feira (16). Autoridades norte-coreanas visitam uma área agrícola no interior do país, em junho KCNA/via Reuters O líder norte-coreano Kim Jong-un admitiu que o país enfrenta uma "situação alimentar crítica", informou a mídia estatal nesta quarta-feira (16). A Coreia do Norte, cuja economia sofre com os reflexos de várias sanções impostas em resposta aos seus programas militares contestados pela comunidade internacional, há muito tempo é atingida por uma grave escassez de alimentos. No ano passado, a pandemia de coronavírus, bem como tufões e inundações, deterioraram ainda mais a frágil economia do país. Em uma reunião plenária do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores, Kim disse que a situação econômica melhorou, com a produção industrial aumentando 2% em relação ao ano anterior, informou a agência oficial norte-coreana KCNA nesta quarta-feira. O dirigente, porém, admitiu ter encontrado uma "série de dificuldades" devido a muitos "desafios" a serem vencidos. "A situação alimentar é crítica, já que o setor agrícola não conseguiu cumprir sua meta de produção de cereais devido aos danos causados ​​pelos tufões no ano passado", disse Kim. Desastres naturais agravaram a situação Durante o verão de 2020 no Hemisfério Norte, milhares de casas e fazendas foram destruídas por tufões que foram acompanhados por inundações. Kim pediu medidas para minimizar as consequências desses desastres naturais, dizendo que garantir "boas colheitas" era uma "prioridade". Durante esta reunião, a "situação duradoura" da pandemia do coronavírus foi discutida, de acordo com a KCNA. A Coreia do Norte foi um dos primeiros países a impor rígidas restrições sanitárias, incluindo a decisão, desde muito cedo, de fechar as suas fronteiras e em particular com o vizinho chinês para evitar a propagação do coronavírus. O regime afirmou também que a epidemia não atingiu o país, o que muitos especialistas duvidam. Lembrança da grande fome da década de 1990 O comércio com Pequim, o principal aliado econômico e diplomático do regime, foi extremamente reduzido. Esse isolamento em relação à China teve um alto custo econômico, tanto que Kim reconheceu em abril as dificuldades que seu país estava enfrentando. Assim, ele convocou seus assessores militares a "liderar uma nova ‘Marcha Forçada’, ainda mais dura, para ajudar a população a enfrentar as dificuldades". A "Marcha Forçada" é uma expressão usada na Coreia do Norte para se referir à grande fome da década de 1990 que deixou centenas de milhares de mortos, após a redução da ajuda de Moscou depois do colapso soviético. É "muito provável" que a pandemia tenha "piorado" a situação humanitária no país, onde 10,6 milhões de pessoas passam necessidades, estimou recentemente o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (Ocha). Vídeos: Os mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias
Veterinária Joana Ikeda, da Uerj, disse que baleias tem cerdas no lugar dos dentes. Michael Packard torceu o joelho e teve escoriações leves ao ser engolido por baleia. Especialista em mamíferos aquáticos, a veterinária Joana Ikeda afirmou ao G1 que o pescador profissional de lagostas Michael Packard teve muita sorte ao sair vivo depois de ter ficado cerca de 40 segundos dentro da boca de uma baleia jubarte. Veja entrevista completa no vídeo acima. “Com certeza, ele deu muita sorte. Apesar dele não ser uma presa e a baleia não ser um super predador que vai predar presas grandes, é um animal muito grande. Ela chega a 16 metros, com uma força de mandíbula muito grande. Pegando num local errado, no tórax, ou de alguma outra forma que ele acaba caindo dentro da boca, ele poderia ter lesões bem mais graves e até podia ter vindo a falecer”, afirmou. A responsável técnica pelo Laboratório de Mamíferos Aquáticos e Bioindicadores (Maqua) da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) disse ainda que o americano pode não ter se machucado tanto porque as baleias não têm dentes. Packard torceu o joelho e teve escoriações leves. O caso aconteceu na costa de Cape Cod, em Massachusetts na sexta-feira (11). Assista ao VÍDEO abaixo. “As baleias são um grupo de animais marinhos que não possuem dentes. No lugar dos dentes, eles possuem barbatanas. São estruturas que possuem cerdas de escovas. Por isso, talvez, não tenha machucado tanto o indivíduo que entrou”, disse Ikeda. Homem sobrevive após ser abocanhado por baleia LEIA TAMBÉM: MONSTRO DO RIO: Animal de 109 kg é pescado nos EUA; peixe pode ter mais de 100 anos EUA: Homem sobrevive após ser abocanhado por baleia VÍDEO: Remadoras levam susto com baleia jubarte no Rio de Janeiro SANTA CATARINA: Mais baleias jubarte são vistas em maio de 2021 no litoral do que nos últimos 20 anos Sobre o mergulhador ter conseguido ficar dentro da boca do animal sem grandes ferimentos, Joana Ikeda explicou que o espaço se abre após a baleia expandir pregas que tem embaixo da boca. “Elas se alimentam de pequenas presas, são pequenos crustáceos, pequenos peixinhos. Ela não se alimenta de nada grande. Ela não tem uma estrutura que consegue engolir ele. Ela expande as pregas que ela tem embaixo da boca e tem um espaço muito grande para que caiba um indivíduo adulto sem se machucar, sem ser literalmente esmagado pela mandíbula”.

Os dois elogiaram o tom cordial do encontro, o 1º desde a posse de Biden como presidente dos EUA. No entanto, ambos demonstraram que algum distanciamento entre os países continuará. O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, posam para foto antes da reunião em Villa la Grange, em Genebra, na Suíça, em 16 de junho de 2021 Denis Balibouse/Reuters Os presidentes de Rússia e Estados Unidos, Vladimir Putin e Joe Biden, elogiaram o encontro que tiveram nesta quarta-feira (16) em Genebra, na Suíça — a primeira reunião entre os dois mandatários, que disseram que as conversas foram "construtivas". Joe Biden e Vladmir Putin se encontram pela primeira vez Apesar disso, tanto Putin quanto Biden avaliaram que ainda há algum grau de distanciamento entre o Kremlin e a Casa Branca: eles não se convidaram para visitas mútuas e evitaram falar em "confiança" entre os dois líderes. Em declarações, ambos deram sinais de que retaliações podem ocorrer caso a relação se deteriore. Depois do encontro, Biden e Putin concederam entrevistas coletivas separadamente. Ambos abordaram os seguintes temas: armas nucleares segurança cibernética crises diplomáticas recentes direitos humanos futuro das relações entre EUA e Rússia Veja em detalhes abaixo o que cada um disse sobre o encontro Presidente americano Joe Biden em entrevista coletiva após encontro com Vladimir Putin, da Rússia, em Genebra, em 16 de junho de 2021 Kevin Lamarque/Reuters Presidente russo, Vladimir Putin, em entrevista coletiva após reunião com Joe Biden em Genebra em 16 de junho de 2021 Alexander Zemlianichenko/Pool/Reuters Armas nucleares e relações mútuas Putin defendeu que as duas potências países são responsáveis ​​por garantir a estabilidade estratégica nuclear mundial e disse que seu governo começará uma série de discussões com Washington para a proposta de possíveis melhorias no tratado New START sobre armas nucleares. Da mesma forma, Biden disse que conversou com Putin sobre estratégias para evitar a volta da nuclearização e rechaçou a tese de que há em curso uma nova Guerra Fria — período de tensão entre EUA e a então União Soviética, que durou entre 1946 e 1991. O presidente americano também afirmou que a relação entre EUA e Rússia "precisa ser estável e previsível", mas disse que os americanos vão reagir a ameaças, como por exemplo, ciberataques. "A última coisa que ele quer, eu acho, é uma nova Guerra Fria", disse Biden. Militares russos marcham durante o Desfile do Dia da Vitória na Praça Vermelha em Moscou, Rússia, em junho de 2020 Maxim Shemetov/Reuters O New START (Novo Tratado de Redução de Armas Estratégicas) foi assinado em 2010, limita o número de ogivas nucleares estratégicas, mísseis e bombardeiros que as duas potências podem usar foi recentemente ampliado. No ano passado, o governo de Donald Trump rejeitou a proposta russa de prorrogar o tratado por um ano. Após assumir, o novo presidente dos EUA, Joe Biden, declarou a intenção de prorrogá-lo — e a Rússia afirmou que o gesto era bem-vindo. Os dois países também adotaram uma declaração conjunta, reafirmando seu compromisso com o princípio "de que não pode haver vencedores em uma guerra nuclear e que ela nunca deve ser travada", segundo o site oficial do governo russo. Direitos humanos Alexei Navalny, em avião no aeroporto em Berlim, antes da partida para a capital russa, Moscou, em janeiro Polina Ivanova/Reuters Putin, o primeiro a falar a jornalistas relatou que o tema da Ucrânia também foi discutido. O presidente russo reiterou que, durante toda a reunião, não houve nenhum momento de hostilidade e que ambos mostraram o desejo de se entender. O mandatário russo também falou sobre o destino de seu principal opositor Alexei Navalny, preso ao retornar ao país: "Ele sabia que estava infringindo as leis russas". A prisão do ativista foi um dos pontos de tensão da Rússia com o Ocidente neste ano, e Putin defendeu a detenção. "Ele sabia que seria preso quando retornasse, mas voltou mesmo assim", disse Putin. Biden também falou da preocupação do governo americano com o tratamento dado ao opositor Navalny: "Deixei claro para o presidente Putin que continuarei a levantar questões de direitos humanos fundamentais, porque é isso que somos." Ciberataques O presidente russo disse também que chegou a um acordo com Biden para que os dois países iniciem consultas sobre temas que envolvem a segurança cibernética. O americano defendeu que sistemas relacionados à infraestrutura têm que ser respeitados e deveriam "estar fora dos limites" das tentativas de invasão. Os EUA acusam hackers russos não identificados ​por uma série de ataques cibernéticos ao país. Putin, no entanto, se defendeu e disse que muitos dos ataques cibernéticos direcionados à Rússia vinham dos EUA e Canadá. Retorno de diplomatas Embaixadores dos dois países retornarão aos seus postos diplomáticos para seguir com os esforços de relações entre a Rússia e os EUA. Putin disse que o retorno é certo, mas que quando e como isso vai acontecer é uma "questão puramente técnica". Em abril, a Rússia expulsou diplomatas americanos sob acusação de espionagem logo após os EUA anunciarem uma série de sanções ao país. Encontro de Putin e Biden era aguardado VÍDEO: Biden e Putin se encontram pela primeira vez em Genebra Putin afirmou, antes do início na reunião, ao entrar na Villa La Grange – histórica construção do século 18 que é sede do encontro –, que esperava uma conversa produtiva. "Senhor presidente, gostaria de agradecer sua iniciativa de nos reunirmos hoje", disse Putin. OPINIÃO: Tensão e desconfiança mútua no primeiro embate entre Biden e Putin "É sempre melhor nos encontrarmos cara a cara", afirmou Biden. Biden disse então que os dois líderes tentarão determinar áreas de cooperação entre os dois países e defender os interesses mútuos. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, trocaram aperto de mãos antes da reunião em Villa la Grange, em Genebra, na Suíça, em 16 de junho de 2021 Mikhail Metzel/Sputnik/Pool via Reuters Biden é o 5º presidente americano a se encontrar com Putin desde que este chegou ao poder, no fim de 1999. Genebra recebe os líderes no momento em que os dois países enfrentam um dos piores momentos de sua relação bilateral – foi lá também que, em 1985, sediou o histórico primeiro encontro entre Ronald Reagan e Mikhail Gorbachov, então no auge da Guerra Fria. Além de Biden e Putin, estarão presentes os chefes de diplomacia dos dois países, Antony Blinken e Serguei Lavrov. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, se cumprimentam antes da reunião em Villa la Grange, em Genebra, na Suíça, em 16 de junho de 2021 Kevin Lamarque/Reuters Sem grandes expectativas Embora reconheçam a importância da aproximação e da cúpula como um primeiro passo, nenhum dos lados nutre grandes expectativas de resultados efetivos para o encontro de Genebra. “Não estou certo de que se chegará a qualquer acordo. Vejo esta reunião com otimismo prático”, disse o assessor de política externa de Putin, Yuri Ushakov, que falou a jornalistas na terça-feira. Opinião parecida foi emitida pela Casa Branca, que afirmou não esperar grandes anúncios, mas que as relações a longo prazo entre os países sejam mais “estáveis e previsíveis” após Genebra. 00:00 / 23:44

Medidas começam a valer respectivamente na quinta-feira e domingo. País mantém restrições em ambientes fechados, feiras livres e transporte público. Fachada do Museu de Orsay em Paris em foto tirada em abril de 2020 Reuters/Charles Platiau O uso de máscara ao ar livre não será mais obrigatório na França, e o fim do toque de recolher será antecipado, anunciou o primeiro-ministro francês, Jean Castex, nesta quarta-feira (16). Veja os novos prazos anunciados pelo governo francês: A partir de quinta-feira (17): fim da obrigatoriedade de máscaras em ambientes externos, com algumas exceções (leia mais abaixo) A partir de domingo (20): o toque de recolher, que deveria durar até 30 de junho, será suspenso Os anúncios feitos pelo chefe do governo foram possíveis graças à queda das contaminações por Covid-19 no país. SAIBA: Por causa da Covid, bolsistas brasileiros são impedidos de estudar na França; indianos obtiveram permissão para viajar O fim do toque de recolher, antecipado em dez dias, não impedirá a manutenção dos protocolos sanitários para locais públicos e para a tradicional Festa da Música, celebrada em 21 de junho. A máscara ao ar livre continua obrigatória em situações de aglomeração (filas, transportes, feiras livres, arquibancadas). Eventos marcados para acontecer até 30 de junho continuam com medidas sanitárias rígidas: organização de shows apenas ao ar livre, limites de entradas em bares, restaurantes e comércio. Os detalhes foram revelados após uma reunião Conselho de Ministros e do Conselho de Defesa presididos por Emmanuel Macron, nesta manhã. LEIA TAMBÉM: Homem que deu tapa na cara de Macron é condenado a quatro meses de prisão França abre vacinação para todos os adultos Os torcedores do jogo de futebol França e Portugal, no dia 23 de junho, pela Eurocopa, também poderão aproveitar parte da flexibilização das medidas. A França foi um dos últimos três países da Europa a impor um toque de recolher. Cronologia do toque de recolher na França: 30 de outubro de 2020: entrou em vigor as 21h em todo o país Período de festas (exceto dia e véspera de Natal): foi antecipado para as 20h 16 de janeiro de 2021: horário antecipado para as 18h Março de 2021: início da flexibilização com 19h, depois para as 21h 9 de junho de 2021: toque a partir das 23h Situação melhora antes do esperado "A situação da saúde em nosso país está melhorando mais rápido do que esperávamos", disse Castex em uma entrevista coletiva após uma reunião de gabinete. O número médio de novas infecções diárias caiu para 3.200 na terça-feira (15), o mais baixo da França desde agosto de 2020 e bem inferior ao limite de 5.000 casos diários que o presidente Emmanuel Macron estabeleceu como sua meta no ano passado. A desaceleração na propagação do vírus na França contrasta com um novo aumento de casos no outro lado Canal da Mancha, na Inglaterra, atribuído à variante Delta, descoberta na Índia. A França, que está atrás da Grã-Bretanha na meta de vacinação, está correndo para imunizar o máximo possível de pessoas para tentar evitar a disseminação desta variante em seu território. Castex disse que o governo pretende ter cerca 35 milhões de pessoas completamente vacinadas até o final de agosto, o que representa pouco mais da metade da população. Até agora, 16,5 milhões de pessoas foram totalmente imunizadas contra a Covid-19 no país, com duas doses da vacina.

É o primeiro grande ataque desde o cessar-fogo entre israelenses e o Hamas em maio e desde a mudança de governo em Israel. Israel bombardeia Gaza pela primeira vez desde cessar-fogo com palestinos Israel anunciou nesta quarta-feira (16) que realizou ataques aéreos em Gaza na noite passada, depois que palestinos lançaram balões incendiários do território, no primeiro grande ressurgimento de violência desde um conflito de 11 dias no mês passado. Os militares israelenses disseram que tinham como alvo prédios pertencentes ao Hamas, o grupo militante que controla Gaza. Os balões incendiários provocaram 20 incêndios no sul de Israel na terça-feira (15). O Hamas disse que os balões foram uma resposta a uma marcha de nacionalistas israelenses em Jerusalém Oriental. HAMAS: Saiba mais sobre a facção palestina que enfrenta Israel Foto mostra edifícios em Gaza vistos de um avião de guerra antes de um ataque aéreo em 16 de junho de 2021 IDF/Reuters Não houve vítimas em nenhum dos lados e a calma foi restaurada na manhã de quarta-feira. O que sabemos sobre os ataques? Em um comunicado, as Forças de Defesa de Israel (IDF) disseram que seus aviões de combate atingiram complexos militares operados pelo Hamas em Khan Younis e na Cidade de Gaza. Explosões na Faixa de Gaza nesta terça-feira (15), após ofensiva israelense Mahmud Hams/AFP A nota diz que uma "atividade terrorista" ocorreu nos complexos, e que as IDF estavam "preparadas para todos os cenários, incluindo a retomada das hostilidades, em face dos contínuos atos de terror na Faixa de Gaza". Um porta-voz do Hamas disse no Twitter que os palestinos continuarão a perseguir sua "brava resistência e defender seus direitos e locais sagrados" em Jerusalém. O IDF disse que os ataques foram realizados em resposta aos "balões incendiários lançados de Gaza para Israel". Nos últimos anos, os militantes frequentemente usaram balões e pipas carregando contêineres com combustível em chamas e artefatos explosivos pela fronteira de Gaza. Os dispositivos causaram centenas de incêndios em Israel, queimando milhares de hectares de florestas e fazendas. Os ataques aéreos foram os primeiros realizados sob o novo governo de Israel, que assumiu o poder no domingo e encerrou 12 anos de Benjamin Netanyahu no poder. O novo primeiro-ministro, Naftali Bennett, é um nacionalista de direita que lidera uma coalizão de oito partidos que abrangem todo o espectro da política israelense. Um lembrete da fragilidade do cessar-fogo Rushdi Abu Alouf, BBC News, Cidade de Gaza Os recentes ataques aéreos duraram apenas 10 minutos, mas foram o suficiente para lembrar aos moradores da cidade, que ainda estão tentando se recuperar das consequências dos recentes combates, que o cessar-fogo é frágil. Não são apenas os sons das explosões que lembram as pessoas da guerra. Você só precisa dirigir seu carro ou andar pelas ruas da cidade para testemunhar a escala de destruição que se abateu sobre ela. Toneladas de entulho ainda bloqueiam as principais ruas do centro de Gaza. Um ambulante, Abu Muhammad, vende nozes em uma pequena carreta no bairro de Rimal, que sofreu os mais violentos ataques na recente onda. Ele me disse: "Não podemos mais tolerar mais guerras. A pandemia do coronavírus interrompeu nosso trabalho por muitos meses, e a última guerra causou uma grande perda, não pude mais alimentar meus seis filhos". Um vizinho, que mora perto de um alvo militar do Hamas que foi atingido nos últimos ataques, me disse por telefone que era assustador ver novas colunas de fumaça no local. O que aconteceu na marcha de Jerusalém? A marcha da bandeira do Dia de Jerusalém é um evento anual que marca a captura de Israel de Jerusalém Oriental — onde fica a Cidade Velha e seus locais sagrados — na guerra de 1967. Os palestinos consideram essa marcha uma provocação. Israelenses caminham com bandeiras fora da Cidade Velha de Jerusalém, em 15 de junho de 2011, durante a "Marcha das Bandeiras", passeata da extrema-direita do país que comemora a "conquista" de Jerusalém Ronen Zvulun/Reuters No evento de terça-feira, centenas de jovens israelenses nacionalistas dançaram, cantaram e agitaram bandeiras israelenses em frente ao Portão de Damasco da Cidade Velha, a entrada principal do Bairro Muçulmano. Posteriormente, eles entraram por outro portão para chegar ao Muro das Lamentações, um dos locais mais sagrados do judaísmo. O ministro das Relações Exteriores de Israel, Yair Lapid, criticou um grupo de manifestantes que foram filmados entoando slogans racistas. "O fato de haver extremistas para quem a bandeira israelense representa ódio e racismo é abominável e intolerável", disse Lapid. "É incompreensível como alguém pode segurar uma bandeira israelense e gritar 'Morte aos árabes' ao mesmo tempo." Mais de 30 manifestantes palestinos ficaram feridos e 17 pessoas foram presas enquanto a polícia israelense esvaziava áreas de Jerusalém Oriental antes da marcha, disparando granadas de choque e balas de borracha. A marcha da bandeira estava marcada para acontecer em 10 de maio. Mas foi interrompida por militantes do Hamas em Gaza disparando foguetes contra a cidade sagrada, o que levou ao conflito de 11 dias. Assim que o cessar-fogo foi decretado, os organizadores pediram que a marcha fosse remarcada. Palestinos protestam no norte da Faixa de Gaza contra a "Marcha das Bandeiras", passeata de grupos israelenses de extrema-direita dentro e ao redor da Cidade Velha, em Jerusalém Oriental, que comemoram a "conquista" da Cidade Sagrada durante a Guerra dos Seis Dias Mohammed Salem/Reuters Ela teria acontecido na quinta-feira da semana passada, mas foi novamente cancelada pelos organizadores, depois que a polícia israelense rejeitou a rota proposta, alegando preocupações de segurança. Uma rota corrigida que evitava passar pelo Portão de Damasco foi posteriormente aprovada pelo novo governo israelense. Ainda assim, o líder do partido islâmico árabe Raam, que faz parte da coalizão do governo, disse que ela deveria ter sido cancelada. O primeiro-ministro da Autoridade Palestina advertiu que pode haver "repercussões perigosas" do ato. Por que houve conflito em Gaza no mês passado? O conflito começou após semanas de tensão crescente entre israelenses e palestinos em Jerusalém Oriental, que culminou em confrontos em um local sagrado reverenciado por muçulmanos e judeus. O Hamas começou a disparar foguetes contra Israel desencadeando ataques aéreos de retaliação de Israel contra alvos de Gaza. Pelo menos 256 pessoas foram mortas em Gaza, de acordo com a ONU, e 13 em Israel — antes do cessar-fogo mediado pelo Egito entrar em vigor em 21 de maio. A ONU disse que pelo menos 128 dos mortos em Gaza eram civis. Os militares israelenses disseram que 200 eram militantes; O líder do Hamas em Gaza estima o número de combatentes mortos em 80. Mais de 16 mil casas em Gaza foram destruídas ou danificadas no conflito, junto com 58 escolas e centros de treinamento, nove hospitais, 19 clínicas e outras estruturas, de acordo com a ONU.

Com o presente, as autoridades regionais tentam incentivar a adesão às vacinas. País tem baixa aderência na vacinação entre a população mais idosa. VÍDEO: Cidade da Indonésia distribui galinhas para quem se vacinar contra a Covid Uma cidade da Indonésia resolveu incentivar a vacinação contra a Covid-19 de uma forma inusitada: a cada dose, uma galinha, viva, é dada de presente aos vacinados. O país tem relatado uma baixa aderência na vacinação entre a população mais idosa, que se diz com medo da injeção, e a ideia da prefeitura de Cianjur, a 100km de Jacarta, parece render frutos. "Os idosos não querem se vacinar por uma série de razões", disse em entrevista à agência Reuters o chefe da polícia local, Galih Aprian. "Alguns até dizem que vão se vacinar, mas nunca aparecem." Idoso recebe galinha ao ser vacinado contra a Covid na Indonésia, foto de 15 de junho de 2021 Willy Kurniawan/Reuters A cidade decidiu então ir atrás da população para aplicar a vacina, e em troca, dão uma galinha, que pode se tornar alimento em um país em que quase 10% da população vive abaixo da linha da pobreza, segundo o Banco de Desenvolvimento Asiático (ADB, em inglês). Com o presente, as autoridades regionais acreditam incentivar a adesão às vacinas – que a quase seis meses do início da campanha de imunização no país ainda segue bastante lenta. Outra preocupação entre os habitantes do país de maioria muçulmana é a de que o imunizante seja halal, ou permitido pelo Islã. A indonésia faz uso da vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa SinoVac, conhecida no Brasil como a CoronaVac, produzida em parceria com o Instituto Butantan (SP). O imunizante é seguro e eficaz, e foi aprovado para uso emergencial pela Organização Mundial da Saúde (OMS) – e recebeu permissão islâmica de líderes religiosos. Que vacina é essa? Coronavac A Indonésia é o 4º país mais populoso do mundo, com mais de 270 milhões de habitantes, mas até o momento conseguiu vacinar apenas 5% de sua população (cerca de 9 milhões). Nas últimas 24 horas, o país registrava quase 2 milhões de casos confirmados da doença e 53 mil mortos por complicações da Covid-19.

Número de novos infectados despencou de mais de 400 mil por dia no começo de maio, no ápice da 2ª onda, para 62 mil nas últimas 24 horas. Patamar atual é similar ao do final de março. Grupo de turistas tira fotos no Taj Mahal, no dia da sua reabertura aos visitantes, após autoridades reduzirem restrições para combater a Covid-19 em Agra, na Índia, em 16 de junho de 2021 Money Sharma/AFP Ponto turístico mais visitado da Índia, o Taj Mahal reabriu nesta quarta-feira (16) graças a um recuo no número de casos e mortes por Covid-19 no país e ao relaxamento das medidas de restrição. O majestoso mausoléu de mármore branco em Agra, no estado de Uttar Pradesh, ficou fechado por dois meses em meio a uma devastadora segunda onda da pandemia no país (veja mais abaixo). A Índia é o segundo país com mais casos confirmados (29,6 milhões), atrás apenas dos Estados Unidos (33,4 milhões), e o terceiro em número de mortes (379 mil), depois de EUA (600 mil) e Brasil (490 mil). "Estou feliz por poder ver isso, é incrível", disse, maravilhada, a brasileira Melissa Dalla Rosa, que vive na Índia, à agência de notícias France Presse. A brasileira Melissa Dalla Rosa tira fotos de lembrança no Taj Mahal no dia da reabertura aos visitantes em Agra, na Índia, em 16 de junho de 2021 Money Sharma/AFP 2ª onda na Índia O número de casos diários de Covid-19 vem diminuindo há semanas no país, após recordes mundiais de infectados e de óbitos em abril e maio no pico da segunda onda. Hospitais ficaram superlotados, pacientes morreram sem oxigênio ou esperando por leitos e cemitérios e crematórios não conseguiram atender à demanda de corpos. O colapso sanitário foi causado por uma série de motivos. Entre eles, se destacam: A variante delta, que é mais transmissível e diminui a eficácia das vacinas contra a Covid-19; A recusa do governo do primeiro-ministro Narendra Modi em adotar medidas de restrição (e delegar a função aos governos estaduais e municipais); O desrespeito da população a medidas de distanciamento social e a realização de comícios eleitorais e festivais religiosos com aval do governo. VEJA TAMBÉM: Reino Unido adia etapa da reabertura em meio à alta de casos da variante delta Dor de cabeça e corrimento nasal são sintomas associados à variante delta A Índia bateu o recorde mundial de casos diários de Covid-19 em 6 de maio, com mais de 412 mil infectados, e o de mortes 13 dias depois, com mais de 4,5 mil óbitos em 24 horas. Mas, apesar dos números astronômicos, há fortes indícios de subnotificação. Especialistas acreditam que os números reais — sobretudo de mortes — podem ser de cinco a dez vezes maiores. Em meio ao caos, corpos foram encontrados boiando e às margens do Rio Ganges (veja no vídeo abaixo). Além disso, o país segue com dificuldades para ampliar a vacinação. Apesar de a Índia ser o maior produtor mundial de vacinas, apenas 15% da população recebeu a primeira dose e 3,44% estão completamente imunizados. VÍDEO: Rio Ganges vira 'cemitério' com corpos flutuantes ou enterrados às margens Otimismo com reabertura Mas a segunda onda está refluindo, e o número de novos casos confirmados despencou de mais de 400 mil por dia no início de maio para menos de 100 mil atualmente, o que levou à flexibilização das restrições em todo o país. Nas últimas 24 horas, a Índia registrou 62.224 novos infectados — patamar similar ao do final de março, há dois meses e meio — e 2.542 mortes — nível próximo ao do final de abril. Todos os dados são compilados pela Universidade Johns Hopkins e pelo "Our World in Data", projeto ligado à Universidade de Oxford. Alguns guias turísticos e comerciantes se dizem otimistas com a reabertura do Taj Mahal, embora as autoridades tenham limitado o número de visitantes a 650 por dia. Em tempos normais, multidões se aglomeram no local. "A segunda onda passou. Se a terceira vier, vai acabar comigo", desabafou Lucky Feizan, um comerciante de 20 anos que trabalha no local. O turismo é o motor econômico de Agra. O monumento funerário já havia sido fechado em março de 2020, quando foram registrados os primeiros casos de Covid-19 na Índia, e reabriu em setembro. O Taj Mahal foi construído entre 1631 e 1648, pelo imperador Shah Jahan, da dinastia mogol, para lembrar de sua esposa favorita que havia morrido. O monumento é patrimônio mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). VÍDEOS: as últimas notícias internacionais

Lista não inclui nenhum país da América Latina. Medida aprovada pelos 27 países do bloco europeu vale inclusive para não vacinados, segundo a agência de notícias France Presse. Pessoas desembarcam no aeroporto de Barcelona, ​​na Espanha, em 7 de junho de 2021. Países da União Europeia estão adotando medidas para impulsionar a chegada de turistas estrangeiros antes do verão europeu. Emilio Morenatti/AP Representantes dos 27 países da União Europeia (UE) aprovaram nesta quarta-feira (16) em Bruxelas permitir a entrada de turistas dos Estados Unidos e de mais cinco países no bloco europeu. O acordo dos embaixadores ainda precisa ser respaldado formalmente pelo Conselho Europeu, instituição que representa os estados-membros, mas entrará em vigor "nos próximos dias", disseram fontes diplomáticas às agências de notícias France Presse e Reuters. A medida vale para viagens não essenciais e, segundo a France Presse, vale inclusive para cidadãos que não estão completamente vacinados contra a Covid-19. Além dos EUA, serão beneficiados cidadãos de Taiwan, Sérvia, Macedônia do Norte, Albânia e Líbano. Macau e Hong Kong, regiões administrativas da China, serão incluídas se houver reciprocidade. A decisão prevê, no entanto, que os turistas poderão ser submetidos a medidas adicionais, como testes de laboratório ou quarentenas, no desembarque em solo europeu. A lista não inclui nenhum país da América Latina. Atualmente, apenas oito nações não têm restrições: Austrália, Coreia do Sul, Israel, Japão, Nova Zelândia, Ruanda, Singapura e Tailândia. Verão europeu e turismo Com a aproximação do verão no hemisfério norte e a temporada turística na Europa, os países do bloco estão se mobilizando para permitir o retorno de pelo menos uma parte dos turistas estrangeiros, como uma medida para tentar estimular a recuperação da economia. Pessoas desembarcam no aeroporto de Barcelona, ​​na Espanha, em 7 de junho de 2021. Países da União Europeia estão adotando medidas para impulsionar a chegada de turistas estrangeiros antes do verão europeu. Emilio Morenatti/AP Com a pandemia, a União Europeia fechou suas fronteiras externas em março de 2020 para viagens não essenciais, mas mantém uma lista de países cujos cidadãos podem entrar como turistas. Para ser incluído na lista, um país deve ter registrado menos de 75 novos casos de Covid-19 para cada 100 mil habitantes nos 14 dias anteriores. A taxa dos EUA está em 73,9 atualmente, segundo o Centro Europeu de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). O Brasil, por exemplo, teve 427 novos infectados por 100 mil habitantes nas últimas duas semanas (quase cinco vezes acima do permitido), segundo dados do "Our World in Data", projeto ligado à Universidade de Oxford. A média mundial é de 70 (também um pouco abaixo da exigência da UE). Para liberar a circulação dos europeus dentro do bloco, a UE também iniciou a implementação de um passaporte sanitário, que certifica que o portador foi plenamente vacinado, apresentou um resultado negativo em um teste ou já pegou Covid-19. VÍDEOS: as últimas notícias internacionais

Candidato de esquerda obteve 50,125% dos votos válidos no 2º turno, mas ainda não foi declarado vencedor porque a candidata derrotada, Keiko Fujimori, pediu a anulação de quase 200 mil votos. Pedro Castillo, candidato à Presidência do Peru, cumprimenta apoiadores que comemoravam os resultados parciais da eleição que o colocam à frente da concorrente Keiko Fujimori, em sua sede de campanha em Lima, em 7 de junho de 2021, um dia após o segundo turno Martin Mejia/AP O candidato de esquerda Pedro Castillo, que terminou à frente na eleição presidencial no Peru, fez um apelo na terça-feira (15) à noite ao tribunal eleitoral do país que respeite a vontade popular e anuncie uma decisão rápida sobre a impugnação de votos. Candidato do partido Peru Livre, Castillo obteve 50,125% dos votos válidos, contra 49,875% de Keiko Fujimori, do Fuerza Popular -- uma diferença de apenas 44.058 votos (0,25 ponto percentual). Mas ele ainda não foi declarado vencedor porque pedidos de contestação de milhares de votos e centenas de atas das assembleias de voto continuam pendentes. A contagem dos votos levou nove dias, e uma definição sobre os pedidos de impugnação de votos pode levar cerca de duas semanas. "Peço às autoridades eleitorais que, de uma vez por todas, deixemos de prolongar e deixar o povo peruano em sofrimento -- e que se respeite a vontade popular deste país", afirmou Castillo a milhares de seguidores durante um comício em Lima, após o anúncio da apuração final das urnas. Candidata derrotada pela terceira vez seguida em uma eleição presidencial, Keiko Fujimori impugnou e pediu a anulação de quase 200 mil votos e disse ainda ter esperança de reverter o resultado. "Não nos deixemos confundir. Hoje saiu o resultado da apuração do Onpe [órgão eleitoral peruano], mas falta o mais importante, que é a avaliação das atas pendentes que o Júri Nacional de Eleições [JNE] tem que resolver", afirmou Keiko diante de milhares de apoiadores em frente à sede do seu partido, também em Lima. "Confiamos nos órgãos eleitorais e, acima de tudo, na vontade popular, e sabemos que, quando analisarem essas irregularidades, o mais provável é que concordem conosco", afirmou Keiko, que é filha de Alberto Fujimori, ex-ditador peruano que está preso. VEJA TAMBÉM: Lava Jato no Peru pede que Keiko Fujimori, que concorre à presidência, volte à prisão Keiko Fujimori conversa com apoiadores em Lima, no Peru, neste domingo (6) Sebastian Castaneda/Reuters É a terceira disputa presidencial da filha de Fujimori, que tenta ser a primeira mulher a presidir o Peru. Na eleição de 2016, ela perdeu para o banqueiro Pedro Paulo Kuczynski por 50,12% a 49,88% e não reconheceu a derrota. O vencedor tomará posse em 28 de julho, dia que marca os 200 anos da independência do Peru e o início da República no país. Observadores internacionais Castillo, um professor de escola rural de 51 anos, aproveitou o discurso a apoiadores para saudar os observadores internacionais que acompanharam a eleição peruana, incluindo uma missão da OEA (Organização dos Estados Americanos). Observadores da OEA afirmaram em um relatório preliminar que o processo eleitoral foi limpo, "sem graves irregularidades". "Agradeço aos organismos internacionais que se manifestaram e afirmaram que a festa democrática não teve nenhuma objeção, nenhuma alteração", disse o candidato de esquerda. Ele reiterou que seu governo respeitará o investimento privado, moderando sua posição a favor das estatizações defendida no início da campanha, e rejeitou comparações com o governo da Venezuela. "Não somos chavistas, não somos comunistas, ninguém veio para desestabilizar este país, somos trabalhadores, somos lutadores, somos empreendedores e garantiremos uma economia estável", afirmou Castillo em meio a aplausos. VÍDEOS: as últimas notícias internacionais

O esquerdista Pedro Castillo obteve 50,125% dos votos, enquanto sua rival, Keiko Fujimori, da direita, obteve 49,875%, segundo a autoridade eleitoral peruana. O esquerdista Pedro Castillo obteve 50,125% dos votos, enquanto sua rival, Keiko Fujimori, da direita, obteve 49,875%, segundo a autoridade eleitoral peruana EPA via BBC Mais de uma semana após a celebração do segundo turno das eleições presidenciais no Peru, a contagem apertada de votos finalmente chegou a 100% na terça-feira (15). O candidato de esquerda Pedro Castillo obteve 50,125% dos votos, enquanto a rival da direita, Keiko Fujimori, obteve 49,875%, de acordo com os resultados do Escritório Nacional de Processos Eleitorais (ONPE). Castillo, do Peru Libre, venceu Fujimori, do Fuerza Popular, por 44.058 votos. Mas as autoridades eleitorais peruanas ainda não podem proclamar um vencedor. VEJA TAMBÉM: Castillo pede respeito à vontade popular no Peru; Keiko confia em vitória com impugnação de votos Lava Jato no Peru pede que Keiko Fujimori, que concorre à presidência, volte à prisão Os pedidos de anulação dos registros de votação apresentados pelos dois partidos ainda não foram resolvidos. A maior parte dos pedidos foi feita pela Fuerza Popular, de Fujimori. Na semana passada, Fujimori apresentou pedidos para anular 802 registros de votação, o que representa cerca de 200 mil votos. No total, ela fez 945 solicitações, mas apenas 134 chegaram dentro do prazo permitido, segundo o portal peruano Ojo Público. Já o Peru Libre apresentou 148 pedidos de anulação, mas apenas 14 chegaram a tempo, de acordo com o portal IDL-Reporteros. Keiko Fujimori denunciou uma suposta fraude no segundo turno EPA via BBC Mais duas semanas? Esses recursos de anulação são apresentados em júris eleitorais especiais distribuídos por todo o país, que têm três dias úteis para decidir se aceitam ou não. Depois, o partido tem mais três dias para recorrer de qualquer decisão e, finalmente, o Júri Eleitoral Nacional (JNE) tem mais três dias para dar uma solução final ao recurso. Esses pedidos de anulação podem atrasar a proclamação de um vencedor em cerca de duas semanas, explicou José Manuel Villalobos, diretor executivo do Instituto Peruano de Direito Eleitoral (IPDE), na semana passada à BBC Mundo. VEJA TAMBÉM: Entenda por que a definição do vencedor na eleição ainda pode demorar dias 'Momento de união' Confirmação oficial do resultado da eleição ainda pode demorar Reuters Nesta terça-feira, horas depois de a contagem do ONPE chegar a 100%, Castillo dirigiu-se a seus seguidores de uma das varandas da sede do Peru Libre, no centro de Lima. "Hoje é o momento da mais ampla unidade do povo peruano criar uma luta não só contra a pandemia, mas contra outras pandemias que ocorreram nestes 30 anos", disse ele a centenas de apoiadores. "Esta noite não deve ser apenas de alegria e júbilo, mas também de grande responsabilidade. Não nos deixemos levar por ilusões, nem por fingimentos, temos que ser frios porque hoje começa a verdadeira batalha para acabar com as grandes desigualdades aqui em nossa pátria." Castillo fez um apelo às autoridades eleitorais para que "respeitem a vontade popular". Por sua vez, Fujimori se disse confiante de que as contestações que apresentou às autoridades eleitorais acabarão favorecendo sua candidatura. "Hoje saiu um resultado, sim, resultado da apuração do ONPE, mas falta o mais importante, que é a avaliação dos atos pendentes que o JNE tem de pedido de anulação. Confiamos nos órgãos eleitorais e, acima de tudo, na vontade popular. Sabemos que quando eles analisarem essas irregularidades, muito provavelmente vão nos dar razão", disse a candidata em discurso que fez a seus seguidores em frente à sede da Fuerza Popular. Fujimori encorajou seus apoiadores a seguirem mobilizados e se manifestando pacificamente. VÍDEOS: as últimas notícias internacionais

Grupo de estudantes e pesquisadores mandou uma carta ao governo francês pedindo a liberação de entrada, a fim de assumir as vagas que conquistaram em processos seletivos. Viajantes passam por teste para coronavírus ao chegarem no aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, no ano passado Reuters/Christian Hartmann Alunos e pesquisadores brasileiros — alguns deles com bolsa — lançaram uma campanha internacional para que o governo francês suspenda um bloqueio que os impede de viajar ao país para estudar. O motivo é a situação da Covid no Brasil. A ideia é que a educação para esses intercambistas seja considerada um “motivo imperioso” — uma exceção para que possam entrar na França. Assim surgiram perfis em redes sociais como o Twitter e o Instagram e a hashtag #etudierestimpérieux (“estudar é imperioso”). O grupo, formado por cerca de 350 pessoas que passaram em exames e processos seletivos, mandou uma carta ao governo francês pedindo a liberação. Desde o dia 23 de abril, a Embaixada da França no Brasil suspendeu a emissão de vistos a estudantes e pesquisadores, pois a categoria deixou de fazer parte dos motivos considerados imperiosos para entrar em território francês. No dia 9 de junho, a França chegou a flexibilizar a entrada de pessoas de alguns países, mas o Brasil segue restrito por fazer parte dos países considerados em zona vermelha, a mais perigosa em relação ao coronavírus. Mas o embaixador da França na Índia, país que também tem a categoria vermelha, anunciou que os estudantes do país teriam a chance de receber vistos de entrada. Alunos e pesquisadores brasileiros se reúnem para pedir a liberação da entrada de estudantes na França Reprodução/ Instagram Dedicação e estudos por um fio Uma das barradas é a advogada Flávia Barros Ornellas, de Niterói, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Formada pela Universidade Federal Fluminense (UFF), ela foi aprovada para um mestrado com bolsa integral e de assistência pra Université Catholique de Lyon em Direito Internacional e Europeu. Flávia precisa estar lá antes do início das aulas, marcado para 20 de setembro. O processo para a conquista da vaga, que ela considera essencial para o desenvolvimento de sua carreira, exigiu empenho. “Avaliaram meu currículo, pesquisas e notas na faculdade. Eu me dediquei por bastante tempo, tanto pelo estudo do francês, que no mestrado requer um nível avançado, quanto pra manter um bom currículo na faculdade, notas boas, pesquisas relevantes”, contou a advogada. Um dos apoios que os estudantes conquistaram foi o da senadora Joëlle Garriaud-Maylam, do Partido Republicano. “Não há razão para impedir que os alunos continuem sua carreira universitária, especialmente se eles forem vacinados e fizerem exames”, afirmou a senadora no Twitter. O G1 questionou o Ministério das Relações Exteriores sobre as dificuldades enfrentadas pelos estudantes, que não retornou até a publicação desta reportagem Senadora francesa manifestou apoio aos estudantes brasileiros Reprodução/ Twitter Quem pode viajar para a França Entre os motivos que permitem a viagem ao país descritos no site da Embaixada da França no Brasil, estão cidadãos franceses, seus cônjuges e filhos; cidadãos da União Europeia que possuam residência na França; brasileiros que possuam autorização de residência ou visto de longa duração no país e funcionários em missões diplomáticas. Estudantes não são citados. Mesmo para quem se encaixa em uma das categorias, é preciso mostrar um teste negativo ao chegar à França. Além disso, uma quarentena de 10 dias é obrigatória.

Ataques cibernéticos, perseguição a ativistas e interferência nas eleições azedam encontro em que presidente americano tentará se mostrar mais firme com russo em relação a Trump. Montagem põe lado a lado o presidente americano Joe Biden e o presidente russo Vladimir Putin AFP Quinto presidente americano com quem Vladimir Putin se reúne, Joe Biden talvez seja o mais descrente em relação ao presidente russo. Já pôs em dúvida que ele tenha alma e recentemente o xingou de assassino em uma entrevista. É em clima de desgaste e tensão, agravado por ataques cibernéticos vinculados à Rússia e pela interferência nas duas últimas eleições americanas, que os dois se encaram, frente a frente, nesta quarta-feira, no Parc de La Grange, inserido numa bucólica villa do século XVIII, em Genebra. Ambos concordam que as relações entre EUA e Rússia atravessam a pior fase em décadas. Biden chega à Suíça imbuído do respaldo que recebeu aliados europeus e da Otan. Pretende estabelecer linhas vermelhas e falar mais duro com o russo do que seu antecessor, conforme explicou numa coletiva durante esta primeira viagem internacional como presidente: “Se ele (Putin) escolher não cooperar e agir como fez no passado em relação à segurança cibernética e outras ações, responderemos na mesma moeda”, advertiu. No mês passado, a empresa americana Colonial Pipeline foi forçada a interromper metade do abastecimento de combustível da Costa Leste americana após um ataque de um grupo de hackers, suspeitos de ligações com russos. Putin, como sempre, nega. Há outras questões, espinhosas em sua maioria, que serão abordadas em duas sessões da cúpula. Sanções aplicadas ao governo russo e a expulsão de 10 diplomatas da missão nos EUA não deram resultado. O presidente russo será novamente cobrado pela tentativa de envenenamento e a prisão de Alexei Navalny, principal opositor do Kremlin. E sinalizou que não está disposto a ceder: no início do mês, ele promulgou uma lei proibindo indivíduos classificados como extremistas de concorrer a cargos públicos. A medida foi reforçada, em seguida, por um tribunal de Moscou, que baniu organizações políticas ligadas a Navalny por considerá-las terroristas. O apoio do Kremlin à repressão aos ativistas em Belarus, sob o comando do ditador Alexander Lukashenko, e a tensão na Ucrânia, após a anexação da Crimeia, azedam o clima entre Biden e Putin. Ambos podem aprofundar áreas de cooperação e estabelecer uma agenda de estabilidade para os quatro anos. Nos primeiros dias do governo Biden, EUA e Rússia renovaram, até 2026, o tratado de controle de armas START. O programa nuclear do Irã e as mudanças climáticas também figuram numa base comum entre os dois países para consolidar um período que os especialistas definem como “paz fria”. Biden diz que não quer conflito com a Rússia, mas que os EUA responderão à altura caso não haja cooperação Biden não quis, sequer, arriscar-se a dividir uma refeição ou até mesmo uma coletiva com Putin, como fez seu antecessor num encontro com o presidente russo em Helsinque, deixando a clara impressão de que levou a pior no embate. Trump preferiu ignorar as conclusões da inteligência americana, de que a Rússia interferiu nas eleições de 2016, e foi criticado por aceitar passivamente, e em público, as explicações de Putin. O atual presidente americano quer marcar a diferença em relação a Trump. Enfrenta Putin com expectativas modestas de obter concessões no conturbado relacionamento, que se encontra no nível mais baixo desde o fim da Guerra Fria.

Estabilidade nuclear, mudança climática, segurança cibernética e o destino de cidadãos presos nos dois países estão na pauta oficial, mas temas ainda mais polêmicos podem ser abordados durante reunião que deve durar até cinco horas. Apesar de reconhecerem importância, porém, nenhum dos lados mantém grandes expectativas sobre ações concretas imediatas. VÍDEO: Biden e Putin se encontram pela primeira vez em Genebra Os presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden, e da Rússia, Vladimir Putin, se encontraram nesta quarta-feira (16) em Genebra, na Suíça, para a 1º reunião entre os atuais mandatários dos dois países. Putin afirmou, ao entrar na Villa La Grange – histórica construção do século 18 que é sede do encontro –, que espera que a conversa "seja produtiva". "Senhor presidente, gostaria de agradecer sua iniciativa de nos reunirmos hoje", disse Putin. OPINIÃO: Tensão e desconfiança mútua no primeiro embate entre Biden e Putin "É sempre melhor nos encontrarmos cara a cara", afirmou Biden. Biden disse então que os dois líderes tentarão determinar áreas de cooperação entre os dois países e defender os interesses mútuos. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, trocaram aperto de mãos antes da reunião em Villa la Grange, em Genebra, na Suíça, em 16 de junho de 2021 Mikhail Metzel/Sputnik/Pool via Reuters Biden é o 5º presidente americano a se encontrar com Putin desde que este chegou ao poder, no fim de 1999. Genebra recebe os líderes no momento em que os dois países enfrentam um dos piores momentos de sua relação bilateral – foi lá também que, em 1985, sediou o histórico primeiro encontro entre Ronald Reagan e Mikhail Gorbachov, então no auge da Guerra Fria. O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o presidente da Rússia, Vladimir Putin, posam para foto antes da reunião em Villa la Grange, em Genebra, na Suíça, em 16 de junho de 2021 Denis Balibouse/Reuters Segundo um comunicado do Kremlin, a pauta envolverá discussões sobre estabilidade nuclear, mudança climática, segurança cibernética e o destino de cidadãos norte-americanos presos na Rússia e russos prisioneiros nos EUA. Mas existe ainda a expectativa de que assuntos mais espinhosos devam ser abordados, como Ucrânia, Belarus, o destino do opositor russo preso Alexei Navalny (veja no vídeo abaixo), e os ciberataques russos, incluindo os que teriam influenciado eleições norte-americanas. Quem é Alexei Navalny? Além de Biden e Putin, estarão presentes os chefes de diplomacia dos dois países, Antony Blinken e Serguei Lavrov. Após a reunião, durante a tarde, os dois presidentes concederão entrevistas separadamente, e não está prevista uma coletiva conjunta. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, se cumprimentam antes da reunião em Villa la Grange, em Genebra, na Suíça, em 16 de junho de 2021 Kevin Lamarque/Reuters Sem grandes expectativas Embora reconheçam a importância da aproximação e da cúpula como um primeiro passo, nenhum dos lados nutre grandes expectativas de resultados efetivos para o encontro de Genebra. “Não estou certo de que se chegará a qualquer acordo. Vejo esta reunião com otimismo prático”, disse o assessor de política externa de Putin, Yuri Ushakov, que falou a jornalistas na terça-feira. Opinião parecida foi emitida pela Casa Branca, que afirmou não esperar grandes anúncios, mas que as relações a longo prazo entre os países sejam mais “estáveis e previsíveis” após Genebra.
Estado americano comemora com queima de fogos a marca de 70% dos adultos vacinados contra Covid com pelo menos uma dose. Com esse nível de imunização, quase todas as medidas de restrição serão retiradas e a vida poderá voltar quase ao normal. Carolina Cimenti mostra que mesmo com redução das restrições, moradores ainda usam máscara Esta terça-feira (15) se tornou um dia histórico para Nova York: depois de um ano e três meses entre lockdown e regras um pouco menos duras de distanciamento social, o estado finalmente atingiu 70% de vacinação (com pelo menos uma dose) entre as pessoas de 18 anos ou mais. “Hoje é um dia importante, depois de uma longa, longa jornada”, disse o governador Andrew Cuomo. E prometeu fogos de artifício por todo o estado às 21:15 como homenagem aos trabalhadores essenciais que, nos meses mais difíceis, levaram Nova York nas costas. Na prática, restaurantes não terão mais que distanciar as mesas em dois metros ou usar separações físicas. Teatros e cinemas já podem lotar as salas. Prédios comerciais, cabeleireiros, academias e lojas não precisam mais medir a temperatura de todo mundo que entra e nem deixar uma fila do lado de fora enquanto o número máximo de consumidores são apressados do lado de dentro. Quase todas as restrições criadas com a chegada da Covid acabaram. Em resumo, com poucas exceções (como a obrigação de usar máscara no metrô e nas clínicas médicas), a vida voltou ao normal. Mas na prática mesmo, o que Cuomo está dizendo é: pelo menos aqui, pelo menos por hora, vamos celebrar e… nos abraçar. Um ano atrás, no dia 14 de junho de 2020, Nova York se recuperava da primeira onda. Ainda era o pior lugar do mundo, o epicentro do novo coronavírus: 623 novos casos tinham sido confirmados no estado em 24 horas e pelo menos 40 mortes por Covid registradas. Na época, esses números impressionavam. Hoje a gente sabe que ainda piorariam muito antes de melhorar. Ontem, foram 320 novos casos e sete mortes. A pandemia não acabou. E para quem tem filhos de menos de 12 anos, que ainda não podem ser vacinados, o medo e a insegurança persistem. Mas é inegável: a nova Nova York abriu suas portas. O metrô voltou a funcionar 24 horas no mês passado. Bares e restaurantes operam com 100% de capacidade e não precisam fechar antes da meia-noite. Shows, espetáculos e estádios esportivos voltaram. E um chef brasileiro, que tinha recém aberto um bar bacana no West Village nos primeiros meses de 2020 confirma: as pessoas estão comendo e bebendo como se não houvesse amanhã. E ele nunca trabalhou tanto. Infelizmente, ainda é uma celebração agridoce. Hoje os Estados Unidos cruzaram a marca de 600 mil mortos por Covid. Mais de 300 pessoas ainda morrem no país todos os dias por causa do novo coronavírus. Cinco vezes mais do que em acidentes de trânsito. Em pelo menos dez estados, o número de novos casos voltou a aumentar ao mesmo tempo em que a velocidade de vacinação diminuiu. Talvez por isso, mesmo em Nova York e nos outros 14 estados onde mais de 70% dos adultos já foram vacinados, as pessoas têm dificuldade em deixar de usar máscara.

Ação é o primeiro enfrentamento entre israelenses e palestinos depois dos conflitos em maio que deixaram mais de 200 mortos. Explosões na Faixa de Gaza nesta terça-feira (15), após ofensiva israelense Mahmud Hams/AFP As Forças de Defesa de Israel confirmaram nesta terça-feira (15) que iniciaram novos bombardeios na Faixa de Gaza. Israel volta a bombardear a Faixa de Gaza após cessar-fogo Segundo o exército israelense, os ataques foram feitos contra bases do grupo extremista Hamas, que controla a região, em resposta aos balões incendiários lançados contra o território israelense. HAMAS: Saiba mais sobre a facção palestina que enfrenta Israel Explosões são vistas na Faixa de Gaza nesta terça (15); Israel confirmou ofensiva Mahmud Hams/AFP Homem na Faixa de Gaza atira nesta terça-feira (15) objeto incendiado na direção do território israelense Mahmud Hams/AFP O lado palestino diz que o ataque ocorreu próximo a um povoado no sul da Faixa de Gaza, mas não deu maiores detalhes, segundo a agência France Presse. Não há informações sobre mortos ou feridos. Esse é o primeiro enfrentamento mais grave na região desde maio, quando palestinos e israelenses concordaram em um cessar-fogo após 11 dias de confrontos. Estima-se que 260 pessoas morreram no lado palestino e 13 em Israel. Novo governo Naftali Bennett assume como primeiro ministro de Israel O episódio também marca a primeira tensão em Gaza desde a posse do novo governo, do primeiro-ministro Naftali Bennett. Ele governa o país desde domingo, quando conseguiu formar uma ampla coalizão que reúne políticos de diferentes denominações unidos para tirar Benjamin Netanyahu do poder. Relembre no VÍDEO acima. Leia também: Veja a repercussão do novo governo de Israel Saiba quem é Naftali Bennett Enfrentamentos como o desta terça vão significar um teste para essa aliança. Isso porque o grupo é composto tanto por políticos nacionalistas e militaristas — caso do novo primeiro-ministro — e de representações árabes que tendem a apoiar o lado palestino.

Candidato do partido Peru Livre ainda não foi declarado vencedor porque pedidos de contestação de milhares de votos e centenas de atas das assembleias de voto continuam pendentes. Ele obteve 50,125% dos votos válidos, contra 49,875% de Keiko Fujimori. O candidato à presidência do Peru pelo partido Peru Livre, Pedro Castillo, saúda eleitores da sede de seu partido, em Lima, em 9 de junho Reuters/Sebastian Castaneda O Peru concluiu nesta terça-feira (15) a contagem oficial dos votos de sua eleição presidencial, realizada em 6 de junho. Segundo o Escritório Nacional de Processos Eleitorais (ONPE), Pedro Castillo obteve 50,125% dos votos válidos, contra 49,875% de Keiko Fujimori. Ele teve 8.835.579, enquanto ela conseguiu 8.791.521, uma diferença de apenas 44.058 votos (0,25%). Ainda assim, Castillo não foi declarado vencedor porque continuam pendentes pedidos para anulação nos Júris Especiais Eleitorais do Júri Nacional de Eleições (JNE). O JNE ainda não decidiu sobre os pedidos de contestação de milhares de votos e centenas de atas das assembleias de voto. Os dois partidos entraram com os pedidos, sendo a maioria de autoria do Fuerza Popular, de Fujimori, em sua última esperança para reverter os resultados. Há dias, porém, o candidato do partido Peru Livre já se considera vencedor, tendo inclusive recebido cumprimentos de políticos e líderes de outros países. "Ganhamos, professor Pedro Castillo (é) presidente", tuitou seu partido, Peru Livre, já na noite de sexta-feira (11). Eleição no Peru: entenda por que a definição do vencedor ainda pode demorar dias O JNE, que analisa o contagem do órgão eleitoral (ONPE) e proclama o vencedor, está sob pressão de apoiadores de ambos os candidatos, que se manifestam diariamente em frente à sua sede, no centro de Lima.

Há feridos e um suspeito foi detido, segundo a imprensa local. VÍDEO: Carro-bomba explode em batalhão do exército na Colômbia Um carro-bomba explodiu na tarde desta-terça-feira (15) num batalhão do Exército Nacional da Colômbia na cidade de Cúcuta. Há feridos, segundo a imprensa local. Há veículos de imprensa afirmando que teriam sido duas explosões, mas ainda não foi divulgada informação a respeito. O canal de notícias Red+ afirma que seriam 55 feridos, mas não detalha a origem dessa informação. Fontes militares confirmaram ao jornal "El Tiempo" que um veículo carregado de explosivos foi detonado dentro da instalação. Um suspeito relacionado à ação foi detido. Explosão em Cúcuta - MAPA G1 Mundo O presidente Iván Duque condenou o ataque à 30ª Brigada do Exército. “Instruí o ministro da Defesa, Diego Molano, a ir à cidade e fazer as investigações para esclarecer esta lamentável situação", disse em rede social. Bombeiros e polícia estão no local para atender as vítimas. “Meu filho conseguiu me ligar e gritar comigo: 'Eles nos atacaram, mãe, eles nos atacaram'”, disse uma mãe de soldado que estava dentro do batalhão ao jornal "El Tiempo". No entanto, o jovem desligou e não deu mais detalhes.

C.B. “Sully” Sullenberger se tornou famoso ao pousar voo 1549 da US Airways no rio Hudson, em 2009, e salvar a vida de 155 pessoas a bordo, em caso que inspirou filme com Tom Hanks. Atual consultor de segurança aérea, ele será representante dos EUA no Conselho da Organização Internacional de Aviação Civil. O presidente Joe Biden ao lado de C.B. “Sully” Sullenberger Reprodução/Instragram/Captain Sully O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, nomeou nesta terça-feira (15) o piloto aposentado C.B. “Sully” Sullenberger como representante do país no Conselho da Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO, na sigla em inglês). Sully é atualmente consultor de segurança aérea e se tornou famoso em 15 de janeiro de 2009, quando pilotava o voo 1549 da US Airways, que teve seus dois motores avariados pouco depois de decolar de Nova York, após se chocar com um pássaro. Ele conseguiu pousar em segurança no rio Hudson, e todos os 155 passageiros e tripulantes a bordo sobreviveram. Passageiros e tripulantes do voo 1549 da US Airways são resgatados após pouso no rio Hudson, em 15 de janeiro de 2009 Reuters Na época, o então presidente George W. Bush telefonou para Sully para agradecer a ele por ter salvado a vida de todos, assim como o então presidente eleito Barack Obama, que também o recebeu como convidado em sua posse, em janeiro de 2009. O piloto recebeu uma série de condecorações e homenagens pela ação, e se aposentou após 30 anos de serviço, em 2010. O avião pousado por Sully é retirado do rio Hudson, em Nova Yok AP Milagre no Hudson O caso ficou conhecido como “Milagre no Rio Hudson”, e inspirou "Sully: O Herói do Rio Hudson" filme protagonizado por Tom Hanks e dirigido por Clint Eastwood. Lançado em 2016, ele teve seu roteiro adaptado de “Highest Duty: My Search for What Really Matters”, a autobiografia do piloto. Cão Sully, do ex-presidente George H.W. Bushi, participa de velório em 4 de dezembro, no Capitólio Jonathan Ernst/Reuters Seu nome também foi a inspiração para o leal cão de serviço do ex-presidente George H. W. Bush, que emocionou muita gente ao acompanhar o caixão de seu dono durante seu funeral, em dezembro de 2018. Vídeos: Os mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias
Imagens foram registradas por câmera de segurança de loja de conveniência em Fort Meyers, na Flórida. Polícia divulgou vídeo na esperança de que alguém reconheça o ladrão e ajude em sua captura. VÍDEO: Homem rouba bilhetes de loteria e volta para roubar cofre nos EUA Um homem invadiu uma loja de conveniência duas vezes na mesma noite, em Fort Meyers, na Flórida, para roubar bilhetes de loteria e dinheiro. Ele teve inclusive o trabalho de trocar de roupa e cobriu o rosto em ambas as ocasiões, mas imagens foram registradas pela câmera de segurança do local. Assista acima. Inicialmente, ele forçou a máquina onde ficam os bilhetes, do tipo “raspadinha”, e puxou as tiras, que foram arrastadas pela loja, deixando até alguns caídos para trás. Nesse primeiro roubo, ele vestia uma calça cor de vinho e uma camiseta preta, com um capuz da mesma cor que usou para cobrir o rosto. Algum tempo depois, voltou vestindo uma bermuda e um casaco de moletom cinza e preto, mais uma vez cobrindo o rosto com o capuz. Ele então aparece no vídeo carregando um pequeno cofre, que coloca no corredor – onde ainda há bilhetes de loteria no chão. Em seguida, retorna para trás do balcão, para tentar abrir o caixa, o que já não aparece nas imagens. Segundo a emissora NBC, o cofre estava vazio. Embora os roubos tenham acontecido no início de junho, apenas agora a polícia divulgou as imagens, esperando que alguém reconheça o ladrão e o identifique.

Com uma forte campanha de vacinação em massa, o país reduziu fortemente o número de novos casos e mortes pelo coronavírus mas segue como o mais afetado pela doença no mundo. Painel da Universidade Johns Hopking em 15 de junho de 2021 Reprodução Os Estados Unidos ultrapassaram nesta terça-feira (15) as 600 mil mortes pela Covid-19, segundo levantamento da universidade americana Johns Hopkins. O número de casos e mortes pelo coronavírus nos EUA vem diminuindo por conta do avanço no ritmo de vacinação, no entanto, o país é ainda o mais afetado pela doença no mundo. Números da Covid nos EUA: 33.478.513 casos 600.039 mortes Ritmo de mortes O ritmo das mortes por Covid-19 nos EUA vem desacelerando cada vez mais por conta do programa de vacinação em massa (leia mais adiante no texto). Dessa vez, foram precisos 113 dias para que o número avançasse dos 500 mil mortos para 600 mil. Esse foi o segundo período mais lento, durante toda a pandemia, para o registro de 100 mil mortes. O salto anterior, quando o país tinha ainda 400 mil mortos, para os 500 mil, durou apenas 35 dias. A média semanal de mortes pela Covid-19 nos EUA caiu em quase 90% do pico em janeiro. O país reportou 18.587 mortes relacionadas ao coronavírus em maio – cerca de 81% menos do que em janeiro, segundo os dados da universidade americana. Queda de casos O sucesso inicial do programa de vacinação dos EUA teve um grande impacto no ritmo das mortes no país. Veja abaixo a média móvel de casos de Covid-19 nos EUA, segundo a Johns Hopkins: Gráfico mostra a média móvel de casos de Covid nos EUA desde o início da pandemia UJH Vacinação nos EUA Os EUA aplicaram ao menos uma dose de vacina em mais de 3 milhões de pessoas, e cerca de 44% da população americana já recebeu as duas doses da vacina. Desde dezembro, os americanos vacinam a população contra a Covid-19, com as vacinas produzidas pelas farmacêuticas Pfizer/BioNTech e Moderna em regime de duas doses. Mais recentemente o país também aderiu ao uso do imunizante da Janssen (Johnson & Johnson) que requer apenas uma dose para a proteção completa.

Pesquisas sugerem que esterilizações forçadas, coagidas ou involuntárias foram verificadas em pelo menos 38 países no século 21. 'Fui forçado a me esterilizar para mudar de gênero no Japão', diz homem trans Reprodução/BBC Pesquisas sugerem que esterilizações forçadas, coagidas ou involuntárias foram verificadas em pelo menos 38 países no século 21. Em 2020, a Comissão para a Igualdade de Gênero da África do Sul publicou um relatório sobre o tema, que citou casos 48 de mulheres. Zishilo Dludla, de 50 anos, é uma delas. Ela diz que foi esterilizada em 2011, ao dar à luz sua terceira filha, por ser portadora do vírus HIV. "A equipe disse: 'Estamos dizendo que vamos te esterilizar'. Eu respondi: 'Não vou ser esterilizada'. Eles começaram a chamar outros enfermeiros: 'Ei, venham aqui, ouçam o que ela está dizendo. Ela não pensa. Ela tem um cérebro pequeno, não se importa nem tem amor próprio", relata a sul-africana. O hospital diz que, segundo os registros médicos, Zishilo consentiu em ser esterilizada. Longe dali, no Japão, é preciso ser esterilizado para poder mudar de gênero no registro civil. Além disso, a lei do país estabelece outras exigências como não ser casado, não ter filhos menores de idade e ter a genitália semelhante à do gênero desejado. Fumino Sugiyama, de 39 anos, é um homem trans que não pode mudar seus documentos porque ainda tem útero e ovários. Por isso, ele não tem a guarda de nenhum de seus dois filhos nem consegue se casar, já que o Japão não reconhece a união entre pessoas do mesmo sexo. "Posso parecer um homem de meia-idade. Mas, para o registro civil, sou uma mulher", diz Sugiyama, que já retirou os seios e toma injeções de testosterona. Para mudar de gênero legalmente, Kento Inoue decidiu ser esterilizado. Ele fez a cirurgia de readequação quando tinha 25 anos. "Se tivesse a mesma mentalidade que tenho hoje, acho que não teria retirado meu útero nem meus ovários. Não teria feito a cirurgia se a lei fosse diferente." O Ministério da Justiça japonês diz que “trabalhou em conjunto com a Dieta [congresso do país] em discussões sobre esse tema e vai seguir ouvindo diversas opiniões para discutir posteriormente se vai ou não revisar os requisitos para mudança de gênero, baseando-se nas discussões na Dieta”. Confira no vídeo.

Animal chega a bater contra vidro da residência antes de se virar e ir embora. Imagens foram capturadas durante a madrugada por uma câmera de segurança. Aligátor é filmado 'espiando' casa na Flórida, EUA Um aligátor – espécie de jacaré americano – foi filmado "espiando" para dentro de uma casa no estado americano da Flórida (veja no vídeo acima). O animal de quase 3 metros de comprimento chega a bater contra o vidro da residência antes de se virar e ir embora trombando contra uma espreguiçadeira. Mulher encontra jacaré de mais de 2 metros na garagem de casa nos EUA As imagens foram capturadas durante a madrugada de sábado (12) por uma câmera de segurança e assustaram os moradores de Manatee County, próximo a cidade de Tampa. Steve Farkas, dono da propriedade, contou à televisão local que essa não foi a primeira vez que recebeu a visita de um aligátor, há um ano, um bebê jacaré fez o mesmo trajeto. Aligátor visita casa na Flórida, EUA, em 12 de junho de 2021 Reprodução/NBC “É muito bizarro que mais ou menos um ano depois, nós recebemos a visita de um adulto na porta da frente", disse Farkas à WFLA, afiliada da rede americana NBC. O animal não foi encontrado e os vizinhos compartilharam informações em grupos do bairro para que todos se certifiquem de fechar bem as portas e cuidar para que seus pets não saiam sem vigilância. Autoridades do serviço de proteção animal informaram que os aligátors costumam ser mais ativos durante os meses do verão e que o cuidado deve ser redobrado.

Jennifer Rocha ajudava os pais, imigrantes mexicanos, na colheita de morangos desde que estava na escola. Com o dinheiro do campo, ela pôde se formar em sociologia na Universidade da Califórnia, em San Diego. Filha de trabalhadores rurais homenageia pais em ensaio de formatura nos EUA A estudante americana Jennifer Rocha, de 21 anos, resolveu fazer uma homenagem aos pais, trabalhadores rurais, durante seu ensaio fotográfico de formatura. Ela levou as roupas usadas na cerimônia para o meio de uma plantação e posou ao lado da família. Filha de imigrantes mexicanos nos Estados Unidos, Rocha começou a ajudar os pais no campo quando ainda estava no ensino médio. Ela conta que mesmo durante a faculdade, que fazia em outra cidade, voltava todos os fins de semana para o trabalho pesado. "Se não fosse pela forma como meus pais me criaram, eu não sei quem eu seria hoje", disse Rocha à comissão de formatura. "Ter experiência no campo me motivou a trabalhar duro." Jovem da Califórnia faz sessão de fotos de formatura em homenagem aos pais, trabalhadores rurais e imigrantes mexicanos nos EUA Branden Rodriguez/@branden.shoots Com o dinheiro tirado da plantação, eles puderam financiar os estudos da jovem no curso de sociologia da prestigiosa Universidade da Califórnia, em San Diego. Ela agora quer se especializar em direito e poder defender os trabalhadores do campo. "Eu sou tão conectada aos trabalhadores do campo que eu quero trabalhar com o sindicato do setor para defendê-los e assim poder fazer a diferença", disse a jovem em entrevista ao canal Telemundo, braço em espanhol da rede americana NBC. Jennifer Rocha posa ao lado dos pais em ensaio de formatura para fazer homenagem aos dois que são trabalhadores rurais e imigrantes mexicanos nos EUA Branden Rodriguez/@branden.shoots Rocha conta que sua rotina era bastante pesada, mas que nunca pensou em desistir. O plantio dos morangos acontece em um horário específico, a partir das 18h, e a jornada de trabalho podia chegar a quase dez horas seguidas. "Ninguém pensa, nem vê o que acontece, por trás de um vegetal que você pega no supermercado. Mas por trás disso está alguém que dá o sangue todos os dias trabalhando no campo", disse Rocha. Jennifer Rocha posou para ensaio da formatura na plantação de morangos em que trabalhou com os pais, imigrantes mexicanos, nos EUA Branden Rodriguez/@branden.shoots O pai da jovem formanda, o agricultor José Juan, se diz orgulhoso da trajetória da filha. Ele mesmo, assim como a esposa, não terminou os estudos. Jennifer é a caçula de 3 irmãs, todas com diploma de graduação nos EUA. "Nós temos muito orgulho dela e damos graças à Deus que tudo tenha dado certo e que ela mesma tenha encontrado essa vontade de seguir com os estudos", disse o pai. Angélica Maria Duarte, mãe da jovem, conta que quando se sentia cansada durante uma longa jornada de trabalho, pensava na filha e encontrava forças para seguir adiante. "O trabalho no campo constrói e molda um tipo diferente de caráter", disse a estudante. "De quem não desiste e quem tem resiliência e força para superar as dificuldades.” Filha homenageia pais, trabalhadores rurais e imigrantes nos EUA, durante ensaio de formatura Branden Rodriguez/@branden.shoots A jovem também espera, com seu exemplo, mostrar aos filhos de imigrantes nos EUA que há outros caminhos a se seguir e que eles nunca devem se esquecer de suas origens. "Para todos os latinos por aí, continuem trabalhando duro e deixando seus pais orgulhosos e não se esqueçam de onde vocês vieram", disse Rocha. Jovem filha de imigrantes mexicanos se forma nos EUA e faz sessão de fotos em fazenda onde os pais trabalham Branden Rodriguez/@branden.shoots
Assinatura ocorreu no Planalto em cerimônia com Jair Bolsonaro. Iniciativa dos EUA pretende levar primeira mulher e primeira pessoa negra à Lua em 2024. O governo federal assinou nesta terça-feira (15) um acordo de cooperação que oficializa a participação do Brasil no programa Artemis. A iniciativa é desenvolvida pela Agência Espacial dos Estados Unidos (Nasa) para levar novamente voos tripulados por humanos à Lua. O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Marcos Pontes, assinou o acordo em cerimônia com o presidente Jair Bolsonaro. Por enquanto, não há previsão de investimentos por parte do governo brasileiro. O Artemis estabelece diretrizes de exploração pacífica da superfície lunar com parceiros comerciais e internacionais. O programa pretende enviar a primeira mulher e o próximo homem à Lua em 2024. A iniciativa também deve levar a primeira pessoa negra ao satélite natural terrestre. O último pouso humano na Lua foi em 1972. Em abril, a Nasa selecionou a empresa privada SpaceX para levar os astronautas – veja vídeo abaixo: NASA fecha acordo com empresa privada para levar homem à Lua LEIA TAMBÉM: NASA: Como são os planos da Nasa para levar a primeira mulher à Lua até 2024 RECORDE: Astronauta americana bate recorde de voo espacial único mais longo já feito por uma mulher PIONEIRA: Katherine Johnson, matemática negra que ajudou a Nasa a ir para a Lua, morre aos 101 anos Brasil no Artemis O Brasil passa a ser mais um dos países participantes do programa americano, que também visa desenvolver tecnologias e experiências para uma futura missão humana ao planeta Marte. Segundo o governo Bolsonaro, o Brasil é, até o momento, o único país da América Latina a participar do Artemis. Ao todo, 12 países estão na lista, entre os quais, Austrália, Canadá, Itália, Japão, Reino Unido e Coreia do Sul. Pontes, que foi o primeiro brasileiro a ir ao espaço, explicou que o voo inicial deve ter astronautas americanos. Nos voos seguintes, os demais países do Artemis terão oportunidade de enviar seus profissionais. "Um dos meus sonhos é ter mais astronautas no Brasil. Não pode [posso] ficar sozinho", disse. De acordo com a embaixada dos EUA, os acordos Artemis reúnem princípios para implementar o Tratado Espacial Exterior de 1967, além de orientar a cooperação na exploração espacial entre os países que participam do programa. Nasa desenvolve trajes para mulheres pisarem na Lua A lista de princípios da iniciativa inclui “exploração pacífica, transparência, interoperabilidade, prestação de assistência emergencial e liberação pública de dados científicos”. Bolsonaro afirmou, em discurso, que a participação no Artemis demonstra que o Brasil tem "admiração" e "reconhecimento" no "mundo tudo". "O Brasil tem um potencial enorme e vai mostrar o seu valor agora, neste grande acordo, neste projeto Artemis, não apenas pra levar uma mulher ao espaço, mas o que nós podemos trazer do espaço pra aplicarmos aqui na Terra", disse o presidente. Segundo Bolsonaro, o objetivo do governo é estimular os jovens a se interessar por pesquisas na área. O presidente destacou que o centro espacial de Alcântara, no Maranhão, pode ser usado para lançamentos de satélites e foguetes. Pontes disse que a entrada do Brasil no Artemis é um "pequeno passo" para o ministério e um "grande salto" para o programa espacial brasileiros – uma referência à fala do americano Neil Armstrong, primeiro homem a pisar na lua em 1969, quando disse que se tratava de um "pequeno passo para o homem", mas um "grande salto para humanidade". "É um esforço da humanidade para conquistar o espaço profundo. Esse é um esforço que o Brasil não poderia ficar de fora de jeito nenhum", disse o ministro. Pontes explicou que cientistas, universidades e empresas brasileiros poderão participar das pesquisas para criar tecnologias capazes de viabilizar a exploração da lua e a ida até Marte. O Brasil participa dentro de suas "possibilidades financeiras" e, por enquanto, não deve aportar recursos próprios.

'Marcha da Bandeira' celebra o aniversário da 'reunificação' de Jerusalém em 1967 e é uma provocação para palestinos, que tentam impedir a passeata e foram dispersados pela polícia. Israelenses agitam bandeiras do país do lado de fora da Cidade Velha de Jerusalém, em 15 de junho de 2011, na "Marcha das Bandeiras" Ronen Zvulun/Reuters O novo governo de Israel enfrenta nesta terça-feira (15) o seu primeiro teste, com uma marcha da extrema-direita por Jerusalém Oriental que pode reacender o conflito com o Hamas, que governa a Faixa de Gaza. A "Marcha das Bandeiras" celebra o "Yom Yerushalaim" ("Dia de Jerusalém"), quando os israelenses comemoram o aniversário da "reunificação" da Cidade Sagrada após a Guerra dos Seis Dias, em 1967. A concentração para a passeata começou por volta das 11h (horário de Brasília). Nela, israelenses radicais passeiam por áreas da Cidade Velha de Jerusalém, na parte Oriental da cidade. A marcha é considerada uma "provocação" por palestinos, que se organizaram para impedi-la e marcaram protestos para o mesmo horário em Gaza e na Cisjordânia. Antes da passeata, a polícia israelense dispersou centenas de palestinos perto do portão de Damasco, na entrada da Cidade Velha (veja mais abaixo). Forças de segurança israelenses dispersam palestinos perto do portão de Damasco, em Jerusalém Oriental, em 15 de junho de 2021, antes da "Marcha das Bandeiras" Ahmad Gharabli/AFP Polícia israelense detém palestino em meio às tensões antes da 'Marcha das Bandeiras', passeata de israelenses de extrema-direita na Cidade Velha de Jerusalém, em 15 de junho de 2021 Ammar Awad/Reuters Manifestante palestino gesticula contra forças policiais israelenses durante protesto contra a 'Marcha das Bandeiras', em que grupos israelenses de extrema-direita comemoram a "conquista" de Jerusalém Oriental, em 15 de junho de 2021 Mussa Qawasma/Reuters Importância da Cidade Velha Israel considera Jerusalém sua capital indivisível. Palestinos consideram a parte leste da cidade como um território ocupado (assim como a comunidade internacional) e querem transformá-la na capital de um futuro estado da Palestina. É na parte Oriental de Jerusalém que fica a Cidade Velha — e, dentro dela, locais sagrados para o islamismo, o judaísmo e o cristianismo como a Esplanada das Mesquitas, a Torre de Davi e o Santo Sepulcro (veja mapa abaixo). A Esplanada das Mesquitas é chamada pelos muçulmanos de Al-Haram al-Sharif (Nobre Santuário) e pelos judeus de Har HaBayit (Monte do Templo). Ela abriga o Domo da Rocha, a mesquita Al-Aqsa (A Distante) e o Muro das Lamentações, vestígio do templo judaico destruído pelos romanos no ano 70. O local é o mais sagrado do judaísmo e o terceiro mais sagrado do Islã (depois de Meca e Medina). A "Marcha das Bandeiras" seria realizada em 10 de maio, coincidindo com o fim do Ramadã (mês sagrado de jejum e oração para os muçulmanos), mas foi desviada no último minuto para longe do Portão de Damasco, da Cidade Velha e do Bairro Muçulmano para evitar conflitos. Mas, mesmo após o redirecionamento, a marcha ajudou a desencadear o conflito de 11 dias entre Israel e Hamas que deixou mais de 250 mortos (a esmagadora maioria do lado palestino). VEJA TAMBÉM: Esplanada das Mesquitas, local sagrado e sensível de Jerusalém Por que Israel e Hamas reivindicam vitória após cessar-fogo Pessoas seguram bandeiras do Hamas em 7 de maio de 2021 em frente ao Domo da Rocha, na Esplanada das Mesquitas, na Cidade Velha de Jerusalém Ammar Awad/Reuters Reação palestina Além de convocar protestos para o mesmo horário em Gaza e na Cisjordânia, palestinos se mobilizaram para tentar impedir a marcha. O Hamas, que controla a Faixa de Gaza, e o Fatah, que administra a Cisjordânia, pediram aos palestinos que fossem para a Cidade Velha. "Advertimos sobre as repercussões perigosas que podem resultar da intenção da potência ocupante de permitir que colonos israelenses extremistas realizem a Marcha das Bandeiras em Jerusalém ocupada", disse o primeiro-ministro palestino, Mohammad Shtayyeh, em uma rede social. O enviado da ONU para o Oriente Médio, Tor Wennesland, pediu "a todas as partes que atuem com responsabilidade e evitem provocações que possam levar a um novo ciclo de confrontos". A embaixada dos Estados Unidos em Jerusalém pediu a seus funcionários que não compareçam à Cidade Velha de Jerusalém, devido à marcha e às "possíveis contramanifestações". Israelenses caminham com bandeiras fora da Cidade Velha de Jerusalém, em 15 de junho de 2011, durante a "Marcha das Bandeiras", passeata da extrema-direita do país que comemora a "conquista" de Jerusalém Ronen Zvulun/Reuters Palestinos protestam no norte da Faixa de Gaza contra a "Marcha das Bandeiras", passeata de grupos israelenses de extrema-direita dentro e ao redor da Cidade Velha, em Jerusalém Oriental, que comemoram a "conquista" da Cidade Sagrada durante a Guerra dos Seis Dias Mohammed Salem/Reuters Novo governo de Israel A marcha ocorre no segundo dia de governo do novo primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett, que conseguiu formar uma coalização que destronou Benjamin Netanyahu, o premiê mais longevo da história do país, após 12 anos. Bennett é de um partido de extrema-direita, mas para conseguir formar um governo se juntou ao progressista de centro Yair Lapid e fez uma coalizão improvável de oito partidos: dois de esquerda, dois de centro, três de direita e um árabe. A coalizão foi aprovada por um triz, em uma votação apertada que fez muita gente duvidar da sua viabilidade até o último segundo. No final, foram 60 votos a favor e 59 contra. Um parlamentar se absteve. VEJA TAMBÉM: Parlamento de Israel confirma nova coalizão de governo e tira Netanyahu do poder Entenda como Netanyahu foi tirado do poder em Israel por uma coalizão que inclui direita, esquerda e árabes O novo primeiro-ministro de Israel, Naftali Bennett (à direita), e o primeiro-ministro suplente e ministro das Relações Exteriores, Yair Lapid Gil Cohen-Magen/AFP Na segunda-feira à noite (14), o novo ministro da Segurança Interna, Omer Bar-Lev, decidiu manter a manifestação, apesar dos pedidos de suspensão por parte de deputados árabes israelenses e de líderes palestinos. "O direito de manifestação é um direito de todos na democracia", afirmou o gabinete do ministro em um comunicado para justificar a decisão. "A polícia está preparada e faremos tudo o que estiver em nossas mãos para preservar o delicado tecido da convivência". O ministro da Defesa israelense, Benny Gantz, se reuniu com chefes de polícia, militar e de inteligência nesta terça-feira (15) e "ressaltou a necessidade de evitar atritos e proteger a segurança pessoal dos cidadãos israelenses, judeus e árabes", disse seu gabinete. VÍDEOS: as últimas notícias internacionais

Jovem de origem eslovaca foi encontrado caído em um pátio interno. A polícia ainda investiga possíveis causas do incidente. Hotel Bauer Palazzo, em Veneza, com vista do Grande Canal, foto de maio de 2012 Tony Hisgett/CC BY 2.0 Um turista morreu ao cair do 5º andar de um hotel de luxo em Veneza, na Itália, nesta terça-feira (15), informaram as autoridades locais. O jovem, de 22 anos, era um viajante da Eslováquia e estava hospedado no Hotel Bauer Palazzo, localizado no centro da cidade italiana. A edição local do jornal "Corriere della Sera" noticiou que uma equipe de resgate foi acionada e tentou prestar atendimento ainda no local da queda, mas que ele já estava sem vida quando chegaram. Segundo relatos da imprensa, ele teria sido encontrado em um pátio interno da construção durante a manhã, mas é possível que a queda tenha ocorrido na madrugada. A polícia ainda investiga as possíveis causas do incidente. LEIA TAMBÉM Volta dos cruzeiros em Veneza gera protestos Turistas são multados em mais de R$ 18 mil por levarem areia da praia na Itália VÍDEOS mais vistos do G1

Homem-bomba disfarçado de soldado detonou os explosivos entre os recrutas que aguardavam em fila diante de base na zona leste da cidade. Ambulância transportando feridos de ataque suicida a base militar chega ao Hospital Madina, em Mogadíscio, capital da Somália, em 15 de junho de 2021 Feisal Omar/Reuters Ao menos 15 pessoas morreram nesta terça-feira (15) em um atentado suicida em Mogadíscio, capital da Somália, contra um centro de treinamento do exército. Um homem-bomba disfarçado de soldado detonou os explosivos entre os recrutas que aguardavam em uma fila diante da base General Dhegobadan, na zona leste da cidade, segundo o oficial Mohamed Adan. Adan afirmou que 15 recrutas morreram, mas alertou que o número pode crescer. Nenhum grupo assumiu a autoria do ataque até o momento. Soldado somali ferido em ataque suicida a base militar em Mogadíscio, capital da Somália, recebe ajuda ao deixar o Hospital Madina em 15 de junho de 2021 Feisal Omar/Reuters O ataque é um dos mais mortais dos últimos 18 meses na capital somali, que é cenário frequente de ataques dos shebab, grupo islamita vinculado à Al-Qaeda que defende o fim do governo apoiado pela comunidade internacional. Em 28 de dezembro de 2019, um ataque com carro-bomba contra um posto de controle em um bairro movimentado de Mogadíscio deixou ao menos 81 mortos. O atentado não foi reivindicado pelos shebab. Mulher se desespera ao receber a confirmação de que seu filho foi morto no ataque suicida a uma base militar em Mogadíscio, na Somália, em 15 de junho de 2021 Feisal Omar/Reuters VÍDEOS: as últimas notícias internacionais

Mais de 11 mil estudantes participaram do evento na cidade que foi o epicentro da pandemia. Pouquíssimos utilizavam máscaras na cerimônia, que ocorreu na tarde de domingo. Graduandos participam de cerimônia na Central China Normal University, em Wuhan, na província de Hubei, em 13 de junho de 2021. Formatura inclui estudantes que não tiveram cerimônia no ano passado devido à pandemia do novo coronavírus. Reuters Mais de 11 mil estudantes participaram de uma grande cerimônia de formatura em Wuhan, na China, cerca de 14 meses após a suspensão das restrições na cidade que foi o epicentro da pandemia. Os 11 milhões de habitantes de Wuhan, na província de Hubei, foram colocados sob quarentena a partir de 23 de janeiro de 2020, evidenciando a gravidade do vírus que depois se propagou pelo mundo. A cidade ficou 76 dias sob confinamento estrito e só começou a retomar à normalidade, de maneira progressiva, a partir de abril de 2020. O mesmo ocorreu depois com outras regiões do país, onde o contágio foi controlado. Wuhan tem uma população similar à da cidade de São Paulo, é conhecida na China por ter mais de 100 universidades e sua posição geográfica no país é estratégica (veja no vídeo abaixo). LEIA TAMBÉM: Estudo com moradores de Wuhan, epicentro da pandemia, reforça necessidade de vacinas 1º epicentro da Covid-19, Wuhan volta à vida normal; brasileiros falam sobre vida na cidade VÍDEO: primeiro epicentro de Covid-19, Wuhan, na China, volta à vida normal Pouquíssimos utilizavam máscaras na cerimônia, que ocorreu na tarde de domingo (13). Entre os estudantes estavam mais de 2,2 mil que deveriam ter recebido o diploma no ano passado, mas a cerimônia foi adiada devido à epidemia. Segundo os números oficiais do governo chinês, o país registrou pouco mais de 90 mil casos de Covid-19 e 4.636 mortes desde o início de 2020 — a maioria em Wuhan. Graduandos participam de cerimônia na Central China Normal University, em Wuhan, na província de Hubei, em 13 de junho de 2021. Formatura inclui estudantes que não tiveram cerimônia no ano passado devido à pandemia do novo coronavírus. Reuters Graduandos participam de cerimônia na Central China Normal University, em Wuhan, na província de Hubei, em 13 de junho de 2021. Formatura inclui estudantes que não tiveram cerimônia no ano passado devido à pandemia do novo coronavírus. Reuters VÍDEOS: as últimas notícias internacionais

Rick Ross já fez 500 intervenções para convencer pessoas a deixarem seitas religiosas e grupos ofensivos. Por conta de seu trabalho, que se tornou uma atividade integral, ele recebe ameaças rotineiramente. Representação do líder da seita Ramo Davidiano, David Koresh; Rick Ross ajudou alguns de seus seguidores a deixar o grupo nos anos 90 Getty Images via BBC Enquanto seitas prometem uma nova vida para quem começar a segui-las, o americano Rick Alan Ross trabalha correndo contra o tempo para reverter o que chama de "lavagem cerebral" feita por grupos religiosos radicais ou que promovem o ódio. Seu trabalho integral é de "desprogramador de seitas", como é conhecido pela imprensa. Através de intervenções — ele já fez mais de 500 —, o americano ajuda pessoas a deixarem de seguir grupos perigosos. "Na essência, todos esses grupos são muito parecidos: um líder totalitário que se torna foco de adoração; um processo de doutrinação que resulta em influências indevidas; e a exposição de pessoas ao risco, uma vez que o grupo de fato se torna destrutivo", explica Ross à BBC. 'Alguns grupos já até compraram meu lixo para obter informações sobre mim', conta Ross Rick Alan Ross/Arquivo pessoal Hoje com 60 anos de idade, ele convive há tempos com ameaças. "Já fiquei sob proteção do FBI (polícia federal dos EUA) e do Departamento de Justiça, já fui perseguido por detetives particulares, processado judicialmente cinco vezes… Alguns grupos já até compraram meu lixo para obter informações sobre mim." Os problemas trazidos por estes grupos, diz Ross, são mais amplos do que parece. 'Meu filho foi pego. Você pode ajudar?' No último século, acontecimentos horríveis promovidos por seitas chegaram às manchetes. Houve o famoso massacre de Jonestown, quando mais de 900 pessoas morreram por suicídios e assassinatos em uma comunidade fundada pelo líder cristão Jim Jones, no ano de 1978 (relembre no vídeo abaixo); os assassinatos perpetrados por seguidores da "Família Manson" em 1969; e os crimes de tráfico sexual da seita Nxivm, que levou seu líder a uma condenação de 120 anos de prisão. VEJA TAMBÉM: Massacre de Jonestown: o que levou ao maior suicídio coletivo da história Os vestígios brasileiros no suicídio coletivo mais famoso da história O suicídio em massa dos membros da seita de Jim Jones Ross desempenhou um papel nesse julgamento, testemunhando e expondo as táticas do grupo em outubro do ano passado. "Olhamos para essas seitas e pensamos: eles são muito doidos. Mas não percebemos que dentro desses grupos, tudo o que está fora está sendo submetido à manipulação", disse Ross em entrevista ao programa de rádio da BBC Outlook. Uma seita pode atingir o senso de realidade de uma pessoa e forçá-la a construir um novo, criando uma ruptura entre o que o grupo diz ser real e o que realmente é real. Ross passou por isso em sua vida pessoal, quando tinha cerca de 30 anos de idade e foi visitar a avó em uma casa de repouso no Estado do Arizona. Ela lhe contou que uma enfermeira estava tentando levá-la para um controverso grupo religioso que visava a conversão de judeus. "Fiquei muito chateado, senti que queria protegê-la. Procurei o diretor da casa de repouso, e uma investigação foi aberta. Descobriu-se que uma seita havia planejado secretamente que alguns de seus membros trabalhassem no asilo, com o objetivo de chegar aos idosos." VEJA TAMBÉM: Escândalo da Nxvim: por que é tão difícil parar uma seita A 'seita sexual' que levou herdeira de fortuna à prisão nos EUA Keith Raniere, líder da seita Nxivm, foi condenado em outubro do ano passado Reuters Ele então passou a trabalhar em um programa para apoiar prisioneiros judeus, que também eram alvos de grupos religiosos extremistas ou de ódio. No começo, ele dividia a rotina com o comércio de carros antigos em um ferro-velho. Depois, ele se tornou um "desprogramador" em tempo integral. "Comecei a receber mensagens de famílias dizendo: 'Olha, não sei o que fazer. Meu filho, minha filha está envolvida neste grupo. Você pode ajudar?'." "Ao lado de um psicólogo, passei a conversar com essas pessoas." "As famílias ficavam muito aliviadas, porque muitos desses grupos eram perigosos. Alguns deles abusavam de crianças, alguns eram violentos. Muitos levaram as pessoas ao sofrimento psicológico e ao afastamento da família." A técnica da 'desprogramação' Segundo Ross, sua técnica "sempre seguiu o mesmo processo básico, mas foi se tornando cada vez mais sofisticada". "Trata-se de voltar ao processo de recrutamento e examiná-lo: quais técnicas foram usadas para recrutar uma pessoa? Eles foram enganosos? Prenderam a vítima no grupo, de alguma forma?" Para criar um sentimento de pertencimento exclusivo, seitas podem empregar da pressão coletiva à hipnose, além da privação de comida e do contato físico. Para descobrir estas estratégias, porém, é preciso que o "desprogramador" converse com a vítima por muitas horas. Também ajuda pesquisar muito sobre a seita em questão e seus termos — para que Ross consiga conversar com seus seguidores na "mesma língua". A primeira intervenção costuma acontecer de surpresa, para evitar que a seita sabote o trabalho. "A pessoa poderia ir até o grupo e contar: 'Minha família quer conversar comigo sobre meu envolvimento neste grupo. O que vocês acham que devo fazer?'. O grupo diria: 'Não vá.'" Entretanto, Ross reconhece que a intervenção surpresa muitas vezes não leva a boas reações — e sim à raiva e à tristeza, com a pessoa sentindo-se "encurralada". "A família vai falar à pessoa de suas preocupações. Explicarei o motivo de estar ali. É um diálogo que normalmente dura dois ou três dias", diz o "desprogramador", que estima sua taxa de sucesso entre sete e 10. "Ou seja, ao final da intervenção, cerca de 70% das pessoas dirão: 'vou dar um tempo do grupo'." Ameaças de morte Ross já foi acusado de restringir as liberdades religiosas Starz Entertainment Em meados dos anos 1980, o trabalho de Ross começou a ganhar espaço na imprensa. Conforme isso aconteceu, ele se tornou também cada vez mais visado pelos mesmos grupos que tentava combater. "Fui chamado, sabe, de Satanás... e palavras que não vou repetir. Existem grupos que realmente têm ressentimento e me odeiam." "Mas simplesmente percebi que o fato desses grupos não gostarem de mim era uma evidência de que estava tendo algum impacto. Eles estavam preocupados com a perda de seguidores, porque frequentemente a desprogramação teria um efeito cascata." A primeira ameaça de morte que o americano recebeu foi em 1988, quando denunciou na TV o líder de uma seita. Desde então, foram várias outras. "Diria que não há um mês em que não receba alguma ameaça por e-mail ou que o Departamento de Justiça não me envie um aviso sobre um grupo ter me colocado na sua lista de alvos." Ross também já recebeu duras críticas, como a de odiar as religiões ou de alguma forma tentar, com seu trabalho, restringir a liberdade religiosa. Suas técnicas de desprogramação também já foram acusadas de modificar comportamentos de forma forçada, ou de serem uma "lavagem cerebral" em si mesmas. Ross responde que só atua contra grupos que representem algum tipo de perigo para seus seguidores. "Estou focado no comportamento, não na crença. As pessoas podem acreditar em todos os tipos de coisas com as quais não concordaria, mas, se não fizerem mal, se não machucarem as crianças, se não tiverem um comportamento destrutivo, elas nunca estarão no meu radar." Desprogramações involuntárias A principal polêmica em torno do trabalho de Ross diz respeito à desprogramação involuntária — quando a vítima não consente o processo, que pode envolver restrições físicas. Isso é legalizado nos EUA para menores, sob supervisão dos pais ou responsáveis. Mas para adultos, a questão é mais complicada. Dos mais de 500 casos que Ross já atendeu, ele diz que cerca de dez foram desprogramações involuntárias. "(Nesses caso) A família decidiu que era a última alternativa para salvar alguém que amava. Podia ser uma escolha controversa no sentido de que não é certo forçar alguém contra sua vontade. Mas, dadas as opções, eles (parentes) viam isso como um mal menor. E estava disposto a trabalhar com eles." "Às vezes, era questão de vida ou morte. Por exemplo, tive um caso em que uma pessoa precisava tomar insulina, e o grupo dizia para ela parar." Sua última intervenção involuntária, e também a mais famosa, foi a de Jason Scott em 1991. A mãe de Jason havia se envolvido e depois se desentendido com uma seita, desejando sair, junto com seus três filhos adolescentes. "Ela estava terrivelmente angustiada. Um de seus filhos havia sido abusado sexualmente, o que a levou a querer deixar o grupo. E ela sabia que Jason estava prometido em um casamento arranjado com uma mulher do grupo." Ross foi contratado. Ele conseguiu desprogramar os dois filhos mais novos, mas Jason, com 18 anos, recusou. Ele lutou contra os seguranças que sua mãe havia contratado e acabou sendo levado à força para um esconderijo. Lá, Ross conversou com o jovem e com outros membros da família por cerca de cinco dias. No final, Jason parecia ter mudado. Mas não: ele fugiu, voltou à seita e denunciou Ross à polícia, que foi detido e acusado de executar uma prisão ilegal. Ele foi absolvido, mas o caso não parou aí. Em 1995, Jason processou Ross, dizendo ter sido vítima de tratamento depreciativo, intimidação, violência e vigilância constante durante a intervenção. A Justiça considerou Ross responsável por uma conspiração que privou Jason de seus direitos civis e liberdades religiosas. Foi determinado que ele pagasse mais de US$ 2 milhões em danos. "Declarei falência. Foi um momento muito difícil da minha vida", lembra o americano. Mas em uma nova reviravolta, Jason acabou se reconciliando com seus irmãos e a mãe e fez um acordo com Ross, que agora precisaria pagar apenas US$ 5 mil, e não mais US$ 2 milhões. Jason pediu também ajuda para desprogramar a esposa, que ainda frequentava o grupo. "Isso é o que costuma acontecer em uma reprogramação falha. A pessoa recebe muitas informações e pode não agir imediatamente, mas talvez o faça mais tarde. Jason basicamente deixou o grupo por muitos dos motivos que nós discutimos na intervenção." Este caso, entretanto, o fez questionar algumas de suas práticas. "Independentemente das circunstâncias, decidi nunca mais fazer uma desprogramação involuntária em um adulto", diz ele. Alguns de seus casos mais bem-sucedidos, por sua vez, levaram a relações longas. "Algumas pessoas mantêm contato, me enviam cartões de Natal, me convidam para casamentos. Agradeço muito. Uma mulher que ajudei a sair de um grupo que esterilizava seus membros, quando teve seu primeiro filho, me mandou uma foto do bebê." VEJA TAMBÉM: Aquário nos EUA aceita ingresso guardado durante 37 anos Raro desabrochar de 'flor cadáver', com cheiro de carne decomposta, atrai multidão em Varsóvia; assista VÍDEOS: as últimas notícias internacionais

Rachel Carle ganhou bilhete de sua tia-avó, que o recebeu por chegar ao local perto do horário de fechamento – em novembro de 1983 – para voltar outro dia. Apesar de não oferecer mais o serviço há cerca de 25 anos, aquário honrou o compromisso e permitiu que jovem entrasse. Ingresso do New England Aquarium, em Boston, emitido em novembro de 1983 Reprodução/Twitter/Rachel Carle O New England Aquarium, em Boston, aceitou no dia 10 de junho um ingresso comprado há 37 anos, que permitia que seu proprietário retornasse “a qualquer momento no futuro”. Rachel Carle, de 26 anos, ganhou o bilhete de sua tia-avó, Catherine Capiello, que foi visitar o local em novembro de 1983, segundo o jornal “Boston Herald”. Mas, como chegou perto do horário de fechamento, recebeu um ingresso que dava direito a retornar em outro dia, quando quisesse. Carle postou em seu perfil uma foto do bilhete, um pouco amarelado, mas relativamente bem conservado (veja acima). LEIA TAMBÉM: Como um 'desprogramador de seitas' já salvou centenas de pessoas de grupos perigosos Raro desabrochar de 'flor cadáver', com cheiro de carne decomposta, atrai multidão em Varsóvia; assista Cappiello, que vive em Trenton, Nova Jersey, guardou o bilhete e acabou ficando com ele como recordação. Ela o deu de presente a Carle há alguns meses, quando esta se mudou de Washington para Boston para estudar política pública na Universidade de Harvard. A presidente do Aquário, Vikki Spruill, disse ao jornal que esse tipo de ingresso deixou de ser concedido há cerca de 25 anos, mas que é normal que apareça em média um visitante por ano apresentando um. “Honramos cada bilhete válido, e esse foi mais um”, disse Spruill. “Quase quarenta anos é um longo tempo para se manter um ingresso, e estamos contentes que ela o tenha feito”. O New England Aquarium é uma das atrações mais populares de Boston e uma instituição de pesquisa. Ele foi fechado temporariamente duas vezes em 2020 e reabriu novamente para visitantes em fevereiro deste ano. Vídeos: Os mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias

Florações de planta nativa de Sumatra são raras e imprevisíveis e podem levar anos entre uma e outra. Flor emite cheiro de carne podre para atrair insetos polinizadores que são carnívoros, e decai em poucas horas; em risco de extinção, cada exemplar pode atingir até três metros de altura. Visitantes observam a rara floração da Sumatram Titam arum, ou flor cadáver, no Jardim Botânico da Universidade de Varsóvia, no domingo (13) AP Photo/Monika Scislowska Uma multidão esperou horas em fila para ver a rara e rápida floração de uma gigante e fedorenta Sumatram Titan arum, também conhecida como flor cadáver, no Jardim Botânico da Universidade de Varsóvia, na Polônia, no domingo e na segunda-feira (14). A flor, que emite um cheiro semelhante ao de carne em decomposição para atrair insetos polinizadores carnívoros, já começou a decair na segunda-feira (assista ao vídeo abaixo). Universidade de Varsóvia transmite floração da "flor cadáver" Aqueles que desejaram evitar as filas – e o mau cheiro – puderam assistir todo o processo ao vivo em um vídeo disponibilizado pela Universidade de Varsóvia. Quem optou por ir até o Jardim Botânico pessoalmente pode passar rapidamente pela planta e tirar uma foto. Também conhecida como Amorphophallus titanum, a planta tem a maior florescência sem galho do mundo, que pode chegar a três metros de altura. Suas florações são raras e imprevisíveis e podem levar anos entre uma e outra. LEIA TAMBÉM Plantas em casa: veja os erros que podem estar prejudicando as suas Como saber se suas plantas morreram e sinais de adoecimento Visitantes observam a rara floração da Sumatram Titam arum, ou flor cadáver, no Jardim Botânico da Universidade de Varsóvia, no domingo (13) AP Photo/Monika Scislowska A planta só cresce na natureza nas florestas úmidas de Sumatra, mas está em risco de extinção lá por causa do desflorestamento. O cultivo em jardins botânicos, onde são uma grande atração para visitantes, tem ajudado em sua preservação. Sua primeira floração conhecida fora de Sumatra foi em 1889, no Jardim Botânico Real de Londres, em Kew. VEJA TAMBÉM Como um 'desprogramador de seitas' já salvou centenas de pessoas de grupos perigosos Aquário nos EUA aceita ingresso guardado durante 37 anos

Empresário comprou prédio municipal para transformar em academia e só depois soube que junto iria levar torre onde fica o depósito de Brooksville. Para sorte dos 8.500 moradores locais, ele devolveu reservatório sem reclamar. A torre onde fica o depósito de água da cidade de Brooksville, na Flórida Reprodução/Google Street View Uma pequena cidade da Flórida vendeu por engano seu depósito de água em uma negociação mal feita. Um empresário comprou um imóvel municipal que fica junto da torre do depósito de água da cidade de Brooksville em abril deste ano, por US$ 55 mil (pouco mais de R$ 278 mil), com a intenção de fazer uma reforma e abrir uma academia. Mas quando Bobby Read foi ao condado para obter o endereço exato de seu novo negócio, foi informado de que o pacote que comprou incluía tudo que estava no terreno, até mesmo a torre, segundo o jornal “Tampa Bay Times”. Para sorte da cidade, Read estava disposto a devolvê-la. Registros do condado mostram que ele transferiu o depósito de água de volta a Brooksvile no mês passado. A cidade de 8.500 habitantes fica a 80 quilômetros de Tampa. “Não sei de quem é a culpa aqui”, disse Blake Bell, um vereador. “Somos vereadores e confiamos no prefeito. Imaginamos que ele cumpriu seu papel”. O prefeito Mark Kutney culpou o uso de uma descrição legal confusa pelo que aconteceu. O diretor da agência de desenvolvimento da cidade renunciou após a venda acidental. “Somos humanos. Às vezes cometemos um engano”, disse Kutney. Vídeos: Os mais assistidos do G1 nos últimos 7 dias

G1 > Brasil


Na decisão, o juiz afirma que há 'risco sério e concreto' do prefeito incinerar documentos públicos que comprovem atos de corrupção. O caso já foi destaque no Bom Dia Brasil. Sydnei Pereira, prefeito de Anajatuba Reprodução/TV Mirante A Justiça determinou o afastamento do atual prefeito Sydnei Pereira (PCdoB) em Anajatuba, a 137 km de São Luís. Ele é suspeito em diversos processos por desvios de dinheiro público que são alvos de investigações federais. Na decisão, o juiz Bruno Chaves de Oliveira afirma que há evidências de simulação, favorecimento e até mesmo a falta de formalidade legal em contratos da prefeitura. O juiz cita ainda um relatório da Controladoria Geral da União (CGU) que aponta superfaturamento de itens que estavam em contratos, mas não foram entregues para a prefeitura. O relatório indica também: Pesquisa de preços fictícia Falta de notas fiscais Abastecimento de veículos que não estavam autorizados a prestarem serviço na área da saúde Combustível com preços superiores aos de mercado Aquisição de combustível sem comprovar a sua destinação Contratação de empresas fornecedoras sem a necessária qualificação técnica Alteração da quantidade de veículos de transporte de pacientes (24 veículos supostamente foram utilizados para o transporte de pacientes para São Luís/MA, porém os pacientes só eram transportados em uma Van) Ausência de indicação da placa dos veículos supostamente abastecidos Motocicletas abastecidas com quantidade de litros acima da capacidade do tanque Notas fiscais sem a placa do veículo abastecido e sem assinatura do condutor Utilização de posto de combustível não contratado para o abastecimento da frota municipal Atestado de capacidade técnica com fortes indícios de conteúdo falso Pagamento indevido a fornecedor por materiais de construção não comprovadamente entregues ou efetivamente utilizados em ações de saúde Contratação de empresas sem capacidade operacional Contratos simulados de locação de veículos Despesas de manutenção dos veículos por conta de seus proprietários Ausência de identificação do beneficiário final das despesas Em outro momento, o magistrado explica a principal motivação para o afastamento do atual prefeito. Segundo Bruno Chaves, há 'risco sério e concreto' de que Sydnei Pereira e sua gestão ainda possam, nesses últimos dias do seu mandato, destruir o que ainda restou nos arquivos públicos do município, como documentos dos procedimentos licitatórios e contratações que fazem parte das investigações contra ele. Em 2018, o Ministério Público do Maranhão já havia pedido o afastamento do prefeito de Anajatuba. Na época, o promotor Carlos Augusto Soares afirmou: “Há um número muito grande de notícias de irregularidades sendo investigados. O que se observa é que o gestor está utilizando de artifícios para impedir a elucidação desses casos e o afastamento dele é necessário”, declarou Carlos Augusto Soares, Promotor de Justiça de Anajatuba. Investigações federais sobre supostos desvios de dinheiro público em Anajatuba são destaque no Bom Dia Brasil Sidney Pereira e Helder Aragão Em 2015, Sidney Pereira denunciou por corrupção o então prefeito do qual ele era vice, Helder Aragão. O prefeito foi afastado e ele assumiu a Prefeitura. Sydnei foi reeleito em 2016 e passou a enfrentar denúncias até da Câmara Municipal, onde um vereador do mesmo partido chegou a entrar com oito representações em órgãos de fiscalização. O caso foi destaque no Bom Dia Brasil. “O que mais me deixa triste é que o gestor atual anda fazendo as mesmas coisas que o outro estava fazendo", contou Lauro Sousa, vereador do PCdoB. Nas eleições de 2020, Helder Aragão venceu e vai assumir a prefeitura a partir de janeiro de 2021. Mesmo sendo do mesmo partido, o vereador Lauro Sousa já entrou com oito representações contra o prefeito de Anajatuba Reprodução/TV Mirante Investigações Constam nas investigações, o fechamento de escolas por falta de dinheiro e milhões de reais gastos em licitações suspeitas. No campo da educação, a Prefeitura de Anajatuba cortou o transporte escolar em alguns povoados por causa da situação das estradas. Condições de estradas em Anajatuba fizeram a Prefeitura cortar o transporte escolas em povoados Reprodução/TV Mirante A atual gestão também chegou a fechar 21 escolas, de acordo com o Sindicato dos Professores. Antes haviam 55 escolas na cidade. Em 2018, a prefeitura justificou o fechamento pela falta de recurso para manter os professores. Buraco em parede ao lado do quadro negro em escola de Anajatuba Reprodução/TV Mirante Malharia ‘ Maria dos Milagres’ Os contratos com uma malharia de São Luís também são alvo de investigação. Entre 2016 e 2017, a malharia Maria dos Milagres Sousa Moreira Aquinho vendeu R$ 410 mil à Prefeitura de Anajatuba em artigos esportivos e brinquedos. Só em 2017 foram R$ 321 mil pagos à malharia, segundo o Tribunal de Contas do Estado. No ano passado foram pagos R$ 321mil à malharia 'Maria dos Milagres', segundo o TCE, em artigos esportivos e brinquedos.. Reprodução/TV Mirante Entre os itens vendidos estão bolas, chuteiras, redes de vôlei, 30 pares de rede oficial de campo de futebol. Mas o principal campo da cidade não tinha trave e estava coberto pelo mato. Nos povoados do interior as pessoas disseram que nunca viram artigos de esporte. Em nota, a malharia 'Maria dos Milagres' disse que participou da licitação com seriedade e responsabilidade e que está à disposição da Justiça para prestar qualquer esclarecimento. Brunopel Outros pagamentos que chamaram a atenção foram os recebidos pela autopeças Brunopel, que recebeu R$ 455 mil com vendas de peças para carros de Anajatuba em 2016. Em 2017, a autopeças também recebeu R$ 8,4 milhões do município de Anajatuba em peças e locação de veículos. Na cidade, órgãos públicos como o Conselho Tutelar reclamavam que não tinham carro pra trabalhar. "A gente solicita às vezes o apoio da polícia quando é emergência e quando não a gente está esperando a solução para continuar com o nosso trabalho", contou Telmo Lopes, coordenador-geral do Conselho Tutelar da cidade de Anajatuba. Autopeças Brunopel recebeu R$ 8,4 milhões de Anajatuba em peças e locação de veículos, segundo o TCE Reprodução/TV Mirante Entre os sócios da Brunopel está uma mulher descrita como Rosalina Pereira Silva, que é ex-mulher de um doador de campanha de Sydnei Pereira chamado Cosme Pereira de Souza, que doou R$ 2.500 na campanha. Ela foi procurada pela reportagem, mas não se conseguiu contato. Cosme também é tio da então secretária de administração do município, Pollyana Lisboa. Ela negou ligações da família dela com o prefeito. “Não temos nenhuma ligação com o Prefeito, a não ser a empresa que concorreu, ganhou e nem faz parte mais da Prefeitura", disse a secretária de administração de Anajatuba, Pollyana Lisboa. Cosme Pereira também era dono de um carro de luxo avaliado em mais de 120 mil reais, que o prefeito da cidade usava no dia-a-dia. O prefeito diz que o carro que ele usava era alugado e Cosme Pereira não foi encontrado. "Ele tinha o contrato de locação de veículo. Então ele me alugou esse carro para o gabinete. Aí quando ele perdeu o contrato, a empresa que ganhou o contrato comprou o carro dele e permaneceu o aluguel. Ele continua sendo alugado o carro", respondeu o prefeito Sydnei Pereira. Apesar do que consta no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Sydnei Pereira negou que Cosme tenha sido doador de campanha e diz que contratou a sobrinha de Cosme como secretária por causa da competência dela. "Essa menina eu conheci ela na empresa dele com relação ao processo que eles tinham com a gente de fornecimento e ela se mostrou, à epoca, muito eficiente", afirmou o Prefeito. Consulta no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) indica que um homem chamado Cosme Pereira foi doador de campanha de Sydnei Pereira Reprodução/TV Mirante O prefeito diz ainda que não pagou os oito milhões à autopeças em 2017, apesar dos valores constarem na prestação de contas do município, junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) como pagos. "Não tem nem como uma prefeitura no porte de Anajatuba pagar nem a metade disso aí", afirmou o prefeito. Procurador Jairo Cavalcanti explicou que é considerado pagamento quando um documento chega ao TCE e há comprovação de transferência bancária, como um dos exemplos. Reprodução/TV Mirante Entretanto, o procurador de contas do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Jairo Cavalcanti, explicou como funcionam a comprovação de pagamentos e diz que o valor foi realmente pago. "Quando o documento chega aqui sendo comprovado que houve transferência bancária.... um recibo ou um cheque em favor do credor... nós consideramos que esse valor foi efetivamente pago", asseverou o procurador. Uso do dinheiro público é alvo de investigações federais na Prefeitura de Anajatuba, no Maranhão

Empresa foi investigada pelo MPMG em 2016 quando empresários e políticos foram presos. Parte do acordo será destinada à UEMG e restante vai para o Estado; G1 procurou os envolvidos. Parcela de R$ 10,2 milhões será destinada ao custeio de projetos da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG), de Frutal Ascom/Unesco-Hidroex Um grupo empresarial português firmou acordo para pagamento de R$ 20,9 milhões em medidas compensatórias apuradas pela Operação “Aequelis”, que investiga o desvio de recursos públicos destinados a Fundação Centro Internacional de Educação, Capacitação e Pesquisa Aplicada em Águas (Hidroex) para a construção do Complexo Cidade das Águas, em Frutal. O acordo foi firmado com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), Controladoria-Geral do Estado (CGE-MG) e a Advocacia-Geral do Estado (AGE). A informação foi divulgada pelo MPMG na última segunda-feira (10). Os valores já foram depositados. O nome do grupo empresarial não foi divulgado na publicação do órgão, que reforçou que não fornece contatos de partes em procedimentos. Na época da operação, desencadeada em 2016, empresários e políticos foram conduzidos pela polícia durante cumprimento de mandados de prisão em cidades no interior de Minas Gerais e São Paulo. Foram encontrados indícios de superfaturamento em vários contratos (relembre mais abaixo). Segundo o MPMG, R$ 4,7 milhões são referentes ao ressarcimento do dano causado ao Estado. Outros R$ 10,2 milhões se referem a danos morais coletivos. No acordo, constam, ainda, R$ 4,7 milhões como pagamento de multa civil, e R$ 1,2 milhão de transferência não onerosa. “Sem abrir a mão da punição àqueles que cometeram os ilícitos, a solução leva benefícios imediatos aos que foram prejudicados pelos crimes. Esse é um ponto em que insistimos desde o início e que continuaremos a reforçar”, disse o procurador-geral de Justiça de Minas Gerais, Antônio Sérgio Tonet. Destinação Uma parcela de R$ 10,2 milhões será destinada ao custeio de projetos da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG), de Frutal. Já o restante será destinado aos cofres do Estado. Conforme o Ministério Público, o acordo firmado se refere a uma das ações ajuizadas por improbidade administrativa, e interfere em outras ações penais em curso na Justiça Federal. Réus que ainda não firmaram acordo continuam respondendo o processo. A Fundação Hidroex foi extinta em 2016. Promotoria de Frutal O G1 entrou em contato com o MPMG para saber qual a quantia de dinheiro público desviada e se, além do impacto financeiro, houve impacto ambiental. Sobre isso, a Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de Frutal informou, nesta quinta-feira (13), que o valor estimado de dinheiro público desviado segundo a apuração do Ministério Público foi de R$ 4.758.136,00. Sobre os danos gerados ao Estado – citados no acordo – a promotoria afirmou que não têm qualquer aspecto ambiental, sendo exclusivamente no âmbito da tutela do patrimônio público. Valores depositados Foi informado também que os valores do acordo foram depositados em conta judicial nos autos da ação, em trâmite pela 2ª Vara Cível da Comarca de Frutal e serão gastos nos termos de acordo com solicitação específica e autorização judicial. UEMG Ainda segundo a promotoria, em relação ao montante destinado à UEMG Frutal, relativos aos danos morais coletivos, foi designada pela 3ª Promotoria de Justiça de Frutal uma reunião na próxima segunda-feira (17) com a Diretoria da unidade e com a Comissão pró-UEMG Frutal. O encontro vai contar com representantes dos estudantes, dos professores, dos servidores e da sociedade civil frutalense para discutir as prioridades a serem atendidas e como ocorrerá a fiscalização por parte do MPMG, que encaminhará também para análise da CGE. Operação "Aequalis" A Operação "Aequalis" foi deflagrada em maio de 2016. No dia 20 de setembro do mesmo ano, o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, sancionou a lei que extinguiu a Fundação Hidroex, investigada pelo MPMG por suspeita de envolvimento e desvio de verbas públicas. A operação encontrou indícios de superfaturamento em vários contratos, dentre eles o de venda de equipamentos. O ex-secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais, entre 2012 e 2014, Nárcio Rodrigues (PSDB), e outras 14 pessoas foram acusadas de organização criminosa, fraude em licitação, obtenção de vantagem indevida, lavagem de dinheiro, peculato e obstrução. Cidade das Águas foi projeto para ser um centro internacional de pesquisa Ascom/Unesco-Hidroex A Hidroex desenvolvia em Frutal o Complexo Cidade das Águas, que começou a ser construído em 2012 e teria mais de 1 milhão de m². O local foi projetado para se tornar um centro internacional de pesquisa, com foco na conservação do patrimônio hidrológico da América Latina e das nações africanas de língua portuguesa. Com a extinção da Hidroex, a Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG) assumiu as responsabilidades e obrigações da fundação quanto aos programas, projetos, contratos e convênios celebrados. O mesmo ocorreu com os bens imóveis, que foram revertidos ao patrimônio do Estado, cabendo à Secretaria de Fazenda (SEF) proceder a destinação. Irregularidades na Hidroex Uma auditoria da Controladoria-Geral de Minas Gerais apontou, em abril de 2016, suposto dano aos cofres públicos devido a irregularidades na obra do Complexo Cidade das Águas durante o governo de Antonio Anastasia (PSDB). A auditoria da controladoria aponta que houve prejuízo de cerca de R$ 9,8 milhões aos cofres públicos.

Espetáculo será no dia 30 de setembro, no Teatro das Bacabeiras. Apresentação aposta na interação com o público para garantir risadas. Comediante Carlinhos Maia se apresentará pela primeira vez em Macapá no dia 2 de setembro Divulgação O alagoano Carlinhos Maia é um dos fenômenos das redes sociais, somando quase 10 milhões de seguidores no Instagram e Facebook. Conhecido pelos vídeos bem humorados, o artista estará no Amapá pela primeira vez no dia 30 de setembro, às 20h, no Teatro das Bacabeiras, no Centro de Macapá. O show havia sido marcado para o dia 2 de setembro, mas, por problemas de saúde da mãe dele, o artista anunciou o adiamento da apresentação através das próprias redes sociais. A organização do evento informou que os ingressos comprados anteriormente serão válidos para a nova data. A devolução do ingresso também está sendo feita. Maia se destacou na internet falando do seu dia a dia e assuntos cotidianos com irreverência, além de mostrar a convivência com os vizinhos na vila onde mora, na cidade de Penedo, em Alagoas. No show "Mas, Carlos!", que será apresentado na capital, o artista relata vários momentos de sua trajetória, até o sucesso com vídeos na web. Ele aposta na interação com o público para garantir risadas. Outro característica do show é que Maia conta, de forma bem humorada, um pouco sobre a vida de "digital influencer", que é uma espécie nova de celebridade. Marlon Santos, produtor do espetáculo, comenta que Maia é, atualmente, um dos maiores fenômenos das redes sociais e que o novo show dele é um dos mais procurados do país. "A motivação para trazer o Carlinhos [Maia] para Macapá é bem simples, ele está bombando nas redes sociais e todo mundo no país quer conhecer mais sobre ele, o que é justamente o que será apresentado no espetáculo", falou. Para garantir os ingressos antecipados, que custam de R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia). Serviço Espetáculo 'Mas, Carlos!' Data: 30 de setembro (domingo) Local: Teatro das Bacabeiras Hora: 20h Ingressos: R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia) Informações: (96) 98138-0887 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

'Linda Rosa', 'João de Barro' e 'Shimbalaiê' fazem parte do repertório. Evento será realizado no dia 1º de setembro num espaço cultural na Zona Central de Macapá. Apresentação está marcada para o dia 1º de setembro, em um espaço cultural em Macapá Michele Maycoth/Arquivo Pessoal Interpretando sucessos de Maria Gadú, uma das relevações da MPB, a cantora amapaense Michele Maycoth prepara um show que promete embalar os apaixonados. A apresentação está marcada para o dia 1º de setembro, a partir das 20h, em um espaço cultural na Zona Central de Macapá. Com uma apresentação predominantemente acústica e intimista, a cantora espera estar mais próxima do público, principalmente para cantar junto com ela sucessos como "Linda Rosa", "João de Barro", "A História de Lilly Braun" e "Shimbalaiê". De acordo com a produção do show, Michele tocará durante mais de uma hora e também haverão participações especiais, entre elas, Alexandre Moraes, Erick Pureza e Nitai Silva. Os ingressos podem ser adquiridos em dois postos de vendas na Zona Central da capital e com a produção do show ao preço inicial de R$ 10. Sucessos como 'Linda Rosa', 'João de Barro' e 'Shimbalaiê' não vão ficar de fora do show Divulgação Serviço Michele Maycoth canta Maria Gadú Data: 1º de setembro (sábado) Hora: 20h Local: Quintal Walô 54 (Avenida José Antônio Siqueira, 1212, bairro Jesus de Nazaré) Ingressos: R$ 10 (1º lote) Postos de vendas: Norte Rock (Villa Nova Shopping); Quintal Walô 54 Informações e compra de ingressos: (96) 98142-0743 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Mostra reúne 27 imagens do fotógrafo Floriano Lima. Vernissage acontece no dia 24 de agosto no Sesc Centro, em Macapá. Visitações seguem até 20 de setembro. Mostra 'Minha Aldeia' busca evidenciar as belezas escondidas na simplicidade da vida no Amapá Floriano Lima/Divulgação Com fotos de paisagens, cartões-postais e até mesmo de trabalhadores à beira do Rio Amazonas, o fotógrafo Floriano Lima reúne 27 imagens que retratam o cotidiano amapaense na exposição "Minha Aldeia". A mostra ficará aberta ao público de 27 de agosto a 20 de setembro, na unidade Centro do Serviço Social do Comércio (Sesc), em Macapá. O fotógrafo define não existir um tema específico na exposição, condição que deu a ele liberdade para retratar desde as fotos mais "clichês", até imagens comuns do dia a dia. "Sempre gostei de fotografar nossos cartões postais porque eles são muito bonitos e únicos. Então, por mais 'batidas' que pareçam, eles fazem parte da proposta da exposição", adiantou. Dormir na rede, trabalhar com embarcações ou até mesmo o céu no fim de tarde são inspirações para o fotógrafo, que diz buscar evidenciar as belezas escondidas na simplicidade. Todas as imagens foram feitas entre 2016 até este ano. Elas compõem fases da profissão de Floriano Lima, de 56 anos, que iniciou a fazer "clicks" aos 17. "Essas fotos são recentes e fazem parte da minha carreira profissional. Apesar de fotografar desde a adolescência, quando ganhei minha primeira câmera fotográfica, trabalho profissionalmente na área há cerca de 5 anos", contou. A vernissage da exposição acontece no dia 24 de agosto, às 19h público poderá prestigiar a mostra de segunda a sexta-feira, no horário das 9h às 11h e das 15 às 17h. Serviço Exposição fotográfica "Minha Aldeia" Data: vernissage 24 de agosto; visitações de 27 de agosto a 20 de setembro Hora: abertura 19h; visitações das 9h às 11h e das 15h às 17h Local: Sesc Centro Entrada: gratuita Fotógrafo reuniu 27 imagens para a mostra que acontece até o dia 20 de setembro Floriano Lima/Divulgação Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Espetáculo está marcado para os dias 16 e 17 de agosto, no Teatro das Bacabeiras. Adaptação amapaense vai regionalizar história original que é inglesa. Peça teatral 'Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado' será nos dias 16 e 17 de agosto, em Macapá Google Inspirada na peça londrina que contou os acontecimentos 19 anos depois de "Harry Potter e as Relíquias da Morte", um grupo amapaense de teatro propõe uma adaptação do espetáculo que virou sucesso no Reino Unido e bateu recorde de bilheteria na Broadway. A apresentação acontece nos dias 16 e 17 de agosto, às 20h, no Teatro das Bacabeiras, no Centro de Macapá. Intitulado "Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado: A Oitava História Dezenove Anos Depois", a peça do grupo "O Beco Teatral e o Projeto Literar Amapá" segue a estrutura do espetáculo londrino, com os protagonistas da saga mais velhos e focando a aventura nos filhos do feiticeiro. De acordo com um dos diretores da peça, Iury Laudrup, o trabalho foi regionalizado. "Nosso trabalho é adaptar, uma vez que a peça original tem mais de 5 horas de duração. Então, encurtamos a história e regionalizamos o roteiro para que nossa peça tenha sua própria identidade", ressaltou. O espetáculo amapaense conta com oito personagens no elenco principal e 12 pessoas na produção e terá uma hora e meia de duração. Os ingressos para o espetáculo podem ser adquiridos antecipadamente em três postos de vendas na Zona Central da capital, ao preço de R$ 15 + um quilo de alimento não perecível. História A montagem teatral continua a história de Harry Potter de onde o sétimo e último volume da saga de J.K. Rowling parou, com um enredo envolvendo um Harry adulto e o seu filho do meio, Alvo Severo. Ele também é pai de Tiago Sirius, o mais velho, e de Lília Luna, a caçula. Agora, Potter é um funcionário sobrecarregado de trabalho no Ministério da Magia, com três crianças em idade escolar. Ele "lida com um passado que se recusa a ficar no lugar ao qual pertence", diz um texto sobre a peça. Enquanto isso, Alvo, assim chamado em homenagem ao antigo diretor de Hogwarts e mentor de Harry, Alvo Dumbledore, se esforça para lidar com o peso do legado da família. Serviço "Harry Potter e o Herdeiro Amaldiçoado: A Oitava História Dezenove Anos Depois" Datas: 16 e 17 de agosto Local: Teatro das Bacabeiras (Rua Cândido Mendes, 1087 – Centro) Ingressos: R$15 + um quilo de alimento não perecível Postos de Venda: Livraria Acadêmica (Macapá Shopping - Piso L2); Amapanime Space (Avenida Vereador Orlando Pinto, Nº: 640F - Santa Rita); Parada do Cachorro Quente (Rua Odilardo Silva, Nº: 2289 - Centro) Informações: (96) 98128-4949 / (21) 96979-6812 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Valores dos meios disponíveis na cidade variam de R$ 4,05 a R$ 15. Preço do transporte coletivo varia de acordo com forma de pagamento e para comunidades rurais TV Integração/Reprodução Quem mora em Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas, e precisa se locomover conta, atualmente, com três empresas de aplicativos, ônibus, taxis e mototaxis à disposição. Mas, destas, qual a mais barata? O G1 fez um levantamento com todos os tipos de transporte disponíveis na cidade. Com base em uma viagem de dois quilômetros, o usuário gasta entre R$ 4,05, caso opte por ir de ônibus, a R$ 15 caso faça o trajeto em um táxi ou em dos aplicativo disponíveis na cidade. Ônibus Segundo a Prefeitura, o meio de transporte mais utilizado no município é o transporte público, que tem cerca de 80 mil usuários por dia. O valor das passagens, no entanto, varia. Atualmente, o transporte público municipal custa R$ 4,05 para pagamento em dinheiro e R$ 3,60 para pagamento via cartão de vale-transporte. Segundo a Prefeitura, a frota é de 153 ônibus na cidade. Destes, 144 fazem viagens diárias e outros nove funcionam como veículos reservas. Para as comunidades rurais, o preço varia de acordo com a distância da comunidade ao centro da cidade. Veja na tabela os preços: Preços de ônibus para comunidades rurais em Divinópolis Táxis e Mototáxis Segundo a Associação dos Taxistas de Divinópolis, o número de motoristas não acompanha o tamanho da população. Atualmente, existem 90 taxistas no município espalhados em pontos estratégicos da cidade como no Centro, rodoviária e próximo à supermercados. A associação, no entanto, afirma que os pontos são insuficientes e bairros mais afastados também deveriam ter a presença dos veículos. Atualmente, uma corrida do Centro até o bairro Niterói, com cerca de dois quilômetros de distância, custa, em média, R$ 15 dependendo da bandeira. Valor médio do táxi em Divinópolis para corrida de 2 km é de R$ 15 Reprodução/TV Integração Deste valor, R$ 4,50 são impostos que devem ser repassados ao município – o valor é, também, o valor inicial registrado no taxímetro, segundo a associação. O serviço de mototáxi foi regulamentado em agosto do ano passado e atualmente, segundo a Prefeitura, cerca de 60 mototaxistas atuam nas quatro empresas regularizadas no município. O preço das corridas, no entanto, é calculado pelos próprios motoristas e não é tabelado. Usando como parâmetro a distância levantada com o táxi, três mototaxistas da cidade afirmaram valores distintos para a corrida: o primeiro disse ao G1 que cobraria R$ 5. O segundo, R$ 7 e o terceiro cobraria R$ 10 pela corrida. Segundo a Prefeitura, a diferença é considerada normal porque os gastos do mototaxista varia de acordo com o tipo de moto conduzida por ele e, diferentemente dos táxis, o serviço não possui um valor mínimo estipulado. Mototáxi também apresenta variação no preço Reprodução/Tv Integração Aplicativos A cidade conta, ainda, com três opções de transporte por aplicativo: Uber, Go Car e Uper 7. Para usar o serviço, o usuário deve instalar os respectivos aplicativos em seu smartphone. Segundo um dos proprietários do Go Car, Bruno Alvim, a tarifa do serviço é cerca de 25% menor do que a cobrada pelos táxis. Atualmente, a empresa conta com cerca de 20 veículos pela cidade. No trajeto entre o Centro e o Bairro Niterói, por exemplo, a corrida ficaria em R$ 7. A Uper 7, empresa fundada em 2009, afirmou contar com cerca de 30 veículos cadastrados na cidade. Destes, a tarifa básica dos taxistas é mantida e cobra-se entre R$ 2,17 e R$ 2,50 por quilômetro, dependendo do tipo de veículo solicitado. O valor estimado pelo aplicativo no trajeto escolhido pelo G1 apontou o mesmo preço do táxi. A Uber, por sua vez, informou, por meio da assessoria, que divulga somente dados estaduais. Segundo a empresa, em Minas Gerais atualmente existem 35 mil motoristas atuando pelo aplicativo. Um motorista que faz corridas pelo aplicativo da Uber em Divinópolis, e que pediu para não ser identificado, revelou ao G1 que existe um grupo de mensagens instantâneas com os motoristas da empresa na cidade e que, atualmente, existem cerca de 60 pessoas. No trajeto calculado pela reportagem, a corrida ficaria em R$ 6,75. Contudo, o motorista alerta que o preço varia conforme o horário e a demanda dos usuários. Com relação ao transporte particular, Divinópolis conta atualmente com cerca de 125 mil veículos - uma média de dois habitantes por veículo.

Dupla Epaminondas Gustavo e Adilson Alcântara apresentam ‘Agora é que são Eles’, na sexta-feira (3), no Teatro das Bacabeiras. Lançamento de livros também marcam visita dos humoristas ao AP. Epaminondas Gustavo (com a bandeira) e Adilson Alcântara no show 'Agora é que são Eles’ Divulgação Histórias engraçadas de ribeirinhos que vivem no interior do Pará inspiraram o repertório de “Agora é que são Eles”, novo show de humor da dupla paraense Epaminondas Gustavo e Adilson Alcântara. A apresentação do espetáculo acontece na sexta-feira (3), no Teatro das Bacabeiras, em Macapá. Com o sotaque típico da região, o personagem Epaminondas Gustavo, interpretado pelo ator Cláudio Rendeiro, conta aventuras, reclamações, desavenças, conselhos e fatos de comunidades que vivem às margens de rios. A apresentação teatral é acompanhada por canções de Alcântara. Além de ator, Rendeiro é juiz do Tribunal de Justiça do Pará. Ele caracterizou o protagonista do show de humor como um morador de São Caetano de Odivelas, cidade natal do magistrado, com linguajar “caboco” e cheio de expressões. Alcântara é um artista paraense com 25 anos de carreira como cantor, compositor, humorista e produtor cultural. Ele é o responsável por equilibrar o humor com a paródia, que também faz parte da vida dos ribeirinhos, e conta as piadas com ritmo e acompanhado por um violão. A dupla fez uma apresentação em Macapá em maio, lotou o teatro e quer repetir a experiência na capital. Espetáculo leva histórias hilárias da região ribeirinha do Pará Divulgação Livros e palestra Um dia antes da apresentação no Teatro das Bacabeiras, os humoristas vão fazer o lançamento dos livros “Sátira de um Ribeirinho”, que traz crônicas e histórias no olhar de Cláudio Rendeiro, e “Lírica Ribeirinhas e Outras Margens”, com o lado poético do artista. O lançamento dos livros é gratuito acontece após uma palestra-show voltada para alunos do curso de direito, no auditório do Sebrae em Macapá. Serviços Palestra-show para estudantes de direito Data: 2 de agosto (quinta-feira) Hora: 19h Local: Auditório do Sebrae (Av. Ernestino Borges, 740 - Laguinho) Entrada: R$ 20 Lançamento dos livros Data: 2 de agosto (quinta-feira) Hora: 20h30 Local: Auditório do Sebrae Entrada: franca Show de humor 'Agora é que são Eles' Data: 3 de agosto (sexta-feira) Hora: 20h Local: Teatro das Bacabeiras Ingresso: R$ 30 Informações: (96) 98139-9346 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Cidade de Pacaraima, em Roraima, tem abrigo público, mas ele é só para índios venezuelanos. Sem ter para onde ir, famílias inteiras estão vivendo às margens da BR-174, que liga os dois países. Angélia Aguilera, 18, e o filho de 2 anos ao lado da barraca em que estão vivendo há cerca de 1 mês; 'Na rua é muito frio' Inaê Brandão/G1 RR Venezuelanos estão vivendo em acampamentos improvisados em Pacaraima, no Norte de Roraima, na fronteira do Brasil. Um deles fica às margens da BR-174, rodovia que liga o país a Venezuela, e tem pelo menos 30 famílias. Conforme a prefeitura, a cidade tem uma média de 1,5 mil imigrantes em situação de rua - o equivalente a 22% da população local, que é de cerca de 15 mil habitantes. O município possui um abrigo público, mas ele é exclusivo para imigrantes indígenas. Procurada, a Força Tarefa Logística Humanitária, criada pelo Governo Federal para lidar com a imigração, informou que está em implantação um novo abrigo para não-índios na fronteira. Chamado de BV8, ele terá capacidade para 500 pessoas. No acampamento às margens da rodovia, famílias inteiras estão morando em barracas de camping e estruturas improvisadas com lonas, madeiras e até papelões. As estruturas são cobertas por plástico para proteger da chuva, comum neste período do ano. Na madrugada, a temperatura chega aos 16º C. A jovem Angélia Aguilera, de 18 anos, está no Brasil há um mês. Ela, o marido e o filho Elieser, de um ano, vivem nas ruas de Pacaraima desde então. "Aqui na rua é muito frio. Nunca imaginei que ia passar por isso", lamentou Angélia. A família saiu de Maturin, a 785 Km de Pacaraima, e conta a mesma história que outros milhares de venezuelanos que buscam refúgio no Brasil. "Vim porque na Venezuela não tem trabalho, comida e remédio. Não tem nada", disse Angélia, acrescentando que no país a família se alimentava apenas de mandioca e sardinha. O esposo trabalhava em uma empresa multinacional, mas o salário - corroído pela inflação diária de 2,8% - perdeu o poder de compra. Por isso, ele largou o trabalho há dois meses e a família resolveu tentar a vida no Brasil, onde busca trabalho. "A vida aqui está um pouco difícil porque não conseguimos dinheiro. Meu marido vende café na rua e não dá para quase nada. Mas dá para comer, sobreviver. Pelo menos temos comida", disse. O objetivo da família é chegar até Manaus. Luiz Sereño, 20, colocou bandeiras do Brasil na barraca improvisada: 'é uma homenagem ao país que me acolheu' Inaê Brandão/G1 RR O jovem Luiz Sereño, de 20 anos, também se mudou para o Brasil fugindo da crise econômica e política da Venezuela. Na barraca improvisada onde mora, o jovem colocou duas bandeiras do Brasil e disse que elas são uma homenagem ao país que o acolheu. "A bandeira representa a união. O Brasil nos recebeu como irmãos e sou grato", afirmou. Em Pacaraima, Luiz trabalha lavando carros. O dinheiro que consegue manda para a filha de três anos que ficou na terra natal. "A Venezuela tem muitos recursos naturais, mas já estamos cansados de passar fome. Tenho uma filha e chorava quando via ela comendo só manga". Na rua, os imigrantes cozinham em latas de tintas e, muitas vezes, dependem de doações de moradores para se alimentar. Sem lugar para se higienizar, aqueles que não possuem entre R$ 1 e R$ 4 para pagar um estabelecimento comercial para usarem o banheiro ficam sem banho e precisam fazer as necessidades em uma região de mata, na outra margem da rodovia. Imigrantes fazem comida em fogões improvisados Inaê Brandão/G1 RR Crise migratória Nos primeiros seis meses deste ano, mais de 16 mil venezuelanos pediram refúgio em Roraima, segundo a Polícia Federal. O número já é 20% maior do que o registrado em todo o ano de 2017, quando foram recebidas pouco mais de 13,5 mil solicitações. Nos últimos 18 meses, 128 mil venezuelanos que entraram no Brasil pela fronteira de Pacaraima (RR), mas destes, 31,5 mil, voltaram para a Venezuela pelo mesmo caminho, e os outros 37,4 mil saíram do país de avião ou por outras fronteiras terrestres. O Exército Brasileiro calcula que a média de entrada de venezuelanos em Roraima nos últimos cinco meses foi de 416 pessoas ao dia. Ainda não há números precisos sobre a quantidade exata de venezuelanos vivendo em Roraima, mas um levantamento da prefeitura de Boa Vista apontou que, só na capital, há 25 mil moradores venezuelanos – o equivalente a 7,5% da população local, que é de 332 mil habitantes. Desses, pelos menos 65% estão desempregados. Atualmente o estado conta com dez abrigos públicos, totalizando cerca de 4,6 mil pessoas, seis deles abertos só neste ano. Mesmo assim, ainda há venezuelanos em situação de rua em 10 dos 15 municípios do estado. Além disso, 820 imigrantes já foram levados em voos da Força Aérea Brasileira (FAB) para São Paulo, Manaus, Cuiabá, Brasília, Rio de Janeiro, Igarassu (PE) e Conde (PB) no chamado processo de interiorização, que consiste em distribuir venezuelanos recém-chegados a Roraima para outros estados do país. Acampamento foi montado às margens da BR-174 Inaê Brandão/G1 RR Initial plugin text

Nos pontos de atendimento serão oferecidos alimentação, camas, escalda-pés, massagens e atendimento médico 24h até o dia 13 de agosto. Reprodução/TV Integração Os pontos de apoios aos romeiros começam a funcionar a partir desta sexta-feira (27) às margens da BR-365, km 439, após o trevo de Santa de Patos, em Patos de Minas. Serão oferecidos sanitários, camas, água e refeições durante 24h até o dia 13 de agosto. As Delegacias da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Patos de Minas e Uberlândia, realizarão a “Operação Romaria”, e a partir do dia 27 de julho haverá grupos dedicados à fiscalização de trânsito e do radar móvel na BR-365. Os romeiros terão direito a alimentação completa com café, leite, suco, pão e frutas, almoço, atendimento de saúde, além de escalda-pés, massagem e chuveiros. O Dia de Nossa Senhora da Abadia, padroeira do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, é celebrado no dia 15 de agosto e os fiéis católicos saem a pé até a cidade de Romaria como forma de agradecer ou cumprir alguma promessa.

Banana nanica, bezerro de corte e alface convencional também foram cotados. Valores se referem a preços pagos diretamente ao produtor. Veja quanto custa o preço do quilo do pirarucu em várias cidades Toni Mendes/ TG A Associação de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater-RO) realizou, entre os dias 16 a 20 de julho, a pesquisa de preços dos produtos agrícolas vendidos no estado. A cotação se refere ao valor pago diretamente ao produtor agrícola, nas unidades produtivas. Confira abaixo a lista de alguns itens: Peixe Pirarucu (quilo) Preço médio: R$ 9,36 Porto Velho: R$ 11,00 Guajará-Mirim: R$ 10,00 Ariquemes: cotação não informada Jaru: R$ 8,00 Rolim de Moura: R$ 7,40 Machadinho D'Oeste: R$ 10,00 Ouro Preto do Oeste: R$ 9,00 Ji-Paraná: R$ 11,00 Colorado do Oeste: R$ 8,50 São Miguel do Guaporé: cotação não informada Costa Marques: cotação não informada Cacoal: cotação não informada Vilhena: cotação não informada Pimenta Bueno: cotação não informada Banana Nanica/ Nanicão (quilo) Preço médio: R$ 1,88 Porto Velho: R$ 2,00 Guajará-Mirim: R$ 1,80 Ariquemes: R$ 2,00 Jaru: R$ 2,00 Rolim de Moura: R$ 1,30 Machadinho D'Oeste: R$ 2,00 Ouro Preto do Oeste: R$ 2,00 Ji-Paraná: R$ 2,00 Colorado do Oeste: R$ 2,00 São Miguel do Guaporé: 2,00 Costa Marques: 1,50 Cacoal: R$ Cotação não divulgada Vilhena: R$ Cotação não divulgada Pimenta Bueno: R$ 2,00 Bezerro de corte (cabeça) Preço médio: R$ 960,71 Porto Velho: R$ 950,00 Guajará-Mirim: R$ 900,00 Ariquemes: R$ 950,00 Jaru: R$ 1.000,00 Rolim de Moura: R$ 1.100 Machadinho D'Oeste: R$ 1.000,00 Ouro Preto do Oeste: R$ 1.000,00 Ji-Paraná: R$ 950,00 Colorado do Oeste: R$ 1.000,00 São Miguel do Guaporé: 720,00 Costa Marques: R$ 900,00 Cacoal: R$ 980,00 Vilhena: R$ 1.000,00 Pimenta Bueno: R$ 1.000,00 Alface convencional (maço) Preço médio: R$ 1,80 Porto Velho: R$ 1,50 Guajará-Mirim: R$ 2,00 Ariquemes: R$ 2,00 Jaru: R$ 1,50 Rolim de Moura: R$ 1,50 Machadinho D'Oeste: R$ 2,00 Ouro Preto do Oeste: R$ 2,00 Ji-Paraná: R$ 1,00 Colorado do Oeste: R$ 2,00 São Miguel do Guaporé: 2,00 Costa Marques: R$ 2,00 Cacoal: R$ 2,00 Vilhena: R$ 1,65 Pimenta Bueno: R$ 2,00

Há oportunidades para auxiliar de vidraceiro, pescador, passadeiro, forneiro, técnico em laboratório e topógrafo. Número de vagas é de acordo com as empresas cadastradas. São ofertadas duas vagas para técnico em laboratório no Sine Macapá Divulgação/FVS O Sistema Nacional de Empregos no Amapá (Sine/AP) oferece vagas de empregos para Macapá. O número de vagas está disponível de acordo com as empresas cadastradas no Sine e são para todos os níveis de escolaridade e experiência. Os interessados podem procurar o Sine/AP, localizado n Rua General Rondon, nº 2350, na praça Floriano Peixoto. Em toda a rede Super Fácil tem guichês do Sine e neles é possível obter informações sobre vagas em Macapá e Santana. Outras informações e oferta de vagas são pelo número (96) 4009-9702. Para se cadastrar e atualizar os dados, o trabalhador deverá apresentar Carteira de Trabalho, RG, CPF e comprovante de residência (atualizado). Veja as vagas disponíveis de acordo com as solicitações das empresas: Auxiliar de vidraceiro – 1 vaga Forneiro – 1 vaga Gerente de fibra óptica – 1 vaga Pescador especializado (PEP) - 1 Pescador profissional (POP) – 1 vaga Passadeiro – 1 vaga Motorista de pesca – 1 vaga Técnico em laboratório – 2 vagas Técnico em refrigeração – 1 vaga Técnico em edificações – 1 vaga Topógrafo – 1 vaga

Vacinação voltada para o público infantil acontece no período de 6 a 31 de agosto. Mais de 140 mil doses foram enviadas ao estado que tem a meta de imunizar 95% do público-alvo. Vacinação contra sarampo e poliomielite acontece entre 6 a 31 de agosto Carlos Alberto Jr/G1 A ocorrência de centenas de casos confirmados de sarampo no país, reativou o alerta em torno da doença, que desde 2014 não era registrada no Brasil. Diante disso, o Ministério da Saúde vai retomar uma campanha específica de vacinação contra o sarampo e a poliomielite, entre os dias 6 e 31 de agosto. O Amapá deve receber mais de 140 mil doses da vacina, dessas, 70 mil serão encaminhadas para Macapá. No Amapá, a população está receosa devido ao surto da doença na região Norte. Pais e mães estão indo as Unidades Básicas de Saúde (UBS's) para imunizar seus filhos. Uma dessas mães é a arte-educadora Márcia Galvão, que levou a pequena Ana Letícia para manter o calendário de vacinas da filha em dia. "É muito importante se imunizar, principalmente contra o sarampo. Toda mãe fica preocupada quando uma doença como esse volta com tanta força. Mesmo sabendo que não teve nenhum caso aqui [no Amapá] a gente tem que se prevenir", disse. Márcia Galvão levou a filha Ana Letícia para uma UBS se imunizar contra o sarampo Carlos Alberto Jr/G1 Em tempos de redes sociais e disseminação de informações desencontradas em grupos de conversas, uma das principais dúvidas acerca da enfermidade se refere a um boato que fala da "necessidade de atualização da vacina". O Ministério da Saúde esclarece que quem já foi vacinado não precisa se preocupar, pois a imunização não possui prazo de validade. Quem não sabe se tomou a vacina deve aplicá-la, visto que não há prejuízo para a saúde do indivíduo caso ele receba uma nova dose. A vacina contra o sarampo está disponível na rede pública em qualquer época do ano. A mais comum é a Tríplice Viral, que protege ainda contra rubéola e caxumba. A Tetra Viral fornece proteção adicional contra a varicela. São indicadas duas doses em um intervalo de um a dois meses. Em crianças, o intervalo deve ser um pouco maior, sendo a primeira dose entre os primeiros 12 e 15 meses de vida. De acordo com a coordenadora de imunização de Macapá, Jorsette Cantuária, a meta é vacinar ao menos 95% das crianças de um ano até menos de cinco anos de idade. Mais de 140 mil doses de vacinas foram enviadas para o Amapá. Não será realizada uma campanha de vacinação contra sarampo voltada para adultos. "A campanha é voltada para crianças dentro da faixa etária estabelecida, independentemente de já terem sido ou não vacinadas contra essas doenças. Não há uma campanha de vacinação específica para os adultos. Mas eles devem ser vacinados conforme a rotina do calendário nacional de vacinação, mantendo atualizada sua caderneta vacinal", finalizou. Coordenadora de imunização Jorsette Cantuária Carlos Alberto Jr/G1 Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!
Duas firmas são de São Paulo e uma de Belo Horizonte. Até agora, mais de 40 equipamentos foram localizados, mas a investigação segue em andamento. A 2ª Delegacia de Polícia Civil de Juiz de Fora identificou mais uma vítima da quadrilha de estelionatários que desviou e revendeu contêineres para empresários na Zona da Mata. A terceira empresa, de São Paulo, enviou representantes à cidade com informações sobre os bens extraviados delas. Conforme a Polícia Civil, por causa da numeração que identifica cada um, foi possível notar que mais 22 foram localizados na sexta-feira (20), nas mesmas empresas. O G1 entrou em contato com a Braga Container, em Matias Barbosa, e com a Vila Container, em Juiz de Fora, solicitando posicionamento sobre o caso e aguarda retorno. Ainda não foi descartado que mais contêineres extraviados e revendidos estejam na região. De acordo com a transportadora, foram 56 desviados das empresas proprietárias. Em Juiz de Fora, o caso de receptação culposa, quando as vítimas adquirem o produto, mas deveriam desconfiar de origem ilícita, segue em apuração. Quando o procedimento for finalizado, será encaminhado para as delegacias de Belo Horizonte e São Paulo, onde o golpe foi aplicado e é investigado o caso de estelionato. Até agora, a investigação aponta que o golpe foi aplicado por integrantes de uma quadrilha. Eles teriam clonado uma empresa que trabalha com exportações, usando inclusive o cadastro dela. Já foram identificadas como vítimas uma empresa de Belo Horizonte e duas de São Paulo, que trabalham como intermediárias entre as grandes firmas exportadoras e os armadores, viabilizando os contêineres para o transporte de produtos variados para o exterior. Um contêiner novo é avaliado em US$ 5 mil e o prejuízo estimado pelas três empresas chega a R$ 1 milhão. Conforme informações da Polícia Civil ao G1, o rastreamento indicou que 16 dos contêineres localizados em Minas Gerais estavam bloqueados e, mesmo assim, foram retirados do cais. A Polícia Civil segue apurando a participação da empresa localizada em Campos Elísios, Duque de Caxias, onde os contêineres foram entregues. As informações apontam que os supostos empresários estavam cientes e ajudaram no golpe. Os empresários em Juiz de Fora e em Matias Barbosa não apresentaram nota fiscal da aquisição dos contêineres por R$ 8 mil. Além de responder por receptação culposa, eles também terão de prestar contas às receitas Estadual e Federal, que serão informadas da investigação por ofício da Polícia Civil. Os 43 contêineres permaneceram nas empresas onde foram localizados, como depositários fiéis, até que sejam devolvidos aos legítimos donos.

Mais de 170 bateristas são esperados para evento que pode se tornar a maior reunião de percussionistas da América Latina. Festival de baterias de Uberlândia poderá quebrar recorde latino-americano Marco Crepaldi/Divulgação A partir das 19h30 desta terça-feira (24) a área externa do Teatro Municipal ficará lotada de baterias. Isso porque ocorrerá a 2ª edição do Encontro de Bateristas do Triângulo, que neste ano contará com mais de 170 participantes tocando simultaneamente. Caso todos compareçam, esta, segundo a Prefeitura, será a maior reunião de percussionistas da América Latina. Na ocaisão, o grupo de bateristas amadores e profissionais executarão dez clássicos do rock. Músicos regionais como Dj, Thascya, Ricardo Simplício, Gustavo Solis, Jaqueline Marques, Dino Fonseca e Mauricio Ricardo vão apresentar números solos. Além da Banda Municipal, o grupo Venosa e BR Blues também se apresentarão. A primeira edição do evento, em 2017, reuniu 100 bateristas. O Teatro Municipal fica na Avenida Rondon Pacheco, nº 7.070, no Bairro Tibery.

Fluxo de passageiros aumenta nos principais portos em Macapá com destino ao Afuá, no Pará. Justiça leva à rampa do bairro Santa Inês orientações e atendimentos de urgência. Festival do Camarão provoca aumento de fluxo de passageiros com destino ao Afuá Jorge Abreu/G1 Com o aumento de embarques nos portos de Macapá, o Comissariado da Infância e Juventude intensifica a fiscalização para evitar irregularidades e até crimes envolvendo menores de idade. O Festival do Camarão tem provocado essa procura por passagens com destino ao Afuá, no interior do Pará. A partir de quinta-feira (26), data de início da programação festiva paraense, a Justiça vai levar um trailer para orientar e prestar atendimentos de urgência aos passageiros. A ação ficará concentrada na rampa da orla do bairro Santa Inês, principal porto da capital. De acordo com o comissário da Justiça, José Casemiro, a criança que for viajar sem os pais ou responsáveis precisa ter uma autorização, que pode ser emitida no Fórum, na rodoviária ou no aeroporto. Ele destaca que o documento deve ser solicitado com antecedência. “Essa semana se intensifica as fiscalizações devido o Festival do Camarão. O que primeiro verificamos é a questão de documentação para saber se a viagem está atendendo as necessidades legais, se a criança está acompanhada dos pais e se o adolescente tem documentação”, disse. O Festival do Camarão é uma programação cultural e gastronômica, que acontece no período de 27 a 29 de julho. Em todos os anos, o evento mobiliza milhares de habitantes do Amapá. As passagens para o Afuá são em média no valor de R$ 45. *Com informações da Rede Amazônica no Amapá. Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Nesta segunda-feira (23), houve o reconhecimento de mais 26 municípios pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. Seca deixa deixa moradores sem água para consumo humano e para a agricultura. Reprodução/TV Verdes Mares Mais 26 municípios cearenses tiveram situação de emergência em decorrência da seca reconhecida pelo Ministério da Integração Nacional. A portaria da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil foi publicada na edição desta segunda-feira (23) do Diário Oficial da União. Com esses, já são 66 municípios nesta situação reconhecida pelo Governo Federal. Outros nove municípios cearenses se encontram em situação de emergência por estiagem ou seca decretada ou homologada pelo Governo do Estado do Ceará, à espera de reconhecimento pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. O reconhecimento permitirá que as prefeituras solicitem apoio do Governo Federal para ações de socorro, assistência e restabelecimento de serviços essenciais à população atingida. A portaria do Governo Federal tem vigência de 180 dias. Situação dos municípios cearenses em julho de 2018 Defesa Civil do Estado Municípios Os municípios reconhecidos pelo Governo Federal nesta segunda-feira, são Acopiara, Assaré, Bela Cruz, Cedro, Chaval, Crateús, Crato, Groaíras, Hidrolândia, Icapuí, Icó, Iguatu, Independência, Ipu, Itapajé, Jaguaruana, Lavras da Mangabeira, Madalena, Missão Velha, Nova Olinda, Ocara, Parambu, Paramoti, Reriutaba, São Gonçalo do Amarante e Umirim. Emergência No caso da seca, antes de ter o reconhecimento do Governo Federal, é necessário a decretação da situação de emergência pelo governo municipal ou estadual com o fim de estabelecer uma situação jurídica especial para a execução das ações de assistência à população (Operação Carro-Pipa, por exemplo) e de restabelecimento do abastecimento d'água (obras e serviços como a instalação de sistemas simplificados de abastecimento e a montagem de adutoras de engate rápido).

Laudo da Secretaria de Meio Ambiente aponta que apenas 8 de 21 pontos em praias entre São Luís e São José de Ribamar estão próprios para o banho. Veja a lista completa. 13 pontos da orla da região metropolitana de São Luís estão impróprios para banho De acordo com último laudo de balneabilidade divulgado pela Secretaria de Meio Ambiente do Maranhão, 13 de 21 pontos localizados em praias entre São Luís e São José de Ribamar estão impróprios para o banho. Os dados foram coletados entre 17 de junho e 15 de julho de 2018 e valem para o período de férias. Em São Luís, as praias da Ponta d'Areia e do Calhau não estão aptas para o banho em todos os pontos analisados. Um trecho da praia de São Marcos foi considerado próprio, apesar de uma faixa de esgoto descendo pela areia ser visto na região. Trecho da praia de São Marcos possui faixa de esgoto descendo pela areia. Reprodução/TV Mirante Para a pizzaiola Elaine da Silva, a filha caçula dela já sofreu com problemas de pele. Ela acha que a causa pode ter sido a água suja por dejetos. "Eu vim pra cá, a gente ficou brincando aqui. Ela banhou, mas na volta começou a se coçar e ficar toda vermelha. Aí depois de um ano eu volto, mas não deixo mais banhar", reclamou. Já cabeleireira Ádria Morares saiu da cidade de Santa Inês com os filhos. Para ela, ignorar os riscos que uma orla poluída pode trazer é uma forma de aproveitar as férias em São Luís. "A gente se preocupa, né? Mas a tentação de banhar, se divertir... é maior. Então a gente acaba banhando", afirmou. Apesar do risco de contaminação, a família da Ádria viajou até São Luís e banhou na praia Reprodução/TV Mirante O dermatologista Leonardo Maciel explicou que água poluída pode provocar dermatites irritativas, sendo problemas gastrointestinais os mais comuns. "Em relação a água contaminada, os maiores problemas não são para pele. São para o trato gastro-digestivo. Então podemos ter diarréia e infecções intestinais. Esses são os principais problemas", informou. Ainda segundo o Leonardo Maciel, na praia contaminada o maior perigo é o bicho geográfico. O risco é maior com crianças, visto que elas costumam brincar com areia. "Em relação a areia, a contaminação pode vir por vermes de animais domésticos. Os cães e gatos que as pessoas normalmente trazem para a praia podem ter uma infestação por vermes intestinais, que acabam entrando no intestino humano. Uma vez em contato com a pele podem formar o famoso bicho-geográfico, que é aquele bicho que fica irritando a pele. As crianças estão mais expostas porque ficam brincando o tempo inteiro na areia", declarou o dermatologista. Laudo apontou que ao menos duas praias de São Luís estão com todos os pontos impróprios ao banho Reprodução/TV Mirante Veja a lista das praias próprias e impróprias em São José de Ribamar e São Luís. Impróprias Praia da Ponta D’ areia – Atrás do Hotel Praia Mar. Praia da Ponta D’ areia – Atrás do Bar do Dodô. Praia da Ponta D’ areia – Em frente a Praça de Apoio ao Banhista. Praia da Ponta D’ areia – Em frente ao Edifício Herbene Regadas. Praia da Ponta D’ areia – Em frente ao Hotel Brisa Mar. Praia da Ponta D’ areia – Ao lado do Forte Santo Antonio. Praia de São Marcos – Foz do Rio Calhau. Praia de São Marcos – Em frente ao IPEM e ao Bar Kalamazoo. Praia do Calhau – À direita da elevatória II da CAEMA. Praia do Calhau – Em frente a Pousada Tambaú. Praia do Calhau – Em frente ao Bar Malibu. Praia do Olho d’Água – A direita da Elevatória Pimenta I. Praia do Olho d’Água – À direita da Elevatória Iemanjá II. Próprias Praia de São Marcos – Em frente a Barraca da Marcela. Praia de São Marcos – Em frente aos Bares Do Chef e Marlene’s. Praia de São Marcos – Em frente ao Agrupamento Batalhão do Mar. Praia do Meio – Em frente ao Bar do Capiau. Praia do Meio – Em frente ao Bar da Praia. Praia do Araçagy – Em frente ao Bar Novo Point. Praia do Araçagy – Em frente ao Bar do Isaac. Praia do Araçagy – Em frente ao Fatima’s Bar.

Chamas atingem reserva florestal e área de pastagem. Bombeiros trabalham para conter fogo em reserva florestal e pastagem em Uberlândia Equipes do Corpo de Bombeiros trabalharam na tarde desta segunda-feira (23) para conter focos de incêndio na LMG- 749, no Distrito Industrial de Uberlândia. Segundo as primeiras informações, eram quatro focos, sendo três em área de pastagem e um em reserva florestal. O fogo foi registrado no início da tarde e três guarnições foram para a região com pelo menos nove militares. Ainda não se sabe as causas dos incêndios. Alguns trechos do anel viário Norte precisaram ser interditados e a Polícia Militar (PM) acompanhou a ocorrência para auxiliar na organização do trânsito. A Defesa Civil e o Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) também auxiliaram no combate às chamas. Fogo atinge reserva florestal e pastagem em Uberlândia Ana Laura França/G1

Em Ji-Paraná, obra do aterro sanitário começou em junho está previsto para ser entregue em 180 dias. Local possui capacidade para receber 300 toneladas de lixo diariamente. Lixões começam a ser extintos e resíduos passam a ser encaminhados a aterros sanitários. Assessoria/Divulgação Todos os dias, mais de 140 toneladas de lixo são descartadas nos lixões a céu aberto da região central de Rondônia. Com uma população de quase 200 mil habitantes, os municípios de Ji-Paraná, Ouro Preto do Oeste, Vale do Paraíso, Mirante da Serra, Nova União e Urupá se prepararam para acabar com os locais. Além de atrair animais peçonhentos e urubus, os lixões afetam diretamente o meio ambiente. De acordo com o prazo determinado pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), as cidades têm até o dia 31 de julho para extinguir com os lixões a céu aberto e destinarem os resíduos a um aterro sanitário. Durante discussões sobre a lei que determina a implantação de aterro sanitário nos municípios, em Ji-Paraná, por exemplo, região a pouco mais de 370 quilômetros de Porto Velho, está em fase final a construção de um aterro sanitário de iniciativa ‘privada’. A empresa que está investimento neste setor na cidade já possui dois aterros instalados em Rondônia, um em Cacoal e outro em Vilhena, que atendem as cidades circunvizinhas do estado e parte do Mato Grosso. Dentro do consórcio, houve a criação, em outubro de 2010, de um programa ambiental para auxiliar os municípios para destinar o lixo sólido ao aterro. O local está sendo construído na Zona Rural de Ji-Paraná. A obra começou em junho deste ano, e de acordo aos proprietários da empresa, a conclusão e inauguração está prevista para um prazo de 180 dias. O local possui a capacidade de receber 300 toneladas de lixo diariamente e vai atender seis municípios da região central do estado. De acordo com a coordenadora do Programa Ambiental, Maria Aparecida de Oliveira, o aterro sanitário garante diminuir a poluição. “O aterro não terá contato com o solo, evitando a contaminação do lençol freático. A vala será totalmente isolada. O chorume do lixo irá passar por tratamento fisioquímico para não haver a contaminação do solo”, destaca. Para proporcionar mais salubridade aos catadores, uma central de ‘triagem’ será construída dentro da estrutura do aterro sanitário. Barracões estão sendo alugados em vários municípios aos catadores trabalharem em um local apropriado. De acordo com a categoria, além de se livrarem do sol quente, as mudanças devem ajudar no desenvolvimento do trabalho diário. Extinção de lixões deve contribuir com o meio ambiente. Ederson Hising/G1 Ji- Paraná Com a maior produção de lixo da região central do estado, Ji-Paraná produz 100 toneladas de lixo por dia. O descarte do município ainda está sendo realizado no lixão a céu aberto. Segundo a Secretaria de Meio Ambiente, um levantamento é realizado para destinar o lixo sólido ao aterro sanitário. No município, há uma associação com cerca de 20 catadores. O trabalho acontrece a quase dois anos em um barracão. Ouro Preto do Oeste Com a segunda maior produção de lixo da região, Ouro Preto do Oeste produz cerca de 28 toneladas de resíduos sólidos diários. A Secretaria de Meio Ambiente do município informou que ainda está sendo realizado um planejamento de como os resíduos serão encaminhados ao aterro sanitário. Uma associação de catadores com 24 trabalhadores está sendo registrada para atuar no município. Nova União Com cerca de 8 mil habitantes, o município de Nova União produz diariamente 1,3 toneladas de lixo, para se adequar o município alugou um barracão, onde trabalhará cerca de 10 catadores separando o lixo reciclável, o lixo sólido será destinado diariamente ao aterro sanitário em Ji-Paraná. Mirante da Serra No município de Mirante da Serra, cerca de 12 catadores serão beneficiados por uma associação. De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente do município, todo o lixo não reciclável produzido será encaminhado ao aterro sanitário de Ji-Paraná. Urupá Com pouco mais de 13 mil habitantes, Urupá se prepara para destinar os resíduos ao aterro sanitário em Ji-Paraná. De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente do município, o lixo será encaminhado três vezes por semana. Vale do Paraíso Com uma produção diária de duas toneladas de lixo, Vale do Paraíso trabalha para encerrar o lixão. Em 15 dias, uma cooperativa para reciclagem do lixo produzido será instalada. A Secretaria de Meio Ambiente não divulgou um prazo para o fechamento do lixão. Teixeirópolis Ao contrario dos outros municípios, em Teixeirópolis não existe mais lixão a céu aberto. A prefeitura iniciou, em janeiro deste ano, o transporte do lixo sólido para o aterro sanitário de Cacoal. De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente, o antigo lixão do município foi reflorestado. Veja mais notícias da região no G1 JI-Paraná e Região Central.

17ª edição do evento será realizado entre os dias 3 e 27 de agosto; entradas variam de R$ 10 a R$ 15. Ingressos para a 17ª Campanha de Popularização do Teatro & Dança podem ser adquiridos no trailer da Apac em Juiz de Fora Reprodução/TV Integração Começa nesta segunda-feira (23) a venda de ingressos para a 17ª Campanha de Popularização do Teatro e Dança de Juiz de Fora. O evento ocupará 10 espaços do município entre os dias 3 e 27 de agosto. As entradas podem ser adquiridas de segunda a sexta-feira, das 12h às 19h, no trailer da Associação dos Produtores de Artes Cênicas de Juiz de Fora (Apac/JF), que fica no Parque Halfeld, no Centro da cidade. Ingressos para Campanha de Popularização Teatro e Dança começam a ser vendidos A partir da primeira semana de agosto, os ingressos também poderão ser comprados no segundo piso do Independência Shopping, no Bairro São Mateus. A programação da Campanha conta com 20 espetáculos teatrais na categoria "adulto" e sete na "infantil", com show de humor, seminário de dramaturgias, fórum de artes cênicas, apresentações de dança, oficinas, entre outras atividades. Ingressos para peças teatrais e espetáculos de dança custam R$ 10. Já as inscrições para as oficinas, que podem ser feitas nos locais de venda antecipadamente ou no dia do evento, têm o valor de R$ 15. A oficina “Tapúy – Toca do Pife” e os demais evento são gratuitos. A programação completa pode ser conferida no site da Apac ou no Facebook do evento.
A festa 'Forró da Minissaia' está marcada para o dia 25 de agosto, em Beberibe, no Ceará; o prêmio oferecido para o primeiro lugar é de R$ 150.  Um evento de forró que divulga concurso da “saia mais curta” em Beberibe, no Ceará, se tornou alvo de apuração do Ministério Público do Ceará, já que o panfleto de divulgação da festa anuncia um cantor adolescente como uma das atrações, ao lado da imagem de uma mulher de costas com as nádegas à mostra, ilustrando o tema do evento. A festa “Forró da Minissaia” está marcada para 25 de agosto, no Clube do Chico Duda, e promete premiar mulheres que comparecerem com a saia mais curta. O valor oferecido para o primeiro lugar é de R$ 150. Conforme mostra o panfleto, a organização do forró é da empresa “Malino Produções e Magno”. O G1 procurou os responsáveis pela festa e pelo concurso de menor saia, mas não obteve resposta. Procedimento administrativo Por meio de nota, o Ministério afirma que a Promotoria de Justiça da Comarca de Beberibe instaurou procedimento administrativo após tomar conhecimento do conteúdo do panfleto, “e notificará a produtora do evento, o dono do espaço e os responsáveis pelos supostos adolescentes, para apurar os fatos”. Caso sejam constatadas irregularidades, o Ministério Público deve adotar medidas legais, expedindo recomendação. Caso as recomendações sejam desobedecidas, o órgão pode ingressar com ação civil pública para evitar que o evento ocorra e, eventualmente, punir os responsáveis.

Apenas 32 das 120 câmeras anunciadas foram instaladas. Futel não se pronunciou sobre o termino do serviço. Sistema de vídeomonitoramento do Parque do Sabiá em Uberlândia ainda não está concluído Após um ano do anúncio da implantação de 120 câmeras de monitoramento do Parque do Sabiá, em Uberlândia, somente 32 foram implantadas. Mais de cinco mil pessoas passam pelo local por dia. A reportagem do MGTV conversou com alguns frequentadores do parque que afirmam que ocorrências de furtos ainda são registrados. A reportagem não obteve esclarecimentos da Fundação Uberlandense do Turismo, Esporte e Lazer (Futel) sobre a situação. Já a Polícia Militar informou que faz o monitoramento dentro do parque em pontos estratégicos onde há mais incidência de crimes, principalmente nos horários noturnos. Ainda segundo a PM, o número de crimes dentro do parque aumentou no segundo semestre do ano passado. Equipamentos instalados A Futel tinha como projeto a implantação dos equipamentos distribuídos em 60 postes que seriam inseridos a cada 41 metros dos cinco quilômetros da pista de caminhada. Mas, até o momento, 32 câmeras estão funcionando, sendo 16 no trecho ao lado do Bairro Santa Mônica e 16 na entrada do Bairro Tibery. As imagens são monitoradas em tempo real na central de controle, que fica na administração do parque e é gerenciada por uma empresa de Goiânia. A Prefeitura de Uberlândia já gastou mais de R$ 19 mil para fazer as instalações do serviço e mensamente gasta mais R$ 1.900 para a manutenção. Contudo, o estacionamento do parque não está incluso no projeto e é um dos alvos de bandidos. Em janeiro um ponto elevado foi construído pela Futel para facilitar a observação do estacionamento, mas a medida ainda não foi suficiente conforme os frequentadores. Apenas 32 das 120 câmeras de segurança foram instaladas no Parque do Sabiá em Uberlândia Reprodução/TV Integração O consultor de negócios Mardel Sacramento foi vítima de roubo. "Sentimos falta dos celulares, dinheiros e cartões quando voltamos da atividade. Quando perguntei para o guarda se ele tinha visto algo suspeito, ele me informou que no parque é comum este tipo de ação", explicou . “Não havia sinais de arrombamento no meu carro, eu só percebi que algo tinha ocorrido quando peguei minha mochila e senti falta do meu notebook. Meu prejuízo deve chegar a R$ 7 mil e estava dentro do estacionamento onde nós acreditamos que estamos em segurança”, contou a analista de logística, Laura Perez. A produção do MGTV entrou em contato com a assessoria da Futel para marcar uma entrevista com o responsável pelo parque ou obter uma resposta oficial, para saber quando as outras câmeras serão instaladas, mas não houve repostas. Sistema de vídeomonitoramento do Parque do Sabiá em Uberlândia ainda não está concluído

Suspeita de 45 anos vai responder em liberdade pelo crime de tráfico de drogas. Ela foi detida na entrada de presídio com porções de maconha nas partes íntimas. Porções de maconha estavam enroladas em fermento Iapen/Divulgação Vai responder em liberdade pelo crime de tráfico de drogas, a mulher de 45 anos que foi presa na tarde de domingo (22) com porções de maconha escondidas dentro da vagina. Ela foi detida quando ia visitar o filho no Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen), na Zona Oeste de Macapá. Após o flagrante, ela passou por audiência de custódia na manhã desta segunda-feira (23) onde foi liberada para ser julgada pelo crime em liberdade. A soltura foi assinada pelo juiz Rogério Bueno Funfas mediante medidas restritivas, como recolhimento domiciliar entre 20h e 6h. Ela foi detida no momento da revista do presídio, onde segundo o relatório do caso, teria apresentado um nervosismo "fora do normal" e que aparentava ter algo lhe incomodando. Ao fazer o raio-x, ela retirou sete porções da vagina, sendo cinco de fermento e duas de maconha. Após a identificação, foi levada para a delegacia para aguardar a audiência. Para a concessão, o juiz levou em conta a residência fixa, o fato de ser ré primária e ter ocupação lícita. Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!

Segundo informações preliminares da PM, vítima era uma transexual e apresentava perfurações de golpe de faca. A reportagem contém imagens fortes Arte/G1 Um corpo foi encontrado no final da manhã desta segunda-feira (23) no povoado de Capivari dos Eleotérios, que liga Araújos a Nova Serrana. Segundo informações da Polícia Militar (PM), a vítima era uma transexual de 19 anos, conhecida como Paola Villefort, e apresentava perfurações de golpe de faca. Corpo foi encontrado com marcas de perfuração de facas, segundo a PM Reprodução/Redes Sociais Ainda segundo a PM, a suspeita é de que ela tenha entrado em uma luta corporal antes de ser morta. A perícia da Polícia Civil de Nova Serrana compareceu ao local e confirmou a causa da morte. Ainda não há suspeitos do crime. Quem tiver informações que ajudem na apuração podem repassar, de forma anônima, pelo telefone da PM, 190, ou pelo Disque Denúncia Unificado (DDU), 181. Perfil de Paola Villefort no Facebook Reprodução/Facebook

Conquista foi divulgada neste domingo (22). Mais de 600 violeiros se reuniram na cidade para conseguir o título. Mais de 600 violeiros se reuniram no Ginásio do Sabiazinho em Uberlândia para entrar pro livro dos recordes Reprodução/TV Integração Após duas tentativas e nove meses de espera, um encontro entre mais de 600 violeiros de Uberlândia e de outras cidade do Brasil entrou para o recorde mundial de maior orquestra de viola do Guinness Book. O anúncio da conquista foi divulgado pelo livro de recordes neste domingo (22). A primeira tentativa foi realizada em fevereiro de 2015, na 1ª edição do Mil Violas, em Uberlândia, mas o processo não deu certo. No fim de outubro de 2017, 661 violeiros, de 13 estados do Brasil se reuniram para a 2ª edição do Mil Violas, no Ginásio do Sabiazinho para tentar novamente. Desta vez, a vitória chegou com a ajuda do repertório clássico de músicas caipiras, como a "Saudade da Minha Terra", de Goiá e Belmonte. “É gratificante ver o reconhecimento do nosso trabalho sendo mostrado para o mundo inteiro”, disse a organizadora do evento Mil Violas, Polyana Faria. “Nós trabalhamos desde o mês de junho de 2017 para conquistar o título. Foi um trabalho que contou com muita organização para que o projeto fosse avaliado da melhor forma e ficamos muito emocinados em saber que deu certo”, finalizou. Outro recorde Depois da conquista, a vontade de crescer é maior ainda. De acordo com os orgazinadores, uma nova edição do Mil Violas já está prevista para ser realizada no primeiro semestre de 2019. Desta vez, a intenção é reunir mil voleiros do país inteiro.

Condição é característica de inverno, segundo Inmet. Não há previsão de chuva para os próximos dias. Céu parcialmente nublado é previsto para o Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba Caroline Aleixo/G1 A umidade relativa do ar segue baixa e pode chegar a 20% nesta semana em algumas cidades do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a média ideal de umidade deve ser acima de 60%. Segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o céu ficará parcialmente nublado e o frio pode chegar com mais intensidade a partir desta terça-feira (24). Os termômetros devem variar entre 10ºC e 26ºC. Ainda de acordo com o Inmet, não há previsão de chuva para os próximos dias na região. Confira a previsão em algumas cidades

Animais estavam famintos e prestes a praticar canibalismo, diz veterinário. Dezenove animais resgatados de condições em maus-tratos já se encontram em abrigo Os animais resgatados neste fim de semana em uma casa em Fortaleza sofriam de fome extrema e estavam prestes a praticar canibalismo por falta de comida, conforme um veterinário que atendeu os cães e gatos. O policial ambiental que atendeu a ocorrência diz que a residência onde estavam os animais parecida cenário de "filme de terror". "Viemos averiguar inicialmente, eram dois cachorros [em situação de abandono], mandaram fotos [com a situação dos animais]. Chegando ao local, sentimos o cheiro, e visualizamos mais outros cachorros através do muro. Chamamos um chaveiro e adentramos e encontramos essa cena aí, foi de filme de terror. Encontramos também gatos. Em cada compartimento da casa tinha alguns animais", afirma o policial. Os animais foram resgatados em situação de maus-tratos e subnutrição em uma casa no Bairro Papicu, em Fortaleza, na madrugada deste domingo (22). A denúncia, com fotografias anexadas, foi feita por moradores da região ao Batalhão de Policiamento Ambiental. De tão desnutridos, animais estavam para iniciar processo de canibalismo entre eles. Divulgação Populares informam que todo dia vem um cidadão, um certo elemento que vem, entra, por volta da madrugada. Inclusive a geladeira está ligada, tem resto de comida. Canibalismo Conforme o veterinário que atendeu os animais, Lúcio Alves, com a fome extrema, os cães estavam prestes a atacar e se alimentar dos outros. "Na falta de comida, o animal tem que partir para o canibalismo porque não tem o que comer. Eles estão caquéticos, eles estão em estado caquético, daqui a pouco iria acontecer o canibalismo", explica. Na casa também foi entrado o valor de R$ 1.800 e uma arma de caça. Animais foram levados para o Abrigo São Lázaro. Abrigo Os animais foram acolhidos pelo Abrigo São Lázaro e o caso foi registrado no 9° Distrito Policial, na Praia do Futuro. A Polícia Civil abriu um procedimento para apurar a responsabilidade pelos maus-tratos, considerado crime. Identificado, o autor vai responder por crime ambiental e, se condenado, pode sofrer pena de detenção de 3 meses a um ano, além de pagamento de multa. Quem quiser ajudar na alimentação e nos medicamentos dos animais, basta ligar para o Batalhão de Policiamento Ambiental, pelos números 190 ou 3101.3545.

Segundo Inmet, temperaturas devem variar entre 11ºC e 29ºC. Confira previsão do tempo. Cidades da Zona da Mata e Vertentes devem apresentar céu nublado a parcialmente nublado neste início de semana. Reprodução/TV Integração As cidades da Zona da Mata e do Campo das Vertentes terão céu nublado a parcialmente nublado durante o começo desta semana. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a passagem de uma frente fria aumenta a nebulosidade na região e as temperaturas devem variar entre 11ºC e 29ºC. A umidade do ar pode chegar a 100% pela manhã e 50% no período da tarde. Há ainda a possibilidade de chuviscos isolados em algumas cidades. Confira as temperaturas em algumas cidades da região

Umidade relativa do ar segue baixa e pode chegar a 20%. Frio deve ficar mais intenso a partir de quarta (25). Céu parcialmente nublado marca previsão no Centro-Oeste de Minas Ricardo Welbert/G1 A previsão do tempo para esta semana no Centro-Oeste de Minas é de céu parcialmente nublado, com névoa seca pelas manhãs. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) informou que a umidade relativa do ar segue baixa e que não há previsão de chuva. Ainda de acordo com o Inmet, a umidade deve variar de 70% pela manhã a 20% no período da tarde. A Organização Mundial de Saúde (OMS) diz que a média ideal deve ser acima de 60%. O frio pode ficar mais intenso a partir de quarta-feira (25), devido o aumento de incidência de ventos na região. Os termômetros irão variar com mínima de 11ºC e máxima de 29ºC. Confira a previsão em algumas cidades
Grupo de ambientalistas denunciou a situação na região do Pau Furado. Consórcio Capim Branco disse que iniciou processo de investigação das causas. O rompimento de um dique - barreira de contenção de água - que fica nos limites do Parque Estadual do Pau Furado, em Uberlândia, foi denunciado por um grupo de ambientalistas e está causando problemas ambientais na Bacia do Rio Araguari. O consórcio Capim Branco Energia, órgão responsável pela estrutura, informou por meio de nota que assim que identificou o problema acionou os órgãos competentes e iniciou o processo de investigação das causas. Esclareceu ainda que uma equipe técnica está monitorando a situação e trabalhando no reestabelecimento do dique. Rompimento de barreira no Rio Araguari causa problemas ambientais em Uberlândia A soleira é utilizada para manter o fluxo de quantidade mínima de água com o intuito de preservar os ambientes aquáticos e a biodiversidade em áreas próximas a barragens. O grupo "Amigos da Cachoeira" informou que o rompimento aconteceu no mês passado e o buraco na estrutura acabou alterando o ambiente aquático. A monitora do grupo ativista, Rafaela Resende, disse que desde que o problema começou nada foi feito. “O Igam [Instituto Mineiro de Gestão das Águas] já fez multa diária ao Capim Branco, mas não temos nenhum relatório, nenhuma informação dos danos já causados e previsão para o problema ser solucionado”, comentou. Parque do Pau Furado ainda tem reflexos do incêndio que devastou parte da reserva em Uberlândia A veterinária especialista em aves, Graziela Pascoli, explicou que até espécies nativas estão desaparecendo por esse motivo. “Nós temos a andorinha de coleira, que é uma ave ameaçada de extinção, que tem populações muito reduzidas e é encontrada principalmente na Bacia do Rio Paranaíba, principalmente aqui no Rio Araguari. E esse tipo de ambiente não é propício para ela. Ela simplesmente desaparece“, comentou Além disso, há diversas espécies de peixes sendo prejudicas, segundo a especialista, porque são dependentes de correnteza para manter a ecologia local das espécies.

Galileu Machado (PMDB) diz que cogita escalonar salário dos profissionais da educação. Prefeitos do Centro-Oeste discutem dívidas do Fundeb em Divinópolis Reprodução/TV Integração Dez prefeitos da Região Centro-Oeste se reuniram na manhã desta segunda-feira (23), na sede da Associação Microrregional dos Municípios do Vale do Itapecerica (Amvi) em Divinópolis, para tratar da dívida do Governo de Minas com as prefeituras. O atraso dos repasses do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) foi o principal assunto da reunião. O G1 entrou em contato com a Secretaria de Fazenda do Governo de Minas e aguarda retorno. Entre os prefeitos que estiveram no encontro, o chefe do Executivo de Divinópolis, Galileu Machado (PMDB), falou sobre a situação financeira da cidade e, pela primeira vez, após ter se pronunciado em outras ocasiões sobre o assunto, cogitou escalonar o salário dos profissionais da educação. “O Governo nos deve no Fundeb R$ 6 milhões. O que vai acontecer é que o salário dos professores e o transporte escolar vão ficar prejudicados. Vou ter que tomar a providência de escalonar o pagamento e o que for necessário para que a gente cubra essa irresponsabilidade do governador da maneira que for possível”, afirmou Galileu. O prefeito de Itapecerica, Willer Rodrigues Reis (PHS), também esteve no encontro, e apesar de não dar detalhes da situação na cidade, informou que a falta do repasse vai comprometer os serviços prestados pelo setor da educação. “Sem recursos não há como levar os serviços à população. Estamos unidos aos prefeitos do Centro-Oeste para reivindicar o pagamento daquilo que é direito nosso, dos nossos municípios, e nós temos obrigações a cumprir”, comentou. Prefeitos do Centro-Oeste de MG se reúnem para debater atraso em repasses do Estado Reunião O prefeito de Carmo do Cajuru e presidente da Amvi, Almir Resende Júnior, informou que o propósito do encontro foi além de cada município expor as dificuldades financeiras, mas para firmar uma parceria entre os prefeitos. “Algumas medidas foram tomadas por meio da Associação Mineira de Municípios (AMM), como medidas judiciais para que o Governo tomasse uma posição, mas tivemos um retorno pequeno disso. Temos que fazer mais, lidar com outros meios na Justiça, porque a situação pode virar um caos a partir de agosto, porque nenhum município tem condição de continuar suprindo as obrigações do Estado”, concluiu Resende. Divinópolis No dia 26 de junho, em entrevista ao G1, a secretária municipal de Fazenda, Suzana Xavier, explicou que o recurso das férias estava suspenso para os servidores da educação. A medida teve que ser adotada para garantir que o salário dos educadores que recebem pelo fundo fosse pago junto com o dos demais servidores da Prefeitura no 5º dia útil de julho. Dos pouco mais de R$ 7 milhões da folha de pagamento do setor de Educação da Prefeitura de Divinópolis, aproximadamente R$ 6,5 milhões são pagos com recursos do Fundeb, o que corresponde a mais de 90% dos salários quitados no início deste mês. Apesar da situação ser crítica e a Prefeitura temer por não pagar a folha de agosto, o município não havia falado de escalonar os salários, como cogitou Galileu na manhã desta segunda-feira. Dívida dos Municípios Em maio, a AMM e o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais informaram ao G1 que a dívida do Governo com às prefeituras da Regional de Saúde do Centro-Oeste era mais de R$ 227 milhões. Na época, o débito do Estado com as prefeituras ultrapassava R$ 4,7 bilhões. Deste total, R$ 3,7 bilhões são referentes à Saúde. Conforme a Amvi, o estado deve aproximadamente R$ 8 bilhões aos municípios mineiros referente ao Fundeb. Na região Centro-Oeste, o montante em débito com a área chegou a R$ 227.593.368,33 , segundo informação das prefeituras integrantes da Superintendência Regional de Saúde (SRS) da região Centro-Oeste, com sede em Divinópolis. Por meio do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais (Cosems-MG), a reportagem obteve dados que apontam que a falta de repasses relacionados à saúde se tornou progressiva a partir de junho de 2016, mas que existem dívidas que continuam vigentes desde 2011. No dia 9 desse mês, o G1 fez um levantamento no qual apontou que a dívida do Governo com pelo menos três municípios da região Centro-Oeste ultrapassava R$ 80 milhões. Em nota, as prefeituras de Divinópolis, Carmo do Cajuru e Formiga informaram que o valor é referente a repasses destinados à saúde e ao transporte escolar.
Teste do etilômetro apontou resultado três vezes acima do limite permitido por lei no condutor. Pároco passa bem, segundo Arquidiocese. O padre Heveraldo José Sales Borges, de 47 anos, foi atropelado na noite de domingo (22) por um motorista embriagado perto da Igreja Católica onde ele é pároco, no Bairro Santa Terezinha, em Juiz de Fora. De acordo com o Registro de Evento de Defesa Social (Reds) da Polícia Militar (PM), o teste de etilômetro aplicado ao motorista, de 48 anos, apontou 1,21 miligrama de álcool por litro de ar expelido. A legislação considera crime de trânsito tudo o que ficar acima de 0,33 mg/l. Ele contou aos policiais que seguia pela Avenida Rui Barbosa quando foi obrigado a desviar de um ciclista que atravessou na frente do carro. Por isso, ele precisou subir na calçada, atingindo o padre. Ainda segundo a PM, o motorista apresentava sinais de embriaguez, como andar cambaleante, olhos vermelhos, fala desconexa e hálito etílico. Inicialmente, ele se recusou a fazer o teste, mas depois aceitou passar pelo exame. Uma testemunha desmentiu o relato do motorista e disse aos policiais que ele transitava em alta velocidade e tentou fazer uma curva à esquerda, perdeu o controle do carro e atingiu o pedestre. A mesma testemunha afirmou que não havia nenhum ciclista passando pelo local no momento do acidente. O pároco foi atendido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e foi encaminhado à Santa Casa de Misericórdia. De acordo com a assessoria da Arquidiocese de Juiz de Fora, ele foi medicado e liberado e não irá falar sobre o assunto. Os policiais conversaram com o padre durante o atendimento hospitalar. Ele contou que estava na calçada quando foi atingido pelo veículo, que o jogou no chão. Recebeu ajuda para se levantar e aguardou a chegada do Samu. O motorista recebeu voz de prisão em flagrante, teve a carteira de habilitação recolhida e foi encaminhado para a delegacia do Bairro Santa Terezinha. Ele teve a prisão ratificada e foi liberado após pagamento de fiança. O auto de infração sobre o caso foi emitido e enviado para a Secretaria de Transportes e Trânsito (Settra). Após os trabalhos da perícia, o carro foi levado para um pátio credenciado ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran) na cidade. O caso será encaminhado para a 4ª Delegacia de Polícia Civil.

O órgão passará a atender na Rua Perdizes, nº 280, no Centro, a partir de quinta-feira (26). Procon de Araxá funcionará em nova sede a partir de quinta-feira (26) Prefeitura de Araxá/Divulgação O Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), de Araxá, no Alto Paranaíba, vai atender a população em novo endereço a partir de quinta-feira (26). A nova sede está localizada na Rua Perdizes, nº 280, no Centro, antigo endereço do Ministério do Trabalho. Por causa da mudança, os atendimentos estão suspensos nesta terça (24) e quarta (25). “Num espaço maior, com acessibilidade, o consumidor vai ter mais conforto e privacidade. Tem gente que tem vergonha de falar que está enfrentando problemas com dívidas, agora a pessoa ficará mais a vontade para expor a situação, terá menos gente ouvindo”, ressaltou a secretária executiva, Belma Nolli. O horário de funcionamento permanece de 9h às 16h, com distribuição de senhas ate às 12h. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone: (34) 3662-2444 ou pelo site.

Agressão aconteceu na madrugada desta segunda-feira (23), na Zona Leste de Porto Velho. Mulher foi agredida com soco e empurrões. Ocorrência foi registrada na Central de Flagrantes de Porto Velho Mary Porfiro/G1 Uma mulher, de 30 anos, foi agredida pelo esposo, de 35 anos, na madrugada desta segunda-feira (23), no bairro Socialista, na Zona Leste de Porto Velho. Segundo a vítima, ela teria sido impedida de entrar na residência onde mora, após voltar de uma festa familiar. De acordo com a Polícia Militar (PM), que foi acionada posteriormente, após ser impedida de entrar na residência, e ser perseguida pelo suspeito, que estava de posse de um facão, a vítima ainda foi agredida com soco e empurrões e teve o aparelho celular quebrado. Segundo a PM, devido ao seu estado exaltado, o suspeito precisou ser algemado pelos policiais que atenderam a ocorrência. Durante o registro do boletim, por lesão corporal, o homem ainda ameaçou a vítima. Foi dada voz de prisão ao suspeito, e a ocorrência foi registrada na Central de Polícia.

Jovem foi morta em agosto de 2016. Seis pessoas participaram do crime e duas já foram condenadas. Defesas entraram com recursos para não irem a júri popular. O julgamento de quatro dos seis réus indiciados pela morte da gestante Greiciara Belo Vieira, em 2016, na cidade de Ituiutaba, continua sem previsão para ocorrer. A defesa dos acusados recorrem às instâncias superiores para absolver os clientes ou descaracterizar a competência do júri para julgar o crime. Enquanto isso eles, inclusive a mulher acusada de encomendar o crime, seguem presos preventivamente na unidade prisional de Ituiutaba. Greiciara estava grávida de nove meses e foi assassinada em Ituiutaba com requintes de barbárie, segundo a polícia Reprodução/Facebook A vítima estava grávida de nove meses e foi morta no dia 19 de agosto. O homicídio ocorreu depois dela ser sequestrada em Uberlândia e levada até Ituiutaba para que o grupo pudesse roubar a criança para dar à Shirley de Oliveira Benfica, apontada nas investigações como a mandante do crime. Segundo a polícia, ela simulava uma gravidez para o namorado e resolveu roubar a criança para continuar mantendo a farsa. A investigação apontou ainda que os suspeitos doparam Greciara e a levaram para a zona rural de Ituiutaba, onde foi submetida ao procedimento cirúrgico para a retirada da criança. A perícia confirmou que a mãe ainda estava viva quando o bebê era retirado. A mãe da vítima conseguiu a guarda definitiva da neta depois de realizado o exame de DNA comprovando o parentesco. Segundo as informações do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), a defesa dos quatro réus que ainda não foram julgados entrou com recurso especial no mês passado para ser examinado se ele pode ser ou não encaminhado aos tribunais superiores. Se for entendido que o recurso especial (Superior Tribunal de Justiça) ou extraordinário (Supremo Tribunal Federal) está regular, o pedido é encaminhado. Caso não seja aceito pelo TJ, os advogados ainda podem recorrer por meio de um agravo e, neste caso, o recurso é encaminhado às cortes superiores de qualquer forma. Júri popular A sentença de pronúncia dos réus foi publicada no dia 15 de março de 2017. As travestis Lucas Matteus da Silva e Jonathan Martins Ribeiro de Lima, conhecidas como Mirela e Yasmin, foram condenadas por homicídio quadruplamente qualificado por motivo torpe, meio cruel, impossibilidade de defesa da vítima, ocultação de cadáver e supressão de incapaz. A dupla cumpre pena no presídio de Ituiutaba. Já os demais réus - Shirley de Oliveira Benfica, Jacira Santos de Oliveira, Michel Nogueira de Oliveira e Luís Felipe Morais - recorreram da sentença e aguardam os recursos serem julgados. A defesa de Shirley, 32 anos, pede a impronúncia da cliente em razão da ausência de indícios da sua participação no crime e também a revogação da prisão preventiva. Os advogados de Luis Felipe buscam a absolvição sumária ou impronúncia do réu sob a mesma alegação. A defesa também tenta desviar o julgamento de Michel do júri popular. Por fim, a defesa da acusada Jacira, entrou com recurso pedindo a impronúncia e a derrubada das qualificadoras contra ela.
Segundo delegado, foram necessárias três semanas de campana para cumprir o mandado de prisão preventiva. Homem foi para sistema prisional. Um homem de 43 anos foi preso por suspeita envolvimento com roubos na região de Muriaé. De acordo com a Delegacia Regional de Polícia Civil, havia um mandado de prisão preventiva contra ele, que, segundo a polícia, tem envolvimento em roubo de cargas, veículos e residência em cidades próximas. Ele foi encaminhado para uma unidade prisional. "Foram três finais de semanas de campana, porque ele não tinha endereço fixo e a gente recebeu informações de que ele só estaria na cidade nestes dias. Conseguimos localizá-lo no Bairro Cardoso de Melo e cumprir o mandado", explicou o delegado regional José Roberto Machado Demétrio. Segundo o delegado, o homem de 43 anos é natural de Duque de Caxias, mas mora há alguns anos em cidades da região de Muriaé. A prisão foi consequência de uma investigação contra ele. "Foi um inquérito remetido à Justiça. A princípio foi solicitada a prisão temporária, mas ele não foi localizado. Agora, com o indiciamento, o pedido foi convertido para preventivo e conseguimos o cumprimento", disse. O delegado informou que o homem tem envolvimento em diferentes crimes na região e confiava que permaneceria impune. "No caso mais recente, ele orientou a vítima que procurasse a polícia, como um desafio, porque confiava que nunca seria preso", destacou o delegado. De acordo com a Polícia Civil, os casos de roubos de cargas na região seguem em investigação. Quem tiver informações que ajudem pode repassar, de forma anônima, pelo telefone da PM, 190, pelo telefone da Polícia Civil, 197 ou pelo Disque-Denúncia Unificado (DDU), 181.

Número de indenizações no Ceará fica atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais. 10 mil pessoas foram indenizadas por invalidez após acidente de trânsito em 2018 no Ceará Vanessa Vasconcelos/G1 O Ceará é o terceiro estado país com maior número de indenizações pagas a pessoas que ficaram invalidas após acidente de trânsito. O Ceará fica atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais, estados com população e malha viárias bem maiores. Foram 10.631 indenizações pagas no Ceará no primeiro semestre deste ano, conforme a Líder, seguradora responsável pelo DPVAT, seguro de danos a pessoas causados por veículos terrestres. Um cada quatro seguros pagos por invalidez no Nordeste ocorre no Ceará, conforme a seguradora. Apesar de o número considerado alto, houve uma redução 24,45% em relação ao número de seguros pagos no mesmo período do ano passado, 14.071. Seguro por morte Em relação aos seguros pagos por vítimas fatais de acidentes, foram 1.069 pagos neste ano, conforme a Líder. Houve redução de -2,99% em relação ao ano passado, quando ocorreram 1.102 pagamentos a familiares de vítimas de acidentes de trânsito. Na região Nordeste, 64% de familiares de vítimas fatais que foram indenizadas perderam o ente em acidente de motocicleta. As vítimas de automóveis somam 24%.
Prisão aconteceu na Zona Norte de Porto Velho. Suspeitos confessaram que a droga seria entregue a um comprador. Quatro pessoas foram presas por tráfico de drogas na noite do último domingo(22) no Bairro Flodoaldo Pontes Pinto, Zona Norte de Porto Velho. Segundo a Polícia Militar(PM), na residência de um dos envolvidos foi localizada uma balança de precisão, comprimido de droga sintética e sacos para envelopar drogas. De acordo com o boletim de ocorrência, os suspeitos foram abordados em um carro e no imóvel foi encontrado um tablete de substância entorpecente. Os envolvidos confessaram que a droga seria entregue a um comprador. A PM foi até a residência de um dos suspeitos e no local foi localizada uma balança de precisão, comprimido de droga sintética e sacos plásticos, que provavelmente seriam usados para envelopar a droga. Depois do flagrante, os suspeitos foram conduzidos à Central de Polícia. Veja as últimas notícias da região no G1 Rondônia.
Ocorrência foi registrada neste domingo (22), no Bairro São Benedito. Santander disse que está colaborando com as investigações; agência funciona normalmente. Criminosos arrombam agência bancária em Uberaba e furtam dinheiro Na manhã deste domingo (23), criminosos furtaram dinheiro da agência do banco Santander, na Praça Vicentino Rodrigues da Cunha, em Uberaba. Eles tiveram acesso ao local depois de arrombar as portas da agência. O G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa do Santander. O banco informou que está colaborando com as investigações e que a agência em Uberaba está funcionando normalmente. A quantia levada pelos ladrões não foi informada. Segundo a Polícia Militar (PM) as portas de vidro interna e externa do banco estavam arrombadas, assim como a porta interna que dá acesso aos caixas eletrônicos. Foi constatado que os ladrões fizeram furos na parte de trás do cofre e, com a ajuda de um pé de cabra, abriram o objeto e pegaram o dinheiro. Os criminosos fugiram deixando ferramentas no local. A perícia da Polícia Civil recolheu um pé de cabra; um óleo lubrificante que, segundo a PM, provavelmente foi usado para resfriar a quina usada para fazer os furos na parte de trás do cofre; um transformador; uma caneta; um pincel e uma fita adesiva.

G1 > Economia


Este uso não é novo, mas ganhou destaque com a fabricação de imunizantes contra o coronavírus, como a ButanVac, do Instituto Butantan, que ainda está sendo testada. Veja como são as granjas que atuam no setor, o aumento do preço do ovo, além de mitos e curiosidades. De onde vem o que eu como: além da alimentação, ovo é matéria-prima para a produção de vacinas. Unplash Mexido, frito ou cozido, o ovo é um alimento popular na mesa do brasileiro, usado em receitas caseiras e por indústrias para fabricar pães, massas, maioneses e bolos. É também matéria-prima na fabricação de antígenos e vacinas para animais e humanos, como nos imunizantes contra a gripe e a febre amarela. Apesar deste uso não ser novidade, ele ganhou destaque com a produção de vacinas contra o coronavírus, como a ButanVac, do Instituto Butantan, que ainda está sendo testada e que, se aprovada, será o primeiro imunizante contra a Covid-19 produzido no Brasil que não requer insumo importado. Abacate, café e caju: descubra de onde vem os alimentos QUIZ: Sabe tudo sobre ovos? Teste os seus conhecimentos No mundo, o Brasil ocupa o 5º lugar entre os maiores produtores de ovos, atrás da China, Estados Unidos, Índia e Indonésia. O foco é o mercado interno e, por isso, somente 0,3% é exportado, com destaque para o Senegal, Paraguai, Peru e Emirados Árabes, mostram dados do Ministério da Agricultura. No total, são 174 milhões de galinhas poedeiras que produzem 53,5 bilhões de ovos, segundo dados de 2020 da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Um terço vem do estado de São Paulo, maior fornecedor do alimento no país, seguido do Espírito Santo, Minas Gerais e Paraná. Por ano, as granjas do país faturam, em média, R$ 16 bilhões no mercado interno e US$ 48 milhões na exportação. No ano passado, o consumo anual de ovos no Brasil bateu recorde histórico de 251 unidades por pessoa, impulsionado, em parte, pelo encarecimento da carne bovina, que fez o consumidor buscar por proteínas mais baratas. Apesar disso, o preço do ovo já subiu 8% este ano, puxado pelo alta dos custos de produção do setor. Tipos de ovos são definidos pela criação das galinhas Arte/G1 A seguir, veja como são feitos os ovos para a produção de vacinas, as granjas que atuam no setor, o aumento do custo do ovo, além de mitos e curiosidades sobre ele. Ovos para produção de vacina Ovos embrionados para a produção de vacinas, em laboratório da Globobiotech Divulgação/Globobiotech Os ovos usados na fabricação de vacinas são diferentes dos voltados para a alimentação. Os que comemos não são fertilizados, enquanto os que são usados na produção dos imunizantes contêm um embrião, pois é por meio das células dele que o vírus consegue se replicar. Ainda não há dados consolidados sobre quantos ovos embrionados o Brasil produz, segundo o Ministério da Agricultura e a ABPA. A coordenadora técnica da associação Tabatha Silvia Rosini Lacerda diz que essa divulgação nunca foi feita "por não ser relevante". "Mas agora que as pessoas estão preocupadas com esta questão, estamos avaliando se iremos levantar os dados junto aos associados", afirma ela, que também é diretora do Instituto Ovos Brasil. Os ovos embrionados também são usados em pesquisas científicas e para diagnóstico de microrganismos em laboratórios. Granjas especializadas Granja da Globobiotech de produção de ovos para vacinas. Reprodução/Globo Rural Os ovos embrionados também são chamados de controlados e, atualmente, o Brasil possui 14 granjas neste setor em São Paulo (12), Minas Gerais (1) e Santa Catarina (1). Há ainda, em MG, uma granja produtora de ovos SPF (Livres de Patógenos Específicos), que também servem para fabricar imunizantes. O ovo controlado vem de aves que podem tomar vacinas, enquanto o SPF provém de animais que não podem ingerir nenhum medicamento e têm um controle mais rígido. Uma das granjas brasileiras especializadas é a Globobiotech, um braço da Globoaves, que é voltada somente para a produção de ovos controlados e importação de SPF. Por ano, a empresa fabrica 140 milhões de ovos fertilizados e parte da sua produção segue para o Instituto Butantan desde 2007 para a produção da vacina contra a gripe (Influenza), diz o diretor e fundador da Globoaves, Roberto Kaefer. Desde o final de abril, a companhia também fornece material para a produção da ButanVac. Por dia, são cerca de 500 mil ovos enviados para o instituto, que saem das unidades de São Carlos e Itirapina, interior de São Paulo. Local isolado e fechado Produção de ovos embrionados é feita em local isolado e fechado. Divulgação/Globobiotech A produção de ovos férteis não pode ser feita no mesmo local que os ovos para consumo. "Só para ter uma ideia, as granjas [de ovos fertilizados] estão implantadas em áreas isoladas, cercadas por barreiras sanitárias naturais de reflorestamento, com rigoroso controle de acesso, restrito aos colaboradores e um rígido protocolo sanitário", diz Kaefer. As galinhas e os galos são alimentados com uma fórmula feita pela própria Globobiotech, composta somente por nutrientes de origem vegetal. "Nós usamos muitos produtos probióticos, que são mais naturais. Não podemos usar químicos, como antibióticos, por exemplo, pois eles afetam a qualidade do embrião e, quando o vírus for injetado, pode dar complicações", explica. O espaço onde as aves ficam é totalmente fechado, com um teto de isolamento térmico, diferente de um aviário tradicional. O ambiente é ainda climatizado com uma temperatura entre 20º e 25º graus para promover o bem-estar dos animais. Os ninhos, bebedouros e comedores são mecânicos e a coleta e a embalagem dos ovos são automatizadas. Como o objetivo é ter ovos fertilizados, galinhas e galos ficam juntos em um mesmo espaço. Em entrevista ao Globo Rural, Kaefer explicou mais sobre este processo. Veja no vídeo abaixo: Granjas produzem ovos para a fabricação de vacinas contra a Covid-19 em SP Após a postura, os ovos são levados para um incubatório, onde são classificados. É preciso garantir que eles estejam fertilizados, sem nenhum embrião morto ou um ovo quebrado ou trincado. Depois disso, são incubados por cerca de 11 dias para garantir o crescimento do embrião. Quando prontos, os ovos são transportados até o Butantan em veículos com sistemas de controles de temperatura, umidade e taxas de CO². Como o ovo entra na produção de vacina A técnica para produzir a vacina contra a gripe e o coronavírus é praticamente a mesma, explica Douglas Macedo, gerente de produção da fábrica da Butanvac/Influenza. "Só muda um pouco a temperatura e o tempo de incubação, mas o processo é o mesmo", diz. Ponto a ponto: entenda a ButanVac "Os ovos embrionados servem como um meio replicador do vírus. Nós injetamos uma quantidade pequena do vírus de interesse em cada ovo. E, então, com temperatura e tempo controlados, você tem uma replicação viral", explica Macedo. "Depois, nós colhemos esse líquido, que vai passar por algumas etapas de produção, como a filtração para eu ter um lote do IFA: o insumo farmacêutico ativo", acrescenta. A partir daí, o lote é misturado com outros componentes, é envasado e distribuído para o sistema público de saúde. Veja mais detalhes de como é produzida a Butanvac no vídeo abaixo: VÍDEO: Veja como é produzida a vacina Butanvac Macedo explica que cada ovo gera, em média, duas doses da ButanVac e que o instituto já produziu, aproximadamente, 15 milhões de doses. Ele ressalta que a produção da vacina da gripe e da ButanVac não podem acontecer simultaneamente. "Não posso trabalhar com dois vírus ao mesmo tempo na fábrica. E, antes de começar uma produção nova, é preciso um processo de descontaminação da fábrica", explica. A vacina contra a Influenza é fabricada entre setembro e abril. Alternativa de proteína animal Com a disparada do preço da carne em 2020, ovo se tornou uma alternativa mais barata de proteína animal. TV Globo Além de estar em evidência por causa das vacinas, o ovo também tem sido um protagonista importante na alimentação do brasileiro. Com a disparada do preço da carne em 2020, ele se tornou uma alternativa mais barata de proteína animal. Porém, neste ano, o preço do ovo já subiu e pode aumentar mais por causa da disparada do valor milho e da soja no mercado internacional. Esses dois grãos viram ração para os animais e representam 70% dos custos de produção do setor. Frango, porco e ovo: por que preços podem subir mais Carne mais cara: entenda em 5 pontos "Certamente o maior desafio do setor, atualmente, é a alta no preço dos insumos. A situação é realmente muito crítica e parece difícil enxergar a curto prazo uma melhora desses custos", diz Tabatha, técnica da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Ela conta que, por conta disso, alguns aviários, principalmente os pequenos, fecharam as portas ou reduziram a produção. E que o restante das empresas estão reavaliando planejamentos para o segundo semestre. A diminuição da produção não tem impacto imediato no mercado, diz Nélio Hand, diretor executivo da Associação dos Avicultores do Estado do Espírito Santo (AVES). "A galinha, desde o alojamento até começar a produzir ovos, leva em torno de 150 dias e é nesse intervalo que deveremos perceber os efeitos", afirma. "Uma alternativa para que o produtor possa equivaler os custos de produção e de venda e, assim, minimizar os prejuízos, seria ovo apresentar um acréscimo em torno de 40% a 50% no preço, ou seja, a caixa de ovo que está sendo vendida na granja pelo produtor a R$115 teria que ir para a casa dos R$ 150", observa Hand. Porém, ele ressalta que será difícil repassar preços diante da queda de renda do brasileiro e desemprego recorde. "Nós não sabemos até onde o consumidor tem poder de pagamento para absorver esse valor final", acrescenta. Mitos e curiosidades Não existe diferença nutricional entre os ovos de cores diferentes. Patrick Pleul/AFP Ovos caipiras são somente marrons? Ovos brancos são exclusivamente de granjas? Por que as cores são diferentes? Há diferenças nutricionais? São muitos mitos e curiosidades sobre o alimento e uma das confusões sobre ele é a crença errada de que os ovos caipiras são somente os com casca marrom, ou "vermelha", como também são chamados. Existe também ovos caipiras com casca branca, assim como ovos de granjas marrons, afirma Lívia Geraldi, professora de Medicina Veterinária do Centro Universitário de Belo Horizonte (UniBH). Caipira ou de granja são somente a forma como a galinha foi criada. No caso da caipira, por exemplo, ela é criada em um aviário onde é solta durante o dia e presa em um galpão à noite, come ração de origem vegetal, entre outros (saiba mais no infográfico no início da reportagem). Produção de ovos orgânicos tem diversas regras; conheça Cor da casca Cores das casca do ovo são definidas pela linhagem de cada galinha. Unplash Mas o que define a cor da casca do ovo, então? Isso será determinado pela linhagem da galinha, que é o resultado do cruzamento de dois genitores de raças ou variedades diferentes. "Em geral, as linhagens que têm a pena marrom, vão botar ovos marrons. As linhagens com a pena branca, vão botar ovos brancos", explica Lívia, do UniBH. Essa lógica só serve para as linhagens, que são utilizadas nas granjas comerciais. Já em raças puras, ou seja, onde não houve cruzamento, é possível encontrar galinhas que botam ovos de cores diferentes das de sua pluma, explica a veterinária. Gema do ovo Já a cor da gema do ovo é definida pela alimentação da galinha e pela adição ou não de pigmentos na ração. De forma geral, a gema do ovo caipira, por exemplo, tem um tom amarelo mais forte, mais escuro, devido ao fato de essas aves terem acesso a uma área externa, onde consomem, além da ração, plantas que contêm pigmentos naturais. Porém nem sempre um ovo com a gema mais escura será somente caipira. Isso varia muito, pois pigmentos artificiais ou naturais podem ser adicionados às rações de galinhas criadas em outros sistemas, alterando, assim, a coloração da gema. E isso depende de aviário para aviário. Nutrição Seja marrom, ou branco, as propriedades nutricionais são as mesmas, explica a nutricionista Lígia dos Santos, da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo. "O ovo possui bom valor nutritivo, contendo vitaminas A, D, E e B e minerais como ferro, fósforo, zinco e selênio. Ele fornece ainda aminoácidos essenciais para o crescimento e desenvolvimento muscular tanto dos mais novos como dos mais idosos", afirma. Mas, como regra de toda alimentação equilibrada, é bom não exagerar. "A recomendação deverá ser de, no máximo, 1 ovo ao dia", diz a nutricionista. "O consumo de 3 ovos cozidos ao dia em uma dieta somaria a quantidade de 559mg de colesterol, estando acima da recomendação diária de 300mg", acrescenta. Ovo é renda no campo Veja mais vídeos da indústria-riqueza do país Initial plugin text

Pagamento começa nesta quinta para trabalhadores do Bolsa Família; para demais beneficiários, pagamentos começam na sexta-feira (18). A Caixa Econômica Federal (Caixa) começa a pagar nesta quinta-feira (17) a terceira parcela do Auxílio Emergencial, para os beneficiários que fazem parte do Bolsa Família. Quem recebe nesta quinta são aqueles cujo número do NIS se encerra em 1. Terei direito? Quanto vou receber? Veja perguntas e respostas Veja o calendário completo Veja como saber se você vai receber Saiba como contestar se você teve o beneficio negado Beneficiário precisa estar com o CPF regular; saiba como fazer SAIBA TUDO SOBRE O AUXÍLIO EMERGENCIAL Também nesta quinta, a Caixa libera os saques e transferências da segunda parcela aos beneficiários que não fazem parte do Bolsa Família nascidos em dezembro, que receberam a parcela em poupança social digital no dia 30 de maio. Com isso, a Caixa conclui o segundo ciclo de pagamentos do Auxílio 2021. Para os trabalhadores fora do Bolsa Família, os pagamentos da terceira parcela começam na sexta-feira (18). (veja nos calendários mais abaixo). Auxílio emergencial 2021: entenda as regras da nova rodada NESTA QUINTA: beneficiários do Bolsa Família com NIS final 1 recebem a 3ª parcela do Auxílio trabalhadores que não fazem parte do Bolsa Família, nascidos em dezembro, podem sacar e transferir a segunda parcela Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial, pelo site auxilio.caixa.gov.br ou pelo https://consultaauxilio.cidadania.gov.br/ Calendários de pagamento Veja abaixo os calendários de pagamento. BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA Auxílio Emergencial 2021 Bolsa Família Economia G1 BENEFICIÁRIOS FORA DO BOLSA FAMÍLIA Auxílio Emergencial calendário completo 15.06.21 Economia G1 VÍDEOS: as últimas notícias sobre o Auxílio Emergencial beneficiários do Bolsa Família o
O que define a cor da casca e da gema do ovo? Quantos podemos comer por dia? Responda a essas e outras perguntas. Sabe tudo sobre ovos? Teste o seu conhecimento

Vítimas poderão recuperar arquivos sem pagar o resgate. Sistemas brasileiros também foram atacados, segundo investigadores. Sites do vírus Avaddon foram retirados do ar e chaves de decifragem foram enviadas a especialistas. Armin Hanisch/Freeimages.com Especialistas identificaram que os servidores da infraestrutura do vírus de resgate Avaddon não estão mais disponíveis e que o site na "deep web" usado para negociar os pagamentos também foi retirado do ar, indicando que as operações foram encerradas. O conteúdo publicado por perfis que os criadores do vírus mantinham em fóruns de hackers também foi eliminado. Um arquivo contendo 2.934 chaves de decifragem também foi enviado ao site "Bleeping Computer", que é especializado em segurança e tem destaque na cobertura de ataques desse tipo de praga digital. A mensagem tinha um remetente anônimo. Os vírus de resgate embaralham os arquivos dos sistemas atacados e exigem que a vítima pague para receber uma ferramenta capaz de desfazer o estrago. No entanto, com as chaves divulgadas, é possível criar uma ferramenta que recupere os dados sem o pagamento. Esse trabalho já foi realizado pela Emsisoft, que colocou a ferramenta em seu site. A ferramenta também poderá ser sugerida pelo site "No More Ransom", caso ele identificar um arquivo cifrado pelo Avaddon. É possível recuperar arquivos sequestrados por vírus de resgate? Segundo autoridades policiais nos Estados Unidos e na Austrália, que compilaram uma lista de países atacados pelo Avaddon, os hackers atingiram alvos no Brasil. Segundo a empresa de segurança Cybereason, os hackers enviavam e-mails com anexos de extensão dupla (como ".jpg.zip") para confundir o destinatário e conseguir uma porta de entrada para a rede das empresas. O Avaddon pertence ao grupo de vírus de resgate que tentam extrair dados dos sistemas das vítimas e ameaçam vazar as informações caso o pagamento seja negado. Sendo assim, a recuperação dos sistemas nem sempre é o suficiente para anular o prejuízo causado pelo vírus. Contudo, a queda do site onde o Avaddon listava suas vítimas também significa que essas informações não estão mais acessíveis, embora seja possível que elas voltem ao ar em outro canal. Além do Brasil, da Austrália e dos Estados Unidos, o vírus também atingiu diversos países na Europa e no Oriente Médio. Site do Avaddon onde vítimas podiam obter informações específicas e negociar pagamento com criminosos. Reprodução/Cybereason Atividade encerrada após um ano O Avaddon foi descoberto em junho de 2020, mas não chamou muita atenção até maio de 2021, quando o FBI e a polícia australiana publicaram o alerta sobre a atividade dos criminosos. Segundo dados da empresa de segurança Recorded Future, o Avaddon se tornou um dos vírus mais ativos após esse aumento nos ataques – até ele ser repentinamente desativado. Ainda de acordo com a empresa, os hackers haviam anunciado a pretensão de mudar o funcionamento do ransomware para um modelo "privado", abandonando o formato "ransomware como serviço", em que muitos criminosos podem atuar para instalar o vírus nas redes de empresas. Alguma mudança no vírus de resgate já era esperada após essa movimentação, mas não havia indícios de que a operação seria definitivamente encerrada. É o segundo vírus de resgate que encerra suas operações em pouco mais de um mês. Pouco após atacar o oleoduto da Colonial Pipeline nos Estados Unidos, os operadores do vírus DarkSide também "fecharam as portas", alegando pressão das autoridades. Especialistas chegaram a cogitar a possibilidade de que os responsáveis pelo DarkSide teriam tentado fugir com o dinheiro para dar "calote" nos "afiliados" que ainda deveriam receber sua comissão referente aos ataques que ajudaram a realizar. O FBI revelou depois que estava de fato monitorando esses invasores e que conseguiu interceptar as criptomoedas pagas como resgate pela Colonial Pipeline. Porém, nenhuma prisão foi realizada. Criadores de vírus que atacou oleoduto nos EUA anunciam fim das operações e prometem recuperação de arquivos EUA recuperam US$ 2,3 milhões em criptomoedas pagos a hackers que atacaram oleoduto da Colonial Pipeline Após ataque à JBS, EUA concentram combate a extorsão digital em força-tarefa e acenam pressão contra a Rússia Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para [email protected] Veja dicas para se manter seguro on-line
Ainda que aumento tenha sido dentro do esperado pelo mercado, BC reforça preocupação com "persistência da pressão inflacionária" e estabelece um "teto" para elevar a Selic sem sustos se for necessário. Taxa Selic: entenda o que é a taxa básica de juros da economia brasileira Em tom mais duro, o Comitê de Política Monetária (Copom) prepara o cenário para elevações mais rápidas da taxa básica de juros do país no ano. Essa é a avaliação de economista consultados pelo G1 sobre a elevação da taxa Selic de 3,5% para 4,25% ao ano, anunciada nesta quarta-feira (16). O novo valor é o maior nível para os juros desde o final de 2019. De acordo com o boletim Focus, a previsão é de que a Selic termine 2021 em 6,25% ao ano, o que representará, se confirmado, uma forte puxada em relação aos 2% ao ano registrados no começo de 2021. LEIA MAIS Veja as últimas estimativas de mercado para juros e inflação Pressão da inflação leva Copom a aumentar taxa básica de juros de 3,5% para 4,25% ao ano Veja como fica o rendimento da poupança com a alta da Selic para 4,25% ao ano A alta tem como plano de fundo a disparada dos índices de inflação. Em maio, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulou alta de 8,06% em 12 meses, muito acima da meta que vai de 2,25% a 5,25% em 2021. Em comunicado divulgado pelo Banco Central (BC), o Copom deixa claro que as preocupações se voltaram para a inflação de 2022. O texto ressalta que os riscos para a recuperação econômica brasileira reduziram-se "significativamente", mas há possíveis choques inflacionários de curto prazo – como uma alta de preços de energia com intensificação de uma possível crise hídrica e reação do setor de serviços pós-vacinação – que continuam no radar. O ASSUNTO: O governo como sócio da inflação A elevação de juros, contudo, leva em conta uma "persistência da pressão inflacionária", que "revela-se maior que o esperado, sobretudo entre os bens industriais". O Comitê dá recado de que questionamentos sobre "a continuidade das reformas e alterações de caráter permanente no processo de ajuste das contas públicas" podem elevar mais rápido a taxa de juros da economia. "Para a próxima reunião, o Comitê antevê a continuação do processo de normalização monetária com outro ajuste da mesma magnitude. Contudo, uma deterioração das expectativas de inflação para o horizonte relevante pode exigir uma redução mais tempestiva dos estímulos monetários", diz o comunicado. Veja abaixo o que disseram os especialistas. Gustavo Loyola, ex-presidente do BC Para o economista e sócio da Tendências Consultoria, a comunicação do BC deixa claro que as preocupações deixaram de ser a atividade econômica e o foco está no controle da inflação. Segundo Loyola, a carta parece mais "confiante" na recuperação da economia, mas mostra, em vários momentos, que são vários os riscos de inflação no radar – desde a crise hídrica, da persistência de câmbio mais depreciado até o retorno do apelo por reformas econômicas no Congresso Nacional. "Um aumento de 1 ponto percentual na Selic neste momento seria algo fora do cenário previsto. Na próxima reunião, não seria", afirma Loyola. O ex-presidente do BC, contudo, espera novo ajuste de 0,75 pontos, salvo uma grande novidade fora da prevista no horizonte. Carlos Kawall, ex-secretário do Tesouro O diretor da Asa Investments afirma que um dos pontos de atenção na nota do Copom foi a retirada da indicação de "normalização parcial" dos juros, que norteavam os reajustes em reuniões anteriores. Com a nota deixando claro que o Copom busca um nível "neutro" de juros reais, há mais clareza e transparência de que patamar o BC quer chegar com a Selic, diz o analista. "O BC tem deixado claro que enxerga como juro neutro uma taxa real de 3% ao ano. Considerando a meta de inflação do ano que vem, pode-se supor que vá a cerca de 6,5% ao ano", diz Kawall. Colocar essa espécie de teto em perspectiva também prepara o mercado financeiro para aumentos mais velozes da Selic. Ainda que o BC tenha indicado que a intenção é repetir 0,75 ponto percentual de aumento na próxima reunião do Copom, o estabelecimento do juro neutro dá a entender que ele não será elevado demais, tornando a política monetária mais contracionista. "Houve uma preocupação muito forte com a ancoragem das expectativas. Deixa claro que pode subir o juro por um problema, que é a inflação, mas também por um bom motivo, que é a recuperação melhor que a esperada", diz o economista. André Perfeito, economista-chefe da corretora Necton Na avaliação de André Perfeito, economista-chefe da corretora Necton, o Copom deve elevar a taxa de juros até 6,5% ao ano até o fim de 2021, uma vez que os preços das commodities ainda estão altos e o reajuste da energia elétrica deve pressionar ainda mais a inflação. “Vamos estourar o teto da meta este ano. O BC tem que tentar coordenar as expectativas mais rapidamente. É preferível que ele suba mais a taxa de juros agora e menos depois para baixar os juros longos de forma indireta”, disse. Segundo o economista, o risco de uma “lentidão” é os Estados Unidos elevarem os juros também, o que deve gerar “um ruído enorme ao país”, afirmou. “As condições externas não vão ficar favoráveis para sempre. Se a economia norte-americana estiver bombando e a inflação subir [ainda mais], os juros vão subir também”, analisou. Nesta quarta-feira (16), o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) decidiu manter inalteradas suas taxas de juros, apesar da elevação da inflação no país. A taxa básica foi mantida no piso entre zero e 0,25%. A projeção de alta, no entanto, foi antecipada para 2023. Virginia Prestes, professora de finanças da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP) Para Virginia Prestes, professora de finanças da Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), o aumento da Selic desta quarta deve ter continuidade para que a inflação termine o ano no centro da meta, de 3,75%. “A alta do dólar no ano passado impactou o IPCA em 12 meses. A moeda ter caído dá uma aliviada no índice, mas há novos fatores que influenciam, como o próprio avanço do PIB. O país crescer mais do que o previsto pode resultar em mais inflação”, destacou. A especialista acrescenta também que a crise hídrica pode criar um novo risco para o país, uma vez que deve gerar custos elevados tanto para a indústria quanto para o consumidor final. 'Já se esperava que o BC fosse fazer uma elevação gradual da taxa Selic', diz Ana Flor 00:00 / 12:33

Caderneta de poupança passa a ter retorno de 0,25% ao mês e de 2,98% ao ano, mas deve continuar perdendo para a inflação. Em maio, rendimento real da aplicação financeira foi o pior dos últimos 30 anos. Com a elevação da taxa básica de juros (Selic) para 4,25% ao ano, a caderneta de poupança passará a render um pouquinho mais. A rentabilidade passará a ser de 0,25% ao mês e 2,98% ao ano, segundo cálculos da Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade (Anefac). Antes, com a Selic a 3,5% ao ano, o rendimento da aplicação financeira mais popular do país estava em 0,20% ao mês e de 2,45% ao ano. Pressão da inflação leva Copom a aumentar taxa básica de juros de 3,5% para 4,25% ao ano Copom endurece tom e deixa espaço para alta mais rápida dos juros, dizem analistas Nesta quarta-feira (16), o Copom (Comitê de Política Monetária) elevou a Selic pela terceira vez consecutiva, de 3,50% para 4,25% ao ano, confirmando as expectativas do mercado. Mesmo rendendo um pouco mais, vale lembrar que a poupança vem perdendo para a inflação há meses. Já são 9 meses seguidos que a modalidade amarga uma queda no poder de compra. Pela regra em vigor desde 2012, quando a Selic está abaixo de 8,5% a correção anual da caderneta de poupança é limitada a um percentual equivalente a 70% dos juros básicos mais a Taxa Referencial (TR, que está em zero desde 2017). Taxa Selic: entenda o que é a taxa básica de juros da economia brasileira Simulação de aplicação de R$ 10 mil Veja como fica um rendimento de R$ 10 mil na poupança num prazo de 12 meses, considerando a manutenção da nova taxa de retorno, segundo simulações do diretor executivo da Anefac, Miguel José Ribeiro de Oliveira: Antes: rendimento era de R$ 245 (totalizando R$ 10.245 ou 2,45% ao ano) Agora: rendimento será de R$ 298 (totalizando R$ 10.298 ou 2,98% ao ano) Vale destacar, porém, que os depósitos feitos até abril de 2012, na chamada "poupança velha", continuam rendendo 0,50% ao mês e 6,17% ao ano (ou R$ 617 para cada R$ 10 mil aplicados). Poupança x inflação No acumulado de janeiro a maio deste ano, os brasileiros já retiraram R$ 23,6 bilhões da caderneta de poupança, de acordo com dados do Banco Central. Desde setembro do ano passado, a poupança vem perdendo rentabilidade. Em maio, o retorno em 12 meses, descontada a inflação medida pelo IPCA, foi de -6%, segundo levantamento da provedora de informações financeiras Economatica. Foi o pior rendimento real da poupança desde outubro de 1991, quando o poupador perdeu -9,72% em 12 meses. Rentabilidade real da poupança em 12 meses Economia G1 Em maio, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 0,83% e a inflação oficial do país atingiu 8,06% em 12 meses. Os economistas do mercado financeiro projetam atualmente uma taxa de 5,82% para o IPCA em 2021, acima do teto da meta do governo para o ano, que é de 5,25%. Já a previsão para a Selic no fim de 2021 está em 6,25% ao ano, o que embute novas altas na taxa de juros nos próximos meses. Outros investimentos em renda fixa A elevação da Selic também tende a melhorar a rentabilidade de outras aplicações financeiras em renda fixa, como investimentos em títulos públicos, vendidos por meio do Tesouro Direto, além de Certificado de Depósito Bancário (CDB), Letras de Crédito Imobiliário (LCI), Letras de Crédito do Agronegócio (LCA), Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e do Agronegócio (CRA). Embora a poupança deva continuar perdendo para a inflação, a Anefac destaca que a modalidade continuará se destacando, por exemplo, frente aos fundos de renda fixa, principalmente sobre aqueles cujas taxas de administração sejam superiores a 1% ao ano. Vale lembrar que os rendimentos da caderneta de poupança são isentos do pagamento de imposto de renda e de taxas de administração. Numa aplicação no CDB, por exemplo, o investidor precisaria obter uma taxa de juros de cerca de 85% do CDI para ter a mesma rentabilidade líquida da poupança, já que as aplicações em CDB pagam IR de acordo com o prazo de resgate da aplicação, destaca a Anefac. Comparativo de retorno dos últimos 12 meses Em 12 meses até maio, o Ibovespa acumulada a maior rentabilidade, descontada a inflação, entre as principais modalidades de investimento, segundo o levantamento da Economatica. Já o dólar tem o pior retorno em 12 meses, com desempenho pior que o da poupança. Veja abaixo o comparativo: Ibovespa: 33,64% Fundos multimercados (IHFA): 2,99% Títulos públicos indexados ao IPCA (IMA-B): 1,03% Ouro: 0,08% Euro: -1,75% Fundos imobiliários: -1,93% CDI: -5,44% Poupança: -6% Dólar: -10,77%
O faturamento anual das granjas é de R$ 16 bilhões. Ovo é renda no campo Estrelado, mexido ou cozido, o ovo é um bom companheiro: no arroz com feijão, na salada, no hamburguer. É muito popular no bife a cavalo. Ou sofisticado, no ovo mollet. É ainda a base de muitos doces e bolos. Banana, abacate, caju: veja de onde vem os alimentos Ovo é renda no campo. O faturamento anual das granjas é de R$ 16 bilhões. E é riqueza na exportação. A venda de ovos férteis chega a US$ 58 milhões por ano. O ovo também ajuda na produção das vacinas da gripe e da febre amarela. Ovo é proteína barata. E faz bem pra saúde. Ovo é agro! VÍDEOS: veja mais sobre a indústria-riqueza do Brasil

Um dos recursos permite moderar automaticamente posts e comentários compartilhados nas comunidades. Segundo a rede social, objetivo é garantir segurança e oferecer conversas saudáveis. Administradores podem encontrar rapidamente posts e comentários que mais exigem sua atenção. Divulgação/Facebook O Facebook apresentou nesta quarta-feira (16) mais recursos para administradores controlarem o que é publicado em seus grupos. Entre as novidades, estão uma ferramenta de moderação automática e uma seção para moderadores encontrarem rapidamente posts e comentários que exigem a sua atenção. As mudanças deverão impactar os mais de 120 milhões de usuários no Brasil que participaram de ao menos um grupo em maio de 2021, segundo dados da rede social. “Manter a segurança nos grupos no Facebook é uma prioridade, e os administradores são fundamentais para ajudar a preservar uma cultura segura e saudável nas suas comunidades”, afirmou a vice-presidente de Comunidades do Facebook, Maria Smith. Golpes no WhatsApp: saiba como se proteger Celular roubado ou perdido? Saiba o que fazer Moderação automática em grupos Uma das ferramentas liberadas pelo Facebook permite definir critérios que devem ser seguidos pelos participantes de grupos em publicações e comentários. Batizado de Assistente do Administrador, ele ajuda a manter uma moderação automática sobre o conteúdo que é publicado na comunidade. Assistente do Administrador permite definir regras em posts e comentários em grupos. Divulgação/Facebook Os administradores podem, por exemplo, restringir posts de usuários que estão há pouco tempo no Facebook ou no grupo. Além disso, é possível impedir o compartilhamento de links indesejados. Para ajudar os membros do grupo, o Facebook permite indicar por que o post ou comentário foi recusado. A partir da explicação, o autor pode editar o conteúdo e tentar reenviá-lo. A rede social também implementou alertas para moderadores. O recurso usa inteligência artificial para identificar conversas possivelmente controversas entre participantes de uma comunidade. O objetivo é ajudar administradores a adotarem as medidas necessárias rapidamente. Uma das possibilidades liberadas pelo Facebook permite reduzir a frequência de comentários de certos participantes ou em publicações específicas. Alerta de moderação do Facebook identifica discussões controversas em grupos. Divulgação/Facebook Análise de participantes de grupos O Facebook criou uma área para administradores analisarem rapidamente posts, membros e comentários denunciados. A seção também pode ser usada para gerenciar configurações do grupo, como sua visibilidade para os demais usuários da rede social. Os moderadores ganharam ainda uma página com informações sobre cada membro da comunidade. A seção exibe informações como o número de publicações e comentários da pessoa nos últimos 90 dias, bem como quantas de suas postagens foram excluídas ou silenciadas. Saiba como evitar golpes no WhatsApp Golpes no Whatsapp: saiba como se proteger
Aumento de 0,75 ponto percentual já era esperado por analistas do mercado. Economistas estimam que taxa Selic alcançará 6,25% no final do ano. BC eleva os juros pela terceira vez seguida, agora para 4,25% ao ano O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu nesta quarta-feira (16) elevar a taxa básica de juros da economia, a Selic, de 3,5% para 4,25% ao ano. O objetivo é conter a pressão inflacionária. É a terceira elevação consecutiva da taxa. A decisão já era esperada pela maior parte dos analistas do mercado financeiro, que previa aumento de 0,75 ponto percentual da Selic. Uma outra parte chegou a estimar elevação maior, de um ponto, para 4,5%. >>> Mais abaixo, saiba quais são as consequências da decisão do Copom na economia e como a decisão é tomada pelo comitê. Este foi o terceiro aumento da Selic em 2021. Em março, quando o Copom decidiu elevar a taxa pela primeira vez em quase seis anos, a Selic passou de 2% para 2,75% ao ano. Em maio, subiu de novo, para 3,5% ao ano. Os economistas avaliam que o aumento da taxa continuará neste ano. A previsão é que a Selic termine 2021 em 6,25% ao ano, segundo pesquisa do Banco Central com mais de 100 instituições financeiras. A inflação registrada em maio foi a maior em 25 anos. No comunicado sobre a decisão desta quarta-feira, o Copom afirmou que a pressão inflacionária está maior que o esperado, sobretudo em relação aos bens industriais, e que o risco de crise energética contribui para manter a expectativa de inflação elevada no curto prazo. "O comitê segue atento à evolução desses choques e seus potenciais efeitos secundários, assim como ao comportamento dos preços de serviços conforme os efeitos da vacinação sobre a economia se tornam mais significativos", diz em nota. O Copom ressaltou que, no cenário "básico", permanecem fatores que podem reduzir a inflação, como o recente aumento preços das commodities. Taxa Selic: entenda o que é a taxa básica de juros da economia brasileira Consequências O processo de alta dos juros, que teve início em março e deve prosseguir nos próximos meses, segundo especialistas, gera algumas consequências para a economia, entre as quais: Reflexos nos juros cobrados pelos bancos, que já vêm sendo pressionados pelos "riscos fiscais" – aumento de gastos públicos – e também pela previsão de alta da inadimplência, além do quadro político e do ritmo da vacinação contra a Covid-19; A elevação da taxa de juros influencia negativamente o consumo da população e os investimentos produtivos, impactando, assim, o emprego e a renda; A alta do juro básico aumenta a remuneração das aplicações financeiras no Brasil, estimulando o ingresso de recursos na economia e atenuando as pressões de valorização do dólar. O aumento na taxa Selic gera elevação de despesas com juros da dívida pública. Próximo aumento Para a próxima reunião do Copom, marcada para os dias 3 e 4 de agosto, o comitê sinalizou que deve aumentar a taxa Selic novamente em 0,75 ponto percentual. "Para a próxima reunião, o Comitê antevê a continuação do processo de normalização monetária com outro ajuste da mesma magnitude", escreveu o comitê. O Copom, contudo, não descartou uma alta maior, caso a inflação continue subindo. "Uma deterioração das expectativas de inflação para o horizonte relevante pode exigir uma redução mais tempestiva dos estímulos monetários. O Comitê ressalta que essa avaliação também dependerá da evolução da atividade econômica, do balanço de riscos e de como esses fatores afetam as projeções de inflação", escreveu. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) – a inflação oficial do país – ficou em 0,83% em maio, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Como a decisão é tomada O Copom fixa a taxa básica de juros com base no sistema de metas de inflação, fixadas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para 2021, a meta central é de 3,75%. Pelo sistema de metas, a meta será considerada cumprida se ficar entre 2,25% e 5,25% em 2021. Para o ano que vem, a meta central de inflação é de 3,50% e será oficialmente cumprida se o índice oscilar de 2% a 5%. Análise Ouça o episódio do podcast Educação Financeira sobre "Os impactos da Selic no bolso dos brasileiros":

Imagem se tornou o meme NFT mais caro da história. Arquivo foi vendido como uma obra NFT, que usa tecnologia para criar um selo de propriedade sobre imagens, vídeos ou sons. Meme Doge foi vendido como NFT Reprodução O meme Doge foi vendido em um leilão virtual de NFT por valor equivalente a US$ 4 milhões, de acordo com informação da NBC News. A imagem se tornou o meme NFT mais caro da história ultrapassando outros vendidos recentemente, como o da garota em frente a um incêndio. A tecnologia NFT – "non fungible token" em inglês, ou token não fungível – funciona como um "selo" para arquivos digitais. Os tokens não fungíveis são certificados de propriedade vinculados a um produto digital, seja uma imagem, vídeo, animação, foto, som ou texto. NFT: 5 pontos sobre a tecnologia que torna um arquivo digital ‘único’ Conhecida em muitas postagens na internet, a imagem mostra uma cadela Shiba Inu com uma expressão de preocupada. Em 2019, o meme venceu o prêmio de "Meme da década", promovido pelo site Know Your Meme. A venda no leilão foi fechada por 1.696,9 ethereums, uma criptomoeda similar ao bitcoin. Na cotação atual, o valor é equivalente a mais de R$ 20 milhões. O que é NFT? G1 responde

Um local de trabalho compartilhado favorece a troca de informações e a inovação, e estes benefícios devem levar muitas empresas a abandonar o home office, prevê consultoria britânica. Jessica Bowles disse que as empresas querem espaços mais flexíveis e baratos, mas a maioria ainda deseja um escritório disponível por cinco dias Bruntwood A semana de trabalho de cinco dias presenciais pode se tornar a regra novamente dentro de dois anos, segundo o centro de estudos britânico Center for Cities. No Reino Unido, a expectativa para o pós-pandemia é uma mistura de home office e períodos de trabalho no escritório, enquanto o país não se recupera totalmente dos efeitos da covid. Mas alguns analistas preveem uma volta aos padrões de trabalho anteriores à pandemia. Atualmente, as pessoas que podem trabalhar em casa ainda são aconselhadas a fazê-lo. No entanto, é provável que esse cenário mude se o governo do Reino Unido acabar com todas as restrições de distanciamento social em 21 de junho. "Espero que tenhamos três ou quatro dias por semana no escritório enquanto o Reino Unido se recupera", disse Paul Swinney, diretor de políticas e pesquisas do Center for Cities, ao programa Wake Up to Money, da BBC Radio 5 Live. "A longo prazo, estou bastante esperançoso de que veremos as pessoas voltando a trabalhar cinco dias por semana. A razão para isso é que um dos benefícios de estar no escritório é a interação com outras pessoas, ter novas ideias e compartilhar informações", afirmou. Os números mostram um aumento gradual na ocupação de escritórios nas principais cidades do Reino Unido, incluindo Manchester Getty Images Dados do Instituto Nacional de Estatística Britânico, publicados em maio, revelaram que a maioria dos britânicos não trabalhava de casa antes de 2020. A proporção de pessoas que fazem home office mais do que dobrou durante a pandemia. O movimento atingiu o mercado imobiliário de escritórios, ao mesmo tempo que gerou muita discussão sobre o futuro do local de trabalho. A demanda por mais escritórios no centro de cidades britânicas agora parece estar aumentando. Números da agência imobiliária Savills mostram que a ocupação por metragem quadrada nas seis maiores cidades do Reino Unido aumentou significativamente desde o segundo trimestre de 2020. A agência disse que também registrou "aluguéis recordes" para alguns escritórios de primeira linha na Grande Londres e em outras áreas urbanas do país. Os setores que assinaram alguns dos maiores acordos com escritórios regionais foram os serviços públicos, como de educação e saúde. Imobiliárias que alugam imóveis enfrentam dificuldades durante a pandemia. Na segunda-feira, a firma de escritórios compartilhados IWG alertou sobre uma queda acentuada nos lucros. No entanto, a empresa disse estar vendo uma "demanda sem precedentes" por seus serviços flexíveis de escritório, já que muitas outras empresas adotaram o modelo de trabalho híbrido. James Morris e sua irmã Naomi começaram seu negócio antes da pandemia para servir aos trabalhadores de Birmingham James Morris 'A maioria das empresas quer cinco dias no escritório' Jessica Bowles, diretora de estratégia da incorporadora de imóveis comerciais Bruntwood, que opera em Manchester, Birmingham, Leeds e Liverpool, disse à BBC que sua empresa também sentiu uma alta da demanda por escritórios flexíveis e com serviços de locações curtas. "Tivemos uma aceitação muito forte. As pessoas querem termos flexíveis. O que é interessante é que são as corporações que querem fazer isso, bem como as pequenas empresas." Mas o trabalho híbrido não significa que os aluguéis flexíveis sejam mais baratos, pois "a flexibilidade tem seu preço". A maioria das empresas também deseja manter um escritório de cinco dias, disse ela. "A maioria deseja manter um escritório e diz não poder abrir mão do espaço por um determinado número de dias por semana. Eles apenas querem usar o escritório de maneira diferente. Isso significa mais espaço colaborativo, menos bancadas de mesas, lugares onde as pessoas podem se reunir, criar e inovar." Ela acrescentou que, embora o trabalho híbrido estivesse crescendo em popularidade antes da covid-19, o padrão de trabalho poderia ser "desafiador" para as empresas se alguns funcionários estivessem em casa e outros, no escritório. "Acho que, tanto no nível pessoal como empresarial, veremos mais pessoas valorizando o encontro presencial. Mas às sextas-feiras são sempre muito tranquilas no escritório, e não espero que isso mude." Já as empresas que dependem do trabalho presencial têm esperança de que sua sorte irá melhorar em breve. Em Birmingham, os proprietários do café Morridge, os irmãos James e Naomi Morris, estão ansiosos pela chegada de mais trabalhadores ao centro da cidade. Eles abriram o negócio em 2019 de olho nas pessoas que trabalham por ali. James disse à BBC que começou a ver mais clientes entrando no café novamente. "Nas últimas semanas, os funcionários dos escritórios têm voltado lentamente. As pessoas estão começando a trabalhar no café. Uma senhora veio tomar o café da manhã outro dia e atendeu alguns telefonemas de trabalho. Quartas e quintas-feiras são nossos dias mais movimentados", diz. Ele espera que mais trabalhadores retornem ao Centro da cidade no final do mês, caso as restrições impostas pelo governo acabem em 21 de junho. "cho que tudo vai voltar." Mas a perspectiva de um retorno em massa aos escritórios, mesmo de forma híbrida, não será necessariamente bem-vinda por todos os funcionários. Uma equipe da Apple teria lançado uma campanha contra os planos do presidente da empresa, Tim Cook, de que os funcionários fossem ao escritório pelo menos três dias por semana até setembro.
Fed se comprometeu ainda a dar continuidade ao seu programa de compra de títulos de ao menos US$ 120 bilhões ao mês. O Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) decidiu nesta quarta-feira (16) manter inalteradas suas taxas de juros, apesar da elevação da inflação no país. A taxa básica foi mantida no piso entre zero e 0,25%. Em abril, a inflação anual do país chegou a 3,6%, acima da meta de 2% estabelecida pelo próprio Fed. A autoridade monetária considerou, no entanto, que a inflação segue 'persistentemente' abaixo de sua meta de longo prazo. Em seu comunicado de decisão de política monetária divulgado após reunião de dois dias, o Fed se comprometeu ainda a dar continuidade ao seu programa de compra de títulos de ao menos US$ 120 bilhões ao mês, "até que haja progressos substanciais em direção às metas de emprego máximo e estabilidade de preços do Comitê". Em suas projeções econômicas, o Fed passou a estimar uma inflação mais alta, de 3,4%, e adiantou para 2023 suas projeções para primeira alta dos juros nos Estados Unidos pós-pandemia de Covid-19, citando melhora na situação sanitária e excluindo uma referência de que a crise estava pesando sobre a economia.

Oportunidades estão disponíveis em Dracena, Presidente Prudente e Sandovalina. Inscrições devem ser feitas pela internet. Fatec de Presidente Prudente Cedida/Secom Nesta quarta-feira (16), quem busca uma oportunidade em concurso público e processos seletivos, tem chances em três cidades do Oeste Paulista. Sandovalina A Prefeitura de Sandovalina (SP) abriu processo seletivo e concurso público para preenchimento de seis vagas e formação de cadastro reserva para profissionais de várias áreas. As chances são para: Agente comunitário de saúde (2) Auxiliar de consultório (1) Técnico de enfermagem (2) Os candidatos precisam ter escolaridade entre os níveis médio e técnico e superior, conforme o cargo de interesse. A remuneração varia entre R$ 934,57 a R$ 1.095,98, para carga horária de 40 horas semanais. As inscrições vão até o dia 17 de junho e devem ser feitas pela internet. A taxa é de R$ 30. Escola Técnica Estadual Dracena A Escola Técnica Estadual, em Dracena (SP), abriu inscrições para processos seletivos, destinados à contratação temporária de professores de ensino médio e técnico. De acordo com o edital de abertura, há oportunidades nas seguintes áreas: Administração de Recursos Humanos Administração Financeira e Orçamentária Cálculos Financeiros e Estatísticos (para a Habilitação Administração) Custos, Processos e Operações Contábeis Instalação para Computadores I Planejamento dos Processos Comerciais Microbiologia Operações Unitárias nos Processos Industriais I Planejamento, Programação e Controle da(de) Produção Síntese e Identificação dos Compostos Orgânicos Planejamento Organizacional Aplicado à Logística A remuneração prevista é de R$ 18,35 por hora-aula. As inscrições devem ser feitas até o dia 22 de junho. Presidente Prudente A Faculdade de Tecnologia (Fatec), em Presidente Prudente (SP), abriu inscrições para um novo processo seletivo simplificado destinado à contratação de professor do ensino superior. Segundo o edital de abertura, há vagas disponíveis entre as seguintes disciplinas e áreas: Avaliação bromatológica - produção animal e veterinária (1); Fisiologia animal - produção animal e veterinária (1); Processamento de alimentos/produção animal e veterinária (1); Tecnologias aplicadas à ovinocultura e caprinocultura/produção agrícola e silvicultura/produção animal e veterinária (1)/produção agropecuária (1); Sociedade e tecnologia/administração e negócios/ciências políticas e econômicas/ comunicação visual e multimídia, filosofia, sociologia e ética (1). A remuneração prevista é de R$ 31,0 a hora-aula. As inscrições devem ser feitas pela internet até o dia 28 de junho. VÍDEOS: Tudo sobre a região de Presidente Prudente Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.

No mês, vendas externas foram de US$ 13,94 bilhões. Soja Divulgação/Agropecuária A exportação de produtos do agronegócio do Brasil avançou 33,7% em maio ante o mesmo mês do ano passado, para um recorde de US$ 13,94 bilhões, com a forte demanda da China impulsionando os embarques brasileiros, informou o Ministério da Agricultura nesta quarta-feira (16). O maior impulso para a marca em uma série histórica desde 1997 foi o aumento das cotações das commodities, disse o ministério, apontando avanço de 24,6% no índice de preços, enquanto o crescimento do indicador de quantum (quantidade) foi de 7,3%. Ainda assim, o resultado teve fundamental impulso dos embarques de soja, cujo volume atingiu um recorde histórico para todos os meses de 16,4 milhões de toneladas em maio, disse o ministério, confirmando dados divulgados mais cedo no mês. A oleaginosa, cujos embarques dispararam 16% em volume especialmente pela demanda da China, tem sido o principal produto de exportação do país em receitas nos últimos anos. O ministério citou que a pandemia levou países a ampliarem as compras de commodities agrícolas, com foco na garantia de estoques de alimentos, o que ajuda a explicar os grandes volumes embarcados. Mas destacou que a forte demanda da China está impulsionando os preços de grãos, destinados à recomposição e ampliação dos rebanhos suíno e de frango no país asiático. O complexo soja, que inclui farelo e óleo, além do grão, respondeu por praticamente 60% do valor das exportações do agronegócio no mês passado. Mas é o grão que responde pelo maior volume. Em maio, a China importou 11,2 milhões de toneladas de soja, equivalente a 68% do total exportado pelo Brasil, ou aumento absoluto de 1,1 milhão de toneladas em relação a maio de 2020, segundo o ministério. De janeiro a maio, só a China importou 38,2 milhões de toneladas de soja, alta de 12,8% na comparação anual, conforme dados do ministério. Ao todo, os embarques da oleaginosa somaram 48,3 milhões de toneladas no período, ou 20,3 bilhões de dólares (+29,6%). A China também tem impulsionado os embarques de carnes, que cresceram 4,4% de janeiro a maio para todos os países, para mais de 3 milhões de toneladas, com o faturamento atingindo 7,2 bilhões de dólares (+5,7%). Os produtos florestais, como celulose, madeira e papel, resultaram em exportações de 5,2 bilhões de dólares entre janeiro e maio, alta de mais de 10%, com um volume 11,8 milhões de toneladas (+10,6%).
Audiência debateu projeto que prorroga isenções e reduções do comércio por 10 anos, igualando prazo ao da indústria. Sem renovação, incentivos dos estados ao setor terminam em 2022. Governadores e representantes dos estados divergiram nesta quarta-feira (16), em audiência pública na Câmara dos Deputados, sobre o projeto de lei complementar que prorroga por 10 anos a validade de benefícios fiscais estaduais ao comércio. Ao longo do encontro, no entanto, os gestores estaduais concordaram na demanda por uma reforma tributária ampla, que unifique tributos federais, estaduais e municipais na tributação sobre o consumo — o tema também é debatido no Congresso Nacional. Se aprovado, o PLP 5, que trata das isenções ao comércio, estenderá a manutenção dos benefícios fiscais estaduais de 2022 para 2032. Em 2017, o Congresso Nacional tinha definido que incentivos ao comércio valeriam somente por cinco anos, e, para a indústria, por 15 anos. O projeto de lei em discussão, portanto, unifica os prazos dos setores. A proposta aguarda votação na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, e ainda terá de passar pela Comissão de Constituição e Justiça antes de ser votada em plenário. Juliana Rosa: ‘Mercado financeiro não acredita na reforma tributária em 2021’ Benefícios ao comércio O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), afirmou nesta quarta apoiar a prorrogação do benefício fiscal ao comércio proposto, com redução gradativa posterior dos incentivos. "Acho que esse é o caminho que permite um entendimento, e a proposta que tenho sustentado pelo estado do Piauí. é um debate que divide posições em relação aos estados. É preciso ter cuidado para que não haja desmantelamento [dos setores beneficiados atualmente]", disse Dias. O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), por sua vez, afirmou que as empresas do setor comercial que contam com benefícios fiscais empregam 20 mil trabalhadores no estado. Ele defendeu a aprovação da proposta que estenda os benefícios por mais dez anos. "Se não tivéssemos incentivos, boa parte das empresas poderia não estar no Espírito Santo. É uma forma de atrair atividades que não teríamos naturalmente. Não podemos tratar isso como renúncia, mas como uma política para distribuir desenvolvimento pelo Brasil a fora", declarou. O secretário de Fazenda do estado de São Paulo, Henrique Meirelles, defendeu o fim dos benefícios fiscais ao comércio no prazo legal já fixado, ou seja, em 2022. Segundo ele, a manutenção dos incentivos geraria insegurança jurídica, pois outros setores poderiam buscar mais prazo. "Existe um prazo pacificado [para o fim dos incentivos], considerado adequado na época [em que foi aprovado, em 2017] para o comércio. Tiveram prazo de se regulamentar. Se não o fizeram, apostaram na insegurança regulatória. E isso é péssimo para o país. Temos de honrar o acordo de 2017 e seguir em frente nos termos acordados", declarou ele. Marcelo Alvim, secretário-executivo de Economia do Distrito Federal, observou que quase 11 mil empregos são gerados na região no setor de comércio, que conta com incentivos, e defendeu a aprovação da extensão do prazo. "Isso demonstra a importância do setor para nós. É fundamental a aprovação desse PLP", declarou. Reforma tributária ampla Os representantes dos estados presentes na audiência pública voltaram a pedir, entretanto, uma reforma tributária ampla, o que contraria a proposta do governo federal. O Ministério da Economia defende uma reforma fatiada e criação da CBS (Contribuição sobre Bens e Serviços), englobando somente tributos federais. Relator da reforma tributária apresenta o parecer dele sobre a proposta Wellington Dias, do Piauí, diz que é preciso considerar a proposta dos estados para a reforma tributária. "O projeto precisa ser considerado pois é muito raro o momento no Brasil que se conseguiu isso. É a primeira vez na historia que eu vejo uma proposta que atenda a grandes objetivos como esse [com a concordância de todos governadores]", disse. O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, embora apoie a manutenção dos benefícios ao comércio por mais 10 anos, também defende que essa discussão seja contemplada na reforma tributária, em conjunto com a tributação sobre energia e combustíveis. "É importante avançarmos com a reforma tributária mais ampla, que leve em consideração a mudança de um sistema regressivo para distributivo de renda é fundamental. E que simplifique, que torne o sistema menos complexo, que torne um grande instrumento de enfrentamento das desigualdades sociais, um dos principais problemas do Brasil hoje", disse ele. Para Henrique Meirelles, secretário de Fazenda de São Paulo, uma reforma tributária ampla é fundamental para o Brasil. "Foi apresentado um substitutivo dos estados ao projeto de reforma tributária. É muito importante esse apoio unânime de todos estados à reforma tributária", afirmou. Ele lembrou que a proposta dos estados contempla a criação de recursos para o desenvolvimento regional. Nélson Rocha, Secretário de Fazenda do Rio de Janeiro, informou que o estado também apoia um projeto amplo de reforma tributária. Além da unificação dos tributos sobre o consumo, ele também defendeu a redução da carga sobre a produção, que penaliza os mais pobres, transferindo uma parcela maior da tributação para a renda e o patrimônio. "Boa parte da guerra fiscal [entre os estados] é que há uma concentração grande da carga tributária brasileira sobre a produção, o que gera distorções. O sistema tributário nacional é suicida, caótico do ponto de vista legal, e perverso pois tributa igualmente os desiguais. É necessário diminuir a carga sobre a produção e estender a tributação sobre a renda e o patrimônio", declarou. Initial plugin text

Clientes reclamam que não estão conseguindo acessar contas e relatam que problema vem o ocorrendo desde segunda-feira (14). Caixa diz que não identificou falha e recomenda a atualização dos apps nas lojas de aplicativos. Fachada de agência da Caixa Econômica Federal. Caixa Econômica Federal/Divulgação Usuários e correntistas da Caixa Econômica Federal relatam dificuldade para acessar os aplicativos e o internet banking da Caixa Econômica Federal nesta quarta-feira (16). Nas redes sociais, os clientes reclamam que não estão conseguindo acessar ou usar os apps do banco desde segunda-feira (14). As reclamações se concentram no aplicativo Internet Banking Caixa, mas usuários também citam falhas no Caixa Tem, que é usado para acessar benefícios como Auxílio Emergencial e Bolsa Família. Procurado pelo G1, o banco primeiro informou que não identificou problemas ou instabilidade no Internet Banking Caixa e também disse que os serviços disponibilizados pelo Caixa Tem "estão operando dentro dos padrões de normalidade". Em um segundo comunicado, disse que "alguns serviços digitais apresentaram intermitências nos dias 14 e 15 de junho por problemas ligados aos seus fornecedores". (Veja a íntegra da nota ao final do texto) Veja a seguir algumas das reclamações: Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text Initial plugin text te, o banco primeiro informou que não identificou problemas ou instabilidade no Internet Banking Caixa e também disse que os serviços disponibilizados pelo Caixa Tem "estão operando dentro dos padrões de normalidade". Em um segundo comunicado, disse que "alguns serviços digitais apresentaram intermitências nos dias 14 e 15 de junho por problemas ligados aos seus fornecedores". (Veja a íne Initial plugin text Nota da Caixa "A CAIXA informa que alguns serviços digitais apresentaram intermitências nos dias 14 e 15 de junho por problemas ligados aos seus fornecedores. Para evitar maiores problemas aos clientes, a CAIXA colocou em prática processo de contingência, a fim de mitigar os impactos percebidos e estabilizar o sistema, que voltou a operar normalmente nesta quarta-feira (16/06). A CAIXA aguarda manifestação dos fornecedores, IBM e EMC, para compreensão do ocorrido a fim de evitar que problemas semelhantes voltem a ocorrer. Nesta quarta-feira (16/06), a CAIXA não identificou instabilidade no aplicativo CAIXA TEM. Destacamos que, até as 8h30, foram registrados, no CAIXA Tem, aproximadamente, 355 mil acessos por clientes distintos, 3.400 pagamentos de boleto e 1.900 pagamento de arrecadação (concessionárias). Reforçamos que os serviços disponibilizados pelo aplicativo estão operando dentro dos padrões de normalidade. Quanto ao aplicativo Internet Banking CAIXA, também não há relatos de problemas na presente data. Caso haja algum usuário com dificuldades pontuais de acesso, sugerimos a atualização da versão do aplicativo nas lojas de aplicativos." 1xVelocidade de reprodução0.5xNormal1.2x1.5x2x

Especialistas alegam que afirmação é completamente falsa e não tem amparo técnico. Corpos não emitem sinais de rádio como os utilizados por dispositivos eletrônicos. Circula pelas redes sociais um vídeo em que um homem diz que os corpos das pessoas que receberam a vacina contra a Covid-19 são capazes de receber e emitir comunicação via wi-fi e bluetooth. É #FAKE. G1 O homem diz: "As pessoas que receberam a segunda picada estão se conectando à rede de wi-fi e reconhecendo bluetooth. É algo para sair monitorando". Ele afirma ainda que, se a pessoa fizer o teste e procurar dispositivos próximos, vai encontrar opções com códigos estranhos, o que indica que as pessoas vacinadas foram "marcadas". Doutor em microeletrônica pelo Instituto Nacional Politécnico de Grenoble, na França, com mestrado em comunicações e telecomunicações, o professor da Universidade de Brasília José Camargo Costa afirma que a alegação é absurda. "Uma pessoa que toma uma vacina não vira um equipamento de telefonia celular. A comunicação via bluetooth precisa de um equipamento porque nosso organismo não gera os sinais do bluetooth nem os sinais de wi-fi, nenhum sinal desses de comunicação. Nós não somos geradores de sinais bluetooth nem de wi-fi nem de nenhum sinal de rádio utilizado", afirma. "Não tem como. Os aparelhos de rádio, celular, televisão, comunicação sem fio, tudo isso funciona com ondas de rádio. A gente não produz onda de rádio. Não existe um equipamento de telecomunicação sem fio que não tenha um rádio. Eu posso fazer comunicação com luz, como com o controle remoto da televisão, radiação eletromagnética, só que com uma frequência muito alta, mas é onda de rádio. A gente não produz onda de rádio no organismo humano. Ninguém vira uma estação de rádio tomando vacina." A presidente da Sociedade Brasileira de Microeletrônica, Linnyer Beatrys Ruiz Aylon, afirma que "não existe qualquer possibilidade de uma pessoa que tome uma vacina contra Covid de qualquer fabricante estabeleça conexões bluetooth, wi-fi ou qualquer tecnologia. Isso é mentira". "Não existem chips líquidos dissolvidos nas vacinas. As vacinas contra a Covid-19 são seguras. Quando chegar a sua vez, vacine-se", diz. Mensagens com esse teor circulam em vários países e idiomas e foram checadas (e desmentidas) por diversas agências de verificação. Qualquer pessoa pode editar em seu dispositivo eletrônico o nome do wi-fi ou do bluetooth do aparelho e colocar nele o nome de uma vacina qualquer seguida de códigos imaginários. Então, uma outra pessoa que detecte um endereço que remete à vacina no ambiente não deve imaginar que esse sinal vem de um corpo humano, e sim de um outro dispositivo eletrônico, como celular, tablet ou TV. Teorias conspiratórias buscam misturar tecnologia e vacinas para dar suporte às alegações fantasiosas, mas acabam sendo sempre desmascaradas por técnicos que entendem do assunto. O Fato ou Fake já checou e provou que são falsas mensagens que alegam que vacinas têm ímãs, por exemplo. Também já mostrou que as vacinas não contêm chip líquido e inteligência artificial para controle populacional. São recorrentes e igualmente falsas mensagens que dizem que Bill Gates financia uma vacina não líquida contra a Covid-19 que instala chip nas pessoas e que as redes 5G disseminam o novo coronavírus. É #FAKE que corpos de vacinados contra Covid podem ser detectados por bluetooth É #FAKE que corpos de vacinados contra Covid podem ser detectados ou se conectar via bluetooth ou wi-fi Reprodução Vídeo: Veja como identificar se uma mensagem é falsa Como identificar se uma mensagem é falsa VEJA outras checagens feitas pela equipe do FATO ou FAKE Adicione nosso número de WhatsApp +55 (21) 97305-9827 (após adicionar o número, mande uma saudação para ser inscrito) Initial plugin text

Aplicativo de streaming comprou empresa especializada em março planejando estreia em salas de bate papo por voz. Novidade funciona separada da plataforma de músicas. Spotify Greenroom é um app de conversas por voz ao vivo Divulgação/Spotify O serviço de streaming de música Spotify anunciou nesta quarta-feira (16) a chegada do Greenroom, um novo aplicativo de conversas por voz que irá concorrer com o Clubhouse – que bombou no início do ano. Disponível gratuitamente para iPhones e celulares Android no Brasil e mais outros 134 países, o Spotify Greenroom vai funcionar de forma separada à plataforma de música, mas os usuários têm a opção de usar o mesmo login para ambos os apps. ENTENDA: O que é o Clubhouse e como ele funciona? Qualquer pessoa pode criar uma sala de áudio para ser anfitrião ou participar de outras conversas como espectador ou convidado. Não há a necessidade de convites para se cadastrar. Os ambientes são definidas por temas, mas é possível criar espaços livres – o limite é de 1.000 pessoas simultâneas. Nos eventos maiores, um moderador pode controlar o fluxo da conversa e é possível "levantar a mão" para pedir a palavra. A audiência pode "aplaudir" dando uma espécie de moeda virtual, que é exibida ao lado do perfil dos usuários. Golpes no WhatsApp: saiba como se proteger Celular roubado ou perdido? Saiba o que fazer Spotify Greenroom é um aplicativo separado da plataforma de música Divulgação/Spotify O Spotify Greenroom também terá uma opção para transformar as conversas em podcasts, que podem ser hospedados na plataforma de streaming. Os áudios são todos gravados para haver moderação e combate ao discurso de ódio, segundo a empresa. A novidade é fruto de uma aquisição feita pelo Spotify em março, quando a companhia comprou a desenvolvedora Betty Labs, que tinha experiência no mercado de áudio ao vivo com outro aplicativo, o Locker Room. Popularidade de apps por voz Os serviços de conversas por voz ganharam tração no início desse ano com a explosão do Clubhouse, o que atraiu os olhares de concorrentes. O Twitter, por exemplo, disponibilizou no início de março o recurso de áudio "Spaces" para pessoas que usam Android. O "Spaces" é um recurso em testes no Twitter, lançado em dezembro passado. Nele, usuários criam salas de áudio para bater papo ou reunir uma plateia em tempo real – ideia muito similar ao Clubhouse. O Facebook, dono do Instagram, anunciou em abril uma série de novidades de áudio, incluindo provável rival desses apps. Veja como fazer downloads seguros de aplicativos: Download seguro: saiba como baixar programas legítimos Fique de olho, saiba como prevenir golpes no WhatsApp Golpes no Whatsapp: saiba como se proteger Celular se tornou a nova carteira; entenda Celular é a nova carteira: veja dicas para manter seu aparelho seguro
A pandemia também afetou a proporção de domicílios sem nenhuma renda do trabalho, que passou de 25% no primeiro trimestre de 2020 para 29,3% no mesmo período de 2021. Estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) nesta quarta-feira (16) mostra que a pandemia levou a uma queda de 2,2% nos rendimentos efetivos dos trabalhadores no primeiro trimestre. O instituto fez o levantamento com base nos dados da Pnad contínua do IBGE. Apesar do relativo aumento dos rendimentos habituais médios nos últimos meses, a forte queda da população ocupada causou um considerável impacto negativo na massa salarial real habitual. No primeiro trimestre, a queda da massa de rendimentos habituais foi de 6,7% (somando R$ 212,5 bilhões), e a queda da massa efetiva foi de 9,5% em comparação com o ano anterior, totalizando R$ 225,8 bilhões. Desemprego sobe para 14,7% no 1º trimestre e atinge recorde de 14,8 milhões de brasileiros A pandemia também afetou a proporção de domicílios sem nenhuma renda do trabalho, que passou de 25% no primeiro trimestre de 2020 para 29,3% no mesmo período de 2021. Essa diferença reforça a avaliação de que está sendo lenta a recuperação do nível de ocupação entre as famílias de renda mais baixa a patamares anteriores à pandemia. Sardenberg analisa o desemprego recorde no Brasil e a escassez de mão de obra no exterior Nordeste e jovens adultos com nível médio têm maior queda O Nordeste foi a região mais afetada pela segunda onda da pandemia, com queda de 7,05% da renda efetiva, e o Centro-Oeste teve o menor impacto na renda, com queda de 0,84%. Já a análise por gênero mostra que, enquanto as mulheres tiveram crescimento da renda efetiva (1,3%), os homens tiveram uma queda de 4,7% da renda no primeiro trimestre. A faixa etária mais afetada pela segunda onda foi a dos jovens adultos (25 a 39 anos), com queda de 7,73% dos rendimentos. A renda dos trabalhadores com 60 anos ou mais, por outro lado, cresceu 7,06%, influenciada principalmente pela alta proporção de trabalhadores por conta própria nessa faixa etária. Já em relação à escolaridade, os rendimentos caíram para todas as categorias, com destaque para os trabalhadores que completaram o ensino médio (8,37%). As horas efetivamente trabalhadas não foram afetadas significativamente pela segunda onda da Covid-19. A diferença entre as horas habitualmente trabalhadas e as efetivamente trabalhadas era de 96% no último trimestre de 2019. Essa proporção caiu para 78% no segundo trimestre de 2020 por conta da primeira onda da pandemia. O primeiro trimestre de 2021 mostrou que essa relação voltou ao patamar de 2019, com diferença de 94%.

Dado mostrou cenário pior do que o indicado pelo Banco Central, que apontou alta de 0,44% no PIB no mesmo mês. A economia brasileira 'encolheu' 0,7% em abril, na comparação com março, segundo o Monitor do PIB divulgado nesta quarta-feira (16) pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Frente a abril, a atividade econômica cresceu 12,3%. Monitor do PIB - abril/21 Reprodução/FGV Ibre Em trimestres móveis, houve alta de 0,3% frente aos três meses anteriores, e de 5,3% ante o mesmo período do ano passado. Em termos monetários, estima-se que o PIB no acumulado do ano até abril de 2021, em valores correntes, foi de R$ 2,745 trilhões. "O elevado crescimento da economia em abril com relação ao mesmo mês do ano passado deve-se a comparação com uma base deprimida, tendo em vista que em abril do ano passado a economia atingiu a maior queda na série histórica iniciada em 2000", afirma em nota Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV. O dado da FGV mostrou cenário pior do que o indicado pelo Banco Central: em prévia divulgada na segunda-feira, o banco apontou alta de 0,44% no PIB em abril. Consumo das famílias O consumo das famílias cresceu 4% no trimestre móvel findo em abril em comparação ao mesmo período do ano passado – na primeira alta desde janeiro de 2020. Foi registrado crescimento em todos os componentes do consumo, com destaque para o crescimento significativo dos produtos duráveis (29,1%) e semiduráveis (24,2%). Investimento O investimento, medido pela formação bruta de capital fixo, cresceu 17,3% no trimestre móvel findo em abril em comparação ao mesmo período do ano passado. Mais uma vez, pelo quarto mês consecutivo, todos os componentes da FBCF apresentaram crescimento, sendo o principal destaque o componente de máquinas e equipamentos. Exportação e importação A exportação apresentou crescimento de 9,5% no trimestre móvel encerrado em abril, em comparação ao mesmo período do ano passado, com crescimento de todos os segmentos exportados, com exceção dos produtos da extrativa mineral. Já a importação apresentou elevado crescimento de 20,7% no trimestre móvel findo em abril, em comparação ao mesmo período do ano passado.
O vice-presidente da CPI da Covid, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), diz não ver coincidência entre a urgência de votação de uma proposta que altera a Lei de Improbidade Administrativa e o avanço das investigações de agentes públicos na CPI da Covid. "Não me surpreende a pressa de ela [a nova Lei de Improbidade] ser votada agora, não causa estranheza", disse Randolfe ao blog. A urgência do projeto que, na prática, afrouxa a Lei de Improbidade Administrativa foi aprovada pelo plenário da Câmara nesta terça-feira (15). O caráter de urgência permite que a lei seja votada diretamente em plenário, sem passar pelas comissões e sem contagem de prazos. A votação do projeto em si deve ocorrer nesta quarta, com o apoio de quase todos os líderes partidários – apenas PSOL e Novo foram contra. Segundo especialistas, as mudanças tornam virtualmente impossível a punição de agentes públicos por improbidade. Veja no vídeo abaixo entrevista com o relator do projeto, deputado Carlos Zarattini (PT-SP): Projeto altera lei de improbidade administrativa; relator, Carlos Zarattini, explica Para Randolfe, há duas possibilidades de resultado para a CPI da Covid, não excludentes entre si: a responsabilização política de agentes que comprovadamente agiram para colocar a população em risco ou colaboraram, pela ação ou omissão, com o aumento do número de mortes na pandemia. Neste caso, cabe ao presidente da Câmara decidir se abre, ou não um processo político; a responsabilização criminal dos agentes públicos envolvidos nas condutas. "Esta persegue o agente para sempre”, diz Randolfe. O vice-presidente da CPI afirma que as mudanças na lei de improbidade podem ajudar a livrar criminalmente os agentes públicos que venham a ser considerados responsáveis pelo agravamento da pandemia – e com o apoio da oposição ao governo na Câmara.

Nesta quarta-feira, o principal índice da bolsa teve queda de 0,64%, a 129.259 pontos. Painel da B3 - Bovespa Nelson Almeida/ AFP A bolsa de valores brasileira, a B3, fechou em queda nesta quarta-feira (16), à espera da decisão sobre juros do Banco Central do Brasil e após o Federal Reserve ampliar sua estimativa para inflação – e antecipar para 2023 a expectativa de início da subida dos juros nos Estados Unidos. O Ibovespa recuou 0,64%, a 129.609 pontos. Veja mais cotações. Na terça-feira, a bolsa teve queda de 0,09%, a 130.091 pontos. Com o resultado de hoje, a bolsa acumula avanço de 2,41% no mês. No ano, a valorização é de 8,61%. Cenários O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anuncia a partir das 18h a sua decisão e a expectativa é de que a taxa básica de juros da economia brasileira será elevada pela terceira vez consecutiva. O mercado financeiro espera um novo aumento de 0,75 ponto percentual — o que levaria a taxa básica dos atuais 3,5% para 4,25% ao ano. Além disso, as previsões dos economistas são de que os aumentos continuarão no decorrer deste ano. A previsão é de que a Selic termine 2021 em 6,5% ao ano, o que representará, se confirmado, uma forte puxada em relação aos 2% ao ano registrados no começo de 2021. Nos EUA, o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) decidiu nesta quarta-feira (16) manteve inalteradas suas taxas de juros, apesar da elevação da inflação no país. A taxa básica foi mantida no piso entre zero e 0,25%. Em suas projeções econômicas, o Fed passou a estimar uma inflação mais alta, de 3,4%, e adiantou para 2023 suas projeções para primeira alta dos juros nos Estados Unidos pós-pandemia de Covid-19, citando melhora na situação sanitária e excluindo uma referência de que a crise estava pesando sobre a economia. Na agenda de indicadores, o Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10), calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre), subiu 2,32% em junho, depois de avançar 3,24% um mês antes. Com esse resultado, o índice acumula alta de 15,31% no ano e de 36,94% em 12 meses. Variação do Ibovespa em 2021 G1 Economia

Energia elétrica foi o item que mais pesou na inflação oficial do país; entenda por que a maior crise hídrica em mais de 90 anos pesa tanto no bolso do consumidor. Conta de energia de luz Equatorial Maceió Alagoas Heliana Gonçalves/G1 A energia elétrica foi o item de maior peso na última divulgação da inflação oficial do país. Apenas no mês passado, a alta foi de 5,37%, o que correspondeu a 0,23 ponto percentual do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de maio. Em 12 meses, o acumulado está em 8,06%. E se os brasileiros sentiram o aumento da conta de luz no bolso, a tendência é de piora. Maio foi o mês em que passou a vigorar a bandeira tarifária vermelha patamar 1, que acrescenta R$ 4,169 na conta de luz a cada 100 kWh consumidos ao mês. Mas, neste mês, a tarifa passou a considerar o patamar 2, que adiciona R$ 6,243 na conta para cada 100 kWh. Auxílio Emergencial 2021: Caixa também deve antecipar pagamento da 4ª parcela O estouro de preço é consequência da crise hídrica que afeta os reservatórios das usinas hidrelétricas. O Brasil enfrenta a pior estiagem dos últimos 91 anos, segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), fazendo necessário o acionamento das usinas termelétricas para suprir a queda de oferta. Abaixo, entenda em detalhes o que está fazendo aumentar os preços de energia. Por que a conta de luz está mais alta? Com a crise hídrica e queda do nível dos reservatórios de hidrelétricas, a oferta de energia é compensada por usinas termelétricas. O custo de geração fica mais alto e esse preço é repassado ao consumidor. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o acionamento além do previsto de usinas termelétricas para garantir o fornecimento de energia em 2021 vai custar R$ 9 bilhões aos consumidores. De janeiro a abril deste ano, o acionamento adicional das termelétricas já custou R$ 4,3 bilhões. Para compensar esse gasto, foi adotada a bandeira vermelha patamar 2, nível máximo de cobrança extra aos consumidores. Crise hídrica: governo quer estimular o consumo de energia fora dos horários de pico O que são as bandeiras tarifárias? Para incentivar a economia de energia, o país tem um sistema de aumento da cobrança que se move de acordo com a condição dos reservatórios. Essas divisões foram chamadas de bandeiras tarifárias. Quando as condições de produção pioram, há uma mudança de fase, definida sempre pela Aneel. São quatro níveis: Bandeira verde: não gera cobrança extra no consumo de energia. Bandeira amarela: gera tarifa extra de R$ 1,343 para cada 100 kWh consumidos no mês. Bandeira vermelha, patamar 1: a cobrança extra é de R$ 4,169 a cada 100 kWh. Bandeira vermelha, patamar 2: adicional sobe para R$ 6,243 na conta para cada 100 kWh. Bandeiras tarifárias Juliane Monteiro/Arte G1 Por que está chovendo menos? Especialistas disseram ao G1 que o período de seca intensa é consequência de uma junção de efeitos climáticos do desmatamento na Amazônia, do aquecimento global causado pela queima de combustíveis fósseis e do fenômeno natural La Niña. Com menos árvores na Amazônia, há cada vez menos umidade para os ventos que "transportam"a chuva para o Centro-Oeste, Sudeste e Sul. Segundo os cientistas, o aumento da temperatura também reduz a precipitação no Brasil central. O La Niña diminui a temperatura da superfície das águas do Oceano Pacífico tropical central e oriental e gera uma série de mudanças significativas nos padrões de precipitação e temperatura no planeta. Um dos efeitos é a mudança de padrão de ventos na região equatorial, que se tornam mais ou menos intensos, e isso muda a chegada das frentes frias e reduz as chuvas na porção Sul do Brasil. A situação vai melhorar? Ao longo do ano, o Brasil tem meses secos e chuvosos. A crise é ainda mais grave porque os próximos meses são os de estiagem (de maio a setembro). A expectativa, portanto, é que o nível dos reservatórios deve baixar ainda mais. Com essa condição em vista, não há previsão de desligamento das termelétricas nem de adoção de níveis mais brandos das bandeiras tarifárias. Nesta terça-feira (15), inclusive, o diretor-geral da Aneel, André Pepitone, afirmou que a agência prepara mudanças que vão encarecer ainda mais a conta de luz já nas próximas semanas. O valor da bandeira vermelha patamar 2 está sendo discutido e deve ser aumentado em cerca de 20%, passando dos R$ 7. Pepitone estimou que a crise hídrica deve causar uma alta de 7% a 7,5% nas contas de luz neste ano e de pelo menos 5% em 2022. Governo elabora MP sobre racionamento de energia; estados enfrentam a pior seca em 91 anos Existe perigo de racionamento ou apagão? O Ministério de Minas e Energia descarta a possibilidade de apagão em 2021. O governo, porém, estuda publicar uma medida provisória que concentra poderes para adotar medidas de racionamento de energia elétrica. De acordo com o blog da Ana Flor, a proposta de MP cria a Câmara de Regras Operacionais Excepcionais para Usinas Hidrelétricas (Care), que passaria a gerenciar a vazão das usinas hidrelétricas. O foco é, de maneira urgente e temporária, direcionar a utilização dos recursos hídricos para a garantia de produção de energia elétrica. Crise hídrica: diretor do ONS descarta risco de apagão ou desabastecimento

Comissão vai reclassificar documentos para torná-los públicos A CPI da Covid vai abrir a sessão desta quarta-feira (16) discutindo a se documentos que chegaram à comissão devem deixar de ser classificados como sigilosos. O blog teve acesso à lista de 21 documentos que os senadores irão discutir. Os documentos tratam de compra e repasse de agulhas e seringas, trocas de mensagens do Ministério das Relações Exteriores, atas de reuniões, notas fiscais e ordens bancárias e até papéis da Fiocruz, que terão parte do sigilo mantido e outra parte será tornada pública. Os senadores de oposição, que têm maioria na comissão, dizem que há interesse público em tornar os conteúdos públicos. Veja a lista dos documentos: Lista de documentos que terão sigilo discutido pela CPI Reprodução Lista de documentos que terão sigilo discutido pela CPI Reprodução Lista de documentos que terão sigilo discutido pela CPI Reprodução Lista de documentos que terão sigilo discutido pela CPI Reprodução VÍDEOS: veja mais notícias da CPI da Covid

Após atingir R$ 4,9931 na mínima, moeda norte-americana avançou 0,32%, cotada a R$ 5,0590. Notas de dólar Gary Cameron/Reuters O dólar fechou em alta de 0,53%, cotado a R$ 5,0590, nesta quarta-feira (16), após atingir a mínima de R$ 4,9931, em dia de decisão sobre taxas de juros no Brasil e nos EUA. Nos EUA, o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) decidiu manter inalteradas suas taxas de juros, apesar da elevação da inflação no país. A taxa básica foi mantida no piso entre zero e 0,25%. A projeção de alta ficou para 2023. O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anuncia a sua decisão após às 18h desta quarta e a expectativa é de que a taxa básica de juros seja elevada pela terceira vez consecutiva. Com o resultado desta quarta, a moeda norte-americana acumula recuo de 3,16% no mês e de 2,47% no ano. Veja mais cotações. 'Já se esperava que o BC fosse fazer uma elevação gradual da taxa Selic', diz Ana Flor Cenário O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anuncia a partir das 18h a sua decisão e a expectativa é de que a taxa básica de juros da economia brasileira será elevada pela terceira vez consecutiva. O mercado financeiro espera um novo aumento de 0,75 ponto percentual — o que levaria a taxa básica dos atuais 3,5% para 4,25% ao ano. Além disso, as previsões dos economistas são de que os aumentos continuarão no decorrer deste ano. A previsão é de que a Selic termine 2021 em 6,5% ao ano, o que representará, se confirmado, uma forte puxada em relação aos 2% ao ano registrados no começo de 2021. Nos EUA, o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) decidiu nesta quarta-feira (16) manter inalteradas suas taxas de juros, apesar da elevação da inflação no país. A taxa básica foi mantida no piso entre zero e 0,25%. Em suas projeções econômicas, o Fed passou a estimar uma inflação mais alta, de 3,4%, e adiantou para 2023 suas projeções para primeira alta dos juros nos Estados Unidos pós-pandemia de Covid-19, citando melhora na situação sanitária e excluindo uma referência de que a crise estava pesando sobre a economia.. Na agenda de indicadores, o Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10), calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre), subiu 2,32% em junho, depois de avançar 3,24% um mês antes. Com esse resultado, o índice acumula alta de 15,31% no ano e de 36,94% em 12 meses. Índice que mede a desigualdade atinge o maior nível desde 2012, diz FGV Variação do dólar em 2021 G1
No primeiro semestre, indicador registrou aumento de 15,31%, conforme levantamento da FGV. O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10), calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre), aumentou subiu 2,32% em junho, depois de avançar 3,24% um mês antes. Com esse resultado, o índice acumula alta de 15,31% no ano e de 36,94% em 12 meses. Em junho de 2020, o índice tinha subido 1,55% no mês e acumulava elevação de 7,18% em 12 meses. “A inflação ao produtor apresentou desaceleração e contribuiu para o recuo do IGP, mesmo assim, o IPA segue pressionado pelo aumento dos preços de commodities importantes. O recuo não foi mais intenso dado o aumento registrado nos preços de energia e gasolina, que impulsionaram a inflação ao consumidor. Na construção civil, reajustes na mão de obra também contribuíram para o avanço do INCC”, afirma André Braz, coordenador dos Índices de Preços. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) registrou elevação de2,64% em junho. Um mês antes, o índice havia registrado taxa de 4,20%. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) apresentou avanço de 0,72% em junho, seguindo incremento de 0,35% em maio. Das oito classes de despesa componentes do índice, Transportes mudaram de rumo na passagem de um mês para outro (-0,22% para 1,69%) enquanto tiveram alta mais marcada Habitação (0,67% para 1,41%), Vestuário (0,09% para 0,83%) e Despesas Diversas (0,17% para 0,26%). As principais contribuições para este movimento partiram dos seguintes itens: gasolina (-1,03% para 3,16%), tarifa de eletricidade residencial (1,92% para 4,87%), roupas (0,06% para 1,06%) e alimentos para animais domésticos (1,17% para 2,70%). Em contrapartida, desaceleraram o ritmo de aumento os grupos Saúde e Cuidados Pessoais (1,13% para 0,30%), Alimentação (0,46% para 0,21%) e Comunicação (0,66% para 0,10%). Educação, Leitura e Recreação aprofundaram a queda (-0,66% para -0,76%). Nestas classes de despesa, as maiores influências partiram dos seguintes itens: medicamentos em geral (3,09% para 1,10%), hortaliças e legumes (0,27% para -1,86%), combo de telefonia, internet e TV por assinatura (1,45% para 0,22%) e passagem aérea (-6,74% para -8,95%). Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 2,81% em junho, vindo de expansão de 1,02% um mês antes.
Medida valeria até 30 de junho, mas foi prorrogada pela agência. A Aneel já adotou uma medida semelhante no começo da pandemia. Aneel prorroga medida que proíbe corte de luz para consumidores de baixa renda A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) prorrogou nesta terça-feira (15) a decisão de suspender o corte de energia elétrica de famílias de baixa renda por falta de pagamento. A medida, que valia até 30 de junho, agora segue até 30 de setembro. A proibição do corte vale para as cerca de 12 milhões de famílias que se enquadram na tarifa social de energia elétrica. A medida foi adotada em razão da crise provocada pela pandemia da Covid-19. O país vive atualmente um dos piores momentos da pandemia e já contabiliza quase 500 mil mortos. “É importante reconhecer que a pandemia afeta de forma mais intensa a parcela mais vulnerável da população, para a qual a fatura de energia representa proporção mais significativa do orçamento familiar, e com isso a resolução traz medidas protetivas que permitem suportar esse período da pandemia com a manutenção de um serviço que é essencial”, afirmou em nota o diretor da agência, Hélvio Guerra, relator do processo. Medidas anteriores No começo de 2020, no início da pandemia do novo coronavírus, a Aneel adotou uma medida semelhante, mas a proibição do corte por falta de pagamento englobava todos os consumidores residenciais e serviços essenciais. Em julho. a medida foi prorrogada até o final do ano, mas apenas para consumidores de baixa renda. Compensação Em março, quando a medida foi anunciada, a Aneel informou que, para cobrir a perda de receita que as distribuidoras podem ter com a medida, permitiu que elas deixem de pagar uma compensação devida a consumidores que sofrem com quedas no fornecimento de energia superiores ao limite permitido pela agência.

Vagas são para trabalhar nos municípios de Santa Isabel, Ferraz de Vasconcelos, Suzano, Itaquaquecetuba e Mogi das Cruzes. Alto Tietê reúne mais de 460 vagas para quem busca emprego nesta quarta Heloise Hamada/G1 Os programas de encaminhamento ao emprego do Alto Tietê oferecem 462 vagas de trabalho nesta segunda-feira (15). As oportunidades são para atuar nas cidades de Mogi das Cruzes, Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Suzano e Santa Isabel. PATs Os Postos de Atendimento ao Trabalhador de Itaquaquecetuba, Santa Isabel e Ferraz de Vasconcelos estão oferecendo 79 vagas. Para concorrer é necessário acessar os aplicativos Sine Fácil e CTPS Digital. O e-mail para mais informações é o [email protected] Vagas de emprego dos Postos de Atendimento ao Trabalhador do Alto Tietê Vagas em Ferraz de Vasconcelos No Mural de Oportunidades de Ferraz de Vasconcelos há duas vagas disponíveis. Os interessados podem encaminhar currículos pelo e-mail [email protected] Mais informações pelo número 4674-7843. Vagas de emprego em Ferraz de Vasconcelos Suzano Já no programa de encaminhamento ao emprego de Suzano há 80 oportunidades. Os interessados podem procurar uma das duas unidades do Centro Unificado de Serviços (Centrus). A central fica na Avenida Paulo Portela, 210. Já o Centrus Norte está localizado na Avenida Francisco Marengo, 2.301, no Jardim Dona Benta. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone 4745-2264. Vagas de emprego em Suzano Mogi Conecta A cidade de Mogi das Cruzes possui 301 vagas. As pessoas interessadas devem acessar a plataforma Mogi Conecta para participar. Os telefones para mais informações são 4699-1900, 4699-2784, 4798-6315 ou 97422-4273. Os detalhes sobre as vagas em Mogi, como remuneração oferecida e outras exigências, podem ser acessados no site da Prefeitura. Vagas de emprego do programa Mogi Conecta Assista a mais notícias
Segundo Agência Nacional de Estatísticas, produção industrial aumentou 8,8% em maio sobre o ano anterior, contra alta de 9,8% em abril. Já o crescimento das vendas no varejo desacelerou de 17,7% em abril para 12,4% em maio. O crescimento da produção industrial da China desacelerou em maio pelo terceiro mês, provavelmente pressionado pelos transtornos provocados pelos surtos de Covid-19 na potência exportadora de Guangdong. A expansão das vendas no varejo e do investimento também ficou abaixo das expectativas do mercado, mas analistas dizem que a atividade ainda parece bastante sólida, destacando que as leituras ainda são distorcidas pelas comparações com as quedas do ano passado. A produção industrial chinesa aumentou 8,8% em maio sobre o ano anterior, contra alta de 9,8% em abril, informou a Agência Nacional de Estatísticas nesta quarta-feira. A expectativa de analistas em pesquisa da Reuters era de avanço anual de 9,0%. Em particular, a produção de veículos caiu 4% em comparação com ao ano anterior, comparado com aumento de 6,8% em abril, afetada pela escassez global de chips. "Essa é uma desaceleração cíclica normal depois de uma recuperação econômica. Em resumo, podemos ver que a recuperação econômica está no auge", disse Hao Zhou, economista do Commerzbank. A maioria dos analistas esperava alguma moderação na produção em maio devido a encomendas de exportação mais fracas, custos mais altos de insumos para fábricas e restrições ambientais mais duras para a indústria pesada. Surtos de Covid-19 no Delta do Rio das Pérolas desde o final de maio também paralisaram alguns portos importadores, disseram economistas do Nomura em nota a clientes, embora acreditam que o atual aumento de infecções possa ser contido relativamente rápido. As vendas no varejo aumentaram 12,4% em maio sobre o ano anterior, abaixo da expectativa de 13,6% e mais fraco que o salto de 17,7% visto em abril. O investimento em ativos fixos cresceu 15,4% nos primeiros cinco meses ante o mesmo período do ano anterior, contra expectativa de alta de 16,9% e desacelerando ante a taxa de 19,9% entre janeiro e abril. China: cerimônia de formatura reúne 11 mil estudantes em Wuhan, 1° epicentro da pandemia

Bombeiro hidráulico, vendedor pracista e analista contábil estão entre oportunidades disponíveis. Atendimento de interessados nos postos de trabalho é feito mediante agendamento. Oportunidades desta quarta-feira (16) foram ofertadas em 19 municípios do estado Marcello Casal/Agência Brasília O sistema público da Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação (Seteq-PE), através das Agências do Trabalho, oferece 279 vagas de emprego em 19 municípios do estado, nesta quarta-feira (16). Do total, 71 oportunidades foram reservadas para pessoas com deficiência. As vagas foram disponibilizadas no Recife (28), Araripina (4), Bezerros (1), Cabo de Santo Agostinho (2), Camaragibe (2), Caruaru (39), Garanhuns (1), Goiana (57), Ipojuca (10), Nazaré da Mata (6), Palmares (1), Paudalho (3), Paulista (83), Petrolina (10), Salgueiro (1), Santa Cruz do Capibaribe (10), São Lourenço da Mata (5), Serra Talhada (6) e Vitória de Santo Antão (10). Analista contábil, motorista de caminhão, vendedor pracista, técnico agrícola, mecânico e eletricista estão entre os postos de trabalho ofertados em outros municípios (confira lista completa mais abaixo). Os interessados devem realizar agendamento para as unidades da Agência do Trabalho através do site da Seteq-PE. Vagas de emprego Vagas para pessoas com deficiência Vagas temporárias Carteira digital Atualmente, o trabalhador pode usar a versão digital da carteira de trabalho (veja vídeo abaixo): Veja como ter acesso à carteira de trabalho digital VÍDEOS: Mais assistidos de PE nos últimos 7 dias

Falta de autonomia e de aprendizado e desvalorização são alguns dos motivos que levam o profissional a buscar novos desafios, aponta headhunter. Ambiente de trabalho saudável e valorização são alguns fatores que profissionais levam em conta para permanecer no emprego Helloquence on Unsplash Autonomia, ambiente de trabalho saudável, valorização, aprendizado e desenvolvimento constante, cumprimento de promessas e propósito alinhado aos valores da empresa. Esses são os principais motivos que levam profissionais a buscarem novas empresas para trabalhar, de acordo com a headhunter Erica Castelo, CEO da Soul Factor. A especialista afirma que descobrir os pontos em comum que levam os profissionais a buscarem novos desafios no mercado de trabalho ajuda em várias situações, entre elas a rotatividade de funcionários, que gera custos altos para as empresas. “Pesquisas mundiais mostram que o custo de substituição de um único colaborador pode ser até duas vezes maior que o salário anual; outro estudo aponta que as empresas americanas perdem em média US$ 1 trilhão devido ao 'turnover' voluntário”, diz. Segundo ela, além dos prejuízos na planilha financeira, a empresa acaba perdendo seus melhores colaboradores. “Isso pode significar a perda de relacionamento com clientes e, dependendo do cenário de saída, pode ameaçar sua marca ou levar a um processo judicial”, destaca Erica Castelo. Ela destaca outra pesquisa que aponta que mais de 50% dos colaboradores com saída voluntária dizem que seus gestores poderiam ter feito algo para prevenir sua saída. “É necessário ter um ponto de atenção em relação aos principais e mais importantes profissionais do time. O impacto pode realmente ser forte”, diz a headhunter da Soul Factor. Erica Castelo levantou os argumentos que mais ouve quando pergunta os motivos que levam os profissionais a ouvir propostas de outras empresas. Veja abaixo: Sou mais uma peça na engrenagem, não tenho autonomia Não adianta trazer gente boa se elas não puderem fazer a diferença. Afogar essa qualidade fará com que busquem esse impacto na empresa ao lado – na sua concorrência, por exemplo. O ambiente de trabalho é tóxico Ninguém mais quer trabalhar e não se sentir bem. Cultura do medo, assédio moral, fofocas, microgestão excessiva – esses ingredientes são a receita perfeita para uma refeição de saída rápida para qualquer talento. Não sinto que me valorizam A liderança moderna não leva créditos, ela dá. Caso contrário, prepare-se para o velho hábito de chorar por quem se foi. Não estou mais aprendendo Talentos, independentemente do nível hierárquico, querem aprender e se desenvolver constantemente. A falta de desafios novos ou avenidas de aprendizagem farão esses profissionais tomarem novos rumos, provavelmente longe da rota da sua empresa. Não me foi cumprido o prometido Promessas feitas não têm valor, mas as cumpridas são inestimáveis. A quebra da confiança na empresa tem preço muito alto. Meu propósito não está alinhado ao da empresa Muitas empresas falham em entender as paixões de seus talentos para alinhá-las aos propósitos corporativos. Se você não se preocupar com isso, seus concorrentes vão. Segundo ela, todos esses pontos levam a uma máxima bem antiga, mas ainda atual: os talentos não deixam as empresas, eles deixam seus chefes. “Portanto, treine a liderança para ter conversas frequentes e significativas com os colaboradores, sobre o que realmente importa para eles. O desdobramento vem do humano para o corporativo. E não vice-versa”, conclui.

Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. Carteira de trabalho Heloise Hamada/G1 Foram divulgadas as vagas de emprego disponíveis nesta quarta-feira (16) em Petrolina, Araripina e Salgueiro, no Sertão de Pernambuco. As oportunidades são disponibilizadas pela Agência do Trabalho de Pernambuco e atualizadas no G1 Petrolina. Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. O atendimento na Agência do Trabalho ocorre apenas com agendamento prévio, feito tanto pelo site da secretaria, quanto pelo Portal Cidadão. Petrolina Contato: (87) 3866 - 6540 Vagas disponíveis Salgueiro Contato: (87) 3871-8467 Vagas disponíveis Araripina Contato: (87) 3873 - 8381 Vagas disponíveis Vídeos: mais assistidos do Sertão de PE

Cruzamento de informações permite que hackers construam perfis unificados de usuários e fortaleçam arsenal para criar golpes e fraudes. Hackers programam 'robôs' para fazer varredura em dados públicos e reuni-los. Técnica é conhecida como 'raspagem' Alfred Muller/Pixabay Seja uma clonagem de perfil WhatsApp ou um e-mail com uma história convincente, uma fraude se torna mais eficaz quando o golpista conhece detalhes pessoais da vítima. O que muita gente não percebe é que cada interação pública na web deixa "migalhas" que podem ser reunidas para construir essas informações. A técnica de aglutinar essas migalhas para criar bancos de dados é chamada de "raspagem" ou "garimpo" de dados. É uma prática bastante comum, não apenas para a realização de fraudes - é ela que muitas vezes permite a comparação de preços ou conferência de dados públicos, sem falar em buscas na web e o arquivamento de páginas para a preservação da história da internet. Mas quem usa redes sociais precisa ficar atento ao que isso significa para suas interações on-line. Em abril, o Facebook explicou que um pacote com dados de 530 milhões de usuários foi obtido por meio de raspagem e, dias depois, o LinkedIn deu a mesma explicação para um arquivo com informações de 500 milhões de perfis. Por que as redes sociais – que raramente são um modelo de transparência – não veem problema em apontar a técnica como a origem desses pacotes? O motivo é que essa coleta de informações raramente alcança informações consideradas particulares, como mensagens ou senhas. Sendo assim, é apenas uma coletânea daquilo que os usuários deixaram em seus perfis ou transmitiram por meio de interações (uma curtida ou participação em um grupo). Ou seja, quando um pacote de dados pode ser explicado por meio da raspagem, isso significa que não houve qualquer invasão ou acesso indevido ao sistema. Mas a atividade ainda pode gerar situações inesperadas e alguns riscos. Por que extrair os dados? Embora "raspagem de dados" seja a tradução de "data scraping", talvez seja mais fácil entender a prática como uma "garimpagem de dados": a busca por elementos valiosos existentes na montanha de dados públicos da web. Infográfico mostra como hackers usam raspagem de dados Elcio Horiuchi/Arte G1 Se esse "garimpo" de dados apenas recolhe informações que já estão disponíveis publicamente, por que um hacker se daria ao trabalho de fazer isso? Um dos motivos é a conveniência. Consultar dados na internet é sempre mais lento e, se você precisa repetir a mesma consulta, o trabalho é dobrado. Sendo assim, ter uma "rede social off-line" para consultas sob demanda pode agilizar o trabalho de um criminoso que constantemente precisa de dados pessoais. Por exemplo: um golpista pode usar as informações coletadas publicamente para enviar e-mails em massa para milhares ou milhões de pessoas. Se ele tivesse que fazer uma consulta a cada mensagem enviada, esse processo demoraria muito e teria que ser refeito a cada remessa. ENTENDA: Disparos de mensagens em massa se aproveitam de bancos de dados e informações públicas em redes sociais WhatsApp baniu mais de mil contas por disparo em massa durante 1º e 2º turno das eleições Com os dados copiados em um pacote "off-line", ele pode reutilizar a informação sem ter de buscá-la novamente. Do ponto de vista do hacker, é mais ou menos como construir a sua "agenda" de contatos. A diferença, claro, é a quantidade de pessoas e informações nesta agenda. Nesse sentido, a principal vantagem está na possiblidade do cruzamento de informações. Com muitos dados em mãos – inclusive de origens diferentes, como Facebook, LinkedIn, WhatsApp e assim por diante – é possível juntar tudo isso e estabelecer novas relações. Outra vantagem está na obtenção de dados indiretos, que, normalmente, não estão disponíveis para visualização. Com essa combinação de dados, hackers podem buscar novas formas de fraudar usuários e vítimas especialmente vulneráveis à extração. Quanto mais o golpista sabe sobre uma pessoa, mais fácil é inventar uma história convincente para enganá-la. Em alguns casos, os dados podem ser vendidos diretamente para marketing. Como é realizada a extração de dados? O método mais simples para "garimpar" dados é o "crawler", um "robô" que simula uma navegação na rede social. Ele "abre" os perfis e, como não é um ser humano, procura apenas dados específicos e os extrai. Para entender esse processo, imagine um software capaz de apontar para um perfil de Facebook e, como resultado, produzisse uma planilha preenchida com dados como nome, emprego, foto, curtidas e assim por diante. Depois, adicione a esse software a capacidade de seguir links para puxar os mesmos dados dos amigos, amigos de amigos, grupos e assim por diante. Contudo, existem métodos de extração indiretos. O WhatsApp, por exemplo, não tem "link de perfil". Por outro lado, o WhatsApp utiliza números de telefone, que são consecutivos (9991, 9992...), o que permite a criação de um robô que simule um usuário de WhatsApp adicionando todos esses contatos à sua agenda. Se a foto do contato estiver pública, o robô poderá copiá-la. Golpes no Whatsapp: saiba como se proteger E, nisso, temos uma possibilidade de cruzamento de dados: se a mesma foto do WhatsApp for encontrada em redes sociais, existe a possibilidade de vincular esses perfis. A mesma técnica pode ser usada em outros canais e redes sociais. O Facebook possui um mecanismo que permite localizar perfis pelo endereço de e-mail. 'Clonagem' de perfil: como golpistas pedem dinheiro sem roubar a conta do WhatsApp É possível saber se o seu celular está sendo espionado? Portanto, se você já tem um endereço de e-mail em mãos – talvez porque o hacker o obteve de outro lugar – pode ser possível vincular o e-mail a um perfil. O que as redes sociais fazem para coibir a extração? Garimpar dados por meio de softwares automatizados é uma atividade vedada pelos termos de uso das redes sociais. Sendo assim, as redes sociais costumam se defender legalmente afirmando que a prática é proibida e que o "garimpeiro" violou suas regras. Contudo, a discussão na esfera jurídica segue aberta. Como citado no começo do texto, a extração de dados pode ter finalidades benéficas. Não é possível afirmar que a proibição, por si só, teria resultados bons em todos os casos. Do lado técnico, são adotadas práticas de limitação de acesso. Se um robô tentar acessar muitos perfis em um ritmo acelerado, que não condiz com os hábitos de navegação de um ser humano, isso será detectado e bloqueado. Também é comum o uso do chamado "Captcha", o "teste" que deve ser realizado para diferenciar humanos de robôs. São aqueles mecanismos que dizem para você digitar os caracteres em um texto distorcido ou marcar imagens com determinados elementos. Poucos recursos são mais protegidos por "Captcha" do que o diretório do Facebook. A rede social tem uma lista com os nomes dos usuários e perfis na plataforma, mas é praticamente impossível acessar mais que duas páginas sem que um "Captcha" seja solicitado. Isso, claro, se deve ao fato de que varrer esse diretório seria uma mina de ouro para o "garimpo" de dados, permitindo encontrar todos os perfis na rede. Infelizmente, nem sempre foi assim – e o diretório já foi varrido no passado, como fica evidente pelos pacotes de dados que circulam pela web, como o do vazamento revelado em abril. Raspagem e o 'perfil único' Mesmo adotando medidas para barrar a prática de extração, não é possível impedir a prática. Quanto mais rígido for o controle para evitar esse abuso, mais difícil será a utilização regular do serviço. Se o WhatsApp bloquear a adição de muitos contatos em rápida sequência, quem tiver uma agenda muito grande no celular teria problemas para começar a usar o aplicativo, por exemplo. E o LinkedIn nem teria razão de existir se as pessoas não compartilhassem seus currículos. VÍDEO: Como acontece um vazamento de dados? Há situações ainda mais complexas. O Facebook e o Google notoriamente utilizam a rede de origem do usuário como "fator de confiança". Se você abrir uma janela anônima do seu navegador e colocar seu e-mail no login do Facebook - sem preencher a senha -, você já verá a foto do seu perfil. Ou seja, a rede social associou seu e-mail ao seu perfil no login, mesmo que você tenha optado por não exibir o seu e-mail no Facebook. Mas, se você fizer a mesma coisa a partir de outro computador ou celular, que use uma rede Wi-Fi ou provedor diferente, você não verá essa informação. Assim, o que você vê depende do computador usado no acesso. Esse tipo de medida tenta reduzir as informações disponíveis para a extração de dados sem causar uma inconveniência ao usuário. Se a foto de perfil só for exibida quando o acesso vier de uma rede já vinculada àquele perfil, a ideia é que o hacker – que está usando outra rede – não poderá ver a foto. Só que hackers têm à disposição computadores infectados, as "redes zumbi", para intermediar acessos a partir de sistemas de qualquer provedor no mundo, coletando dados que normalmente não estariam disponíveis. É por isso que, do ponto de vista dos prestadores de serviços, a extração de dados faz parte da paisagem natural da internet. Se os dados estão públicos e acessíveis, eles podem ser obtidos de alguma forma. E não há problema em admitir que dados foram obtidos assim, porque isso os livra da responsabilidade por uma suposta falha de segurança. Para os usuários, talvez o maior problema esteja nos vínculos entre os perfis, estabelecidos por fotos ou outras informações, violando a expectativa que os usuários têm a respeito da privacidade. Afinal, se o usuário nunca deixou duas informações no mesmo perfil, nem sempre ele imagina que aqueles dados apareceriam juntos. É por isso que é normal se assustar quando ficamos sabendo que nosso e-mail ou número de telefone foi associado ao nosso nome, dados pessoais e perfis. O cruzamento dos dados extraídos permite exatamente esse tipo de violação indireta de privacidade, reunindo e vinculando dados que deveriam estar separados. Para as redes sociais, esse não é um problema delas, porque elas nunca armazenaram esses dados juntos. É apenas uma atividade irregular de um terceiro. Quem utiliza qualquer rede social deve lembrar do "perfil único": não pense em suas redes sociais como perfis separados. Tudo que está na web é público, e alguém sempre poderá juntar seus perfis, desde que seja capaz de criar um robô que faça algumas milhões de consultas. Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para [email protected] Veja dicas para se manter seguro on-line :
Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central se reúne nesta quarta para fixar taxa básica de juros. Atualmente em 3,5% ao ano, mercado vê Selic subindo para 4,25% a 4,5% ao ano. A disparada da inflação deve levar nesta quarta-feira (16) o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central a elevar a taxa básica de juros da economia brasileira pela terceira vez consecutiva. A decisão será anunciada após as 18h. A expectativa da maior parte do mercado financeiro, segundo pesquisa realizada na semana passada pelo BC com mais de cem instituições financeiras, é de um novo aumento de 0,75 ponto percentual — o que levaria a taxa básica dos atuais 3,5% para 4,25% ao ano (veja a evolução da taxa no gráfico abaixo). Entretanto, parte dos analistas dos bancos estima uma alta maior, de um ponto percentual, para 4,5% ao ano. Em ambos os casos, seria o maior nível para a taxa Selic desde o final de 2019 — quando o juro básico estava em igual patamar. Além disso, as previsões dos economistas são de que os aumentos continuarão no decorrer deste ano. A previsão é de que a Selic termine 2021 em 6,5% ao ano, o que representará, se confirmado, uma forte puxada em relação aos 2% ao ano registrados no começo de 2021. Taxa Selic: entenda o que é a taxa básica de juros da economia brasileira Alta da inflação O Copom fixa a taxa básica de juros com base no sistema de metas de inflação, olhando para o futuro pois as decisões demoram de seis a nove meses para terem impacto pleno na economia. Neste ano, a meta central é de 3,75%, mas o IPCA pode ficar entre 2,25% a 5,25% sem que a meta seja formalmente descumprida. Para 2022, a meta central é de 3,5% e será oficialmente cumprida se o índice oscilar de 2% a 5%. Em maio, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) – a inflação oficial do país – ficou em 0,83% segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi o maior resultado para um mês de maio desde 1996 (1,22%). Em 12 meses até maio, a inflação atingiu 8,06%, muito acima do teto da meta do governo para o ano – o centro da meta é de 3,75% em 2021, podendo variar entre 2,25% e 5,25%. A meta, porém, só é atingida, ou superada, ao fim de cada ano. Para 2022, meta no qual o BC já está mirando ao fixar o juro básico, a previsão do mercado financeiro está em 3,78%, ou seja, acima do objetivo centra de 3,5% fixado pelo Conselho Monetário Nacional. Os números mostram que a inflação subiu nos últimos meses por conta do aumento dos preços das "commodities" (produtos com cotação internacional, como alimentos, minério de ferro e petróleo, entre outros), por conta da retomada do crescimento da economia mundial, além dos combustíveis e do dólar (que torna insumos e importados mais caros). Mais recentemente, embora o dólar tenha caído, um novo fator tem pressionado os preços: o aumento da energia elétrica, causado pela crise hídrica. "O maior acionamento das termelétricas, frente à possível crise de abastecimento de energia, e a perspectiva de retomada do comércio e serviços podem pressionar a inflação no segundo semestre", avaliou Gustavo Sung, economista da Suno Research. Consequências De acordo com economistas, o aumento do juro básico da economia, se confirmado, resultará em taxas bancárias mais elevadas, com reflexo mais forte no crédito imobiliário. Nos últimos meses, os juros bancários já começaram a subir. Veja os impactos da alta dos juros na economia A elevação da taxa de juros, também influencia negativamente o consumo da população e os investimentos produtivos, impactando, assim, o emprego e a renda. Na contramão do PIB, renda do brasileiro cai 10% com inflação em alta e desemprego recorde Outra consequência do aumento da Selic são despesas maiores com os juros da dívida pública. Segundo analistas, cada um ponto de alta no juro básico representa gastos do governo de R$ 32 bilhões, se mantidos em 12 meses. Um crescimento de 4,5 pontos na taxa Selic em 2021, prevista pelo mercado, geraria cerca de R$ 145 bilhões a mais nas despesas com juros. Esse valor superaria os R$ 103 bilhões de limite autorizados, até o momento, para o pagamento de despesas emergenciais com a Covid-19 neste ano. Mesmo com a extensão do auxílio emergencial por até três meses, que vem sendo sinalizada pela área econômica, as despesas com juros ainda seriam maiores - se mantidas em 12 meses. Por fim, aplicações financeiras em renda fixa, como a caderneta de poupança, tendem a render um pouco mais. Com o juro básico em 4,25% ao ano mais taxa referencial (TR), por exemplo, a poupança passará a render 2,975% ao ano, contra 2,45% ao ano, mais TR (com taxa Selic em 3,5% ao ano). Essa melhora acontecerá, entre outros, nos investimentos em títulos públicos, vendidos por meio do Tesouro Direto, além de Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCA). Há incidência de imposto de renda sobre as aplicações no Tesouro Direto, mas não nas LCI e LCA.

Pagamento da segunda parcela do benefício terminou em maio para todos os públicos; veja os calendários das próximas parcelas. A Caixa Econômica Federal (Caixa) libera nesta quarta-feira (16) os saques e transferências da segunda parcela do Auxílio Emergencial aos beneficiários que não fazem parte do Bolsa Família nascidos em novembro, que receberam a parcela em poupança social digital no dia 28 de maio. O pagamento da segunda parcela do auxílio para este público terminou em 30 de maio. Para quem faz parte do Bolsa Família, os pagamentos foram até 31 de maio. Os pagamentos da terceira parcela do benefício começam em 17 de junho para o público do Bolsa Família, e em 18 de junho para os demais beneficiários. (veja nos calendários mais abaixo). Terei direito? Quanto vou receber? Veja perguntas e respostas Veja o calendário completo Veja como saber se você vai receber Saiba como contestar se você teve o beneficio negado Beneficiário precisa estar com o CPF regular; saiba como fazer SAIBA TUDO SOBRE O AUXÍLIO EMERGENCIAL Auxílio emergencial 2021: entenda as regras da nova rodada VEJA QUEM PODE SACAR A PARTIR DESTA QUARTA: trabalhadores que não fazem parte do Bolsa Família, nascidos em novembro Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial, pelo site auxilio.caixa.gov.br ou pelo https://consultaauxilio.cidadania.gov.br/ Calendários de pagamento Veja abaixo os calendários de pagamento. BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA Auxílio Emergencial 2021 Bolsa Família Economia G1 BENEFICIÁRIOS FORA DO BOLSA FAMÍLIA Auxílio Emergencial calendário completo 15.06.21 Economia G1 VÍDEOS: as últimas notícias sobre o Auxílio Emergencial n
Saiba o que uma enterrada de Lebron James, um tuíte e um gif de gatinho têm em comum. NFT: 5 pontos sobre a tecnologia que torna um arquivo digital ‘único’ O NFT é uma tecnologia que permite o registro de qualquer tipo de arquivo digital. Seu objetivo é tornar uma imagem, vídeo ou som algo "único" o associando a este código de computador. Isso possibilitou que enterradas de Lebron James na NBA, tuítes e até um gif de gatinho fossem vendidos por milhares ou até milhões de dólares. Neste vídeo, o G1 mostra 5 pontos para explicar o NFT. Golpes no WhatsApp: saiba como se proteger Celular roubado ou perdido? Saiba o que fazer VÍDEO: Primeira obra com certificado NFT da história vai a leilão em Nova York 1. O que significa NFT? A sigla significa, em inglês, non-fungible token. Em tradução para português fica token não fungível. Fungível é algo que pode ser substituído, então esses tokens, que são códigos eletrônicos, são únicos, insubstituíveis. 2. A associação de NFT com arquivos O NFT vira um selo digital que pode ser associado a uma foto, um vídeo ou qualquer tipo de arquivo digital. Quem quiser pode registrar seus arquivos como NFT, basta procurar uma empresa que faz o serviço. Geralmente, existe uma taxa para a criação dos NFTs. 3. De onde vem o NFT? Os arquivos digitais são registrados pelo sistema blockchain. Esta é a mesma tecnologia de criptomoedas, moedas digitais, como o Bitcoin. Ela funciona como um grande livro contábil, que vai registrando transações e registros, sempre com criptografia. as operações são feitas por um montão de computadores espalhados pelo mundo. Toda informação incluída na blockchain não pode, em teoria, ser alterada. 4. Vendas milionárias com NFT As compras de NFT podem ser feitas criptomoedas, mas alguns sites aceitam também cartão de crédito. Mas o que chama atenção é o valor de venda. Um famoso gif do gatinho, o Nyan Cat, foi arrematado por 300 ethereums, o que dá mais de R$ 3,7 milhões na cotação atual. O chefão do twitter, Jack Dorsey, também resolveu vender o seu primeiro tuíte, de 2006. O post atingiu 1.600 ethereums, o que dá mais de R$ 20 milhões de reais. 5. Vantagens do NFT Mas tudo isso torna obra única? Na teoria, sim. Aquele arquivo específico da imagem digital vai ficar conectado com aquele certificado único, garantindo quem é o dono daquilo. No entanto, isso não impede que outras pessoas copiem imagens, do mesmo jeito que você pode imprimir uma Mona Lisa e ter em sua casa. A vantagem é que artistas podem vender seu trabalho na internet com mais facilidade, com esse selo de autenticidade. Essas obras podem se valorizar, o que torna o NFT se um negócio promissor para colecionadores e investidores. Saiba como se proteger de golpes no WhatsApp Golpes no Whatsapp: saiba como se proteger Veja dicas para manter seu smartphone seguro Celular é a nova carteira: veja dicas para manter seu aparelho seguro
Pelo texto, crédito extraordinário é destinado ao Ministério do Desenvolvimento Regional e voltado a ações para pessoas atingidas por desastres naturais. MP segue para o Senado. A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (15) uma medida provisória (MP) que abre crédito extraordinário de R$ 450 milhões para o Ministério do Desenvolvimento Regional financiar ações de proteção e defesa civil voltadas a pessoas atingidas por desastres naturais. A MP está em vigor desde que foi editada pelo governo. Com a aprovação pela Câmara, por 431 votos a 3, o texto agora seguirá para votação no Senado. Veja como votou cada deputado À época da edição da medida provisória, em fevereiro, diferentes regiões do país sofriam com intensas chuvas. Na justificativa apresentada, o governo afirmou que janeiro de 2021 registrou recorde histórico. “A urgência e a relevância deste crédito extraordinário são justificadas pela necessidade de atendimento às populações afetadas pelos diversos desastres naturais, os quais requerem ação de resposta imediata de forma a atenuar a situação dessas populações”, justificou o governo. “A imprevisibilidade é justificada em razão da ocorrência de recorde histórico no número de desastres naturais no início deste ano, principalmente resultantes de chuvas intensas, que ocorreram em número 4,5 vezes maior que a média dos exercícios anteriores”, concluiu. "A matéria socorre a defesa civil, dá recursos importantes a pessoas que tiveram ocorrências e presta socorro, especialmente àquilo que ocorreu no início deste ano em várias localidades, com enchentes e pessoas que ficaram sem condições”, afirmou líder do Cidadania, Alex Manente (SP), durante a votação.
CR7 fez as ações da multinacional, patrocinadora da Eurocopa, caíram 1,6%, chegando ao valor mínimo de US$ 55,22. O jogador Cristiano Ronaldo gerou uma 'perda' de US$ 5 bilhões em valor de mercado, pouco mais de R$ 20 bilhões, à Coca-Cola na segunda-feira (14), em entrevista coletiva da Seleção Portuguesa pela Eurocopa, ao retirar duas garrafas de Coca-Cola mantidas à sua frente para defender o consumo de água. Após empurrar as duas as garrafinhas da Coca-Cola, patrocinadora do torneio europeu, para o lado mesa da coletiva, o CR7 segurou uma garrafa de água e gritou em português: "Água!" Com o gesto, o mercado abriu na segunda-feira (14) com as ações da Coca-Cola custando cerca de US$ 56,10 (o equivalente a R$ 285). Meia hora depois do fim da coletiva de Cristiano Ronaldo, as ações da empresa caíram 1,6%, chegando ao valor mínimo de US$ 55,22 (aproximadamente R$ 280). Initial plugin text Essa não foi a primeira vez que CR7 mostrou não ser adepto de refrigerantes. No passado, ele já comentou sobre como evita oferecer essas bebidas ao filho. "De vez em quando, meu filho bebe Coca-Cola ou Fanta e come batatas fritas e sabe que não gosto disso", disse Ronaldo, ao site espanhol Marca. Em resposta à atitude do jogador, a Coca-Cola na Europa afirmou que "todos têm direito às suas preferências de bebida e têm gostos e necessidades diferentes".
Pelo texto aprovado, dedução não pode ultrapassar 30% do imposto devido ou 50% se empresa atuar nos ramos de saúde ou medicamentos. Proposta segue para o Senado. A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (15) um projeto que prevê a dedução do Imposto de Renda exercício 2021 a empresas que incentivarem pesquisas relacionadas a prevenção, controle, tratamento e mitigação da Covid-19. Com a aprovação, o texto, apresentado pelo deputado Carlos Jordy (PSL-RJ), seguirá para o Senado. A proposta institui o programa Pró Pesquisa Covid-19, que terá validade enquanto durar a pandemia e será financiado com o aumento do PIS, de 1% para 2%, e da Cofins, de 4% para 5%, nos casos de alienação de participações societárias. Segundo o texto, a pessoa jurídica tributada com base no lucro real (receitas menos despesas) poderá deduzir do Imposto de Renda devido o total das doações feitas em espécie. A dedução, no entanto: não pode ultrapassar 30% do imposto devido, mas, se a empresa for das áreas de saúde ou medicamentos, o limite será de 50%; deverá corresponder às doações em espécie efetuadas dentro do período de apuração trimestral ou anual do imposto; não exclui ou reduz outros benefícios e deduções em vigor. >>> Veja no vídeo abaixo que a Universidade de Brasília (UnB) busca doações para dar continuidade a pesquisas sobre a Covid: UnB busca doações para dar continuidade a pesquisas sobre a Covid-19 Outros pontos O texto, relatado pela deputada Soraya Santos (PL-RJ), fixa também um limite de impacto orçamentário de R$ 400 milhões para 2021 e R$ 600 milhões em 2022. O governo deverá informar quando este teto for atingido, segundo o texto. A regulamentação dos recursos depositados para incentivar as pesquisas ficará a cargo do Ministério de Ciência e Tecnologia, que também emitirá um selo de "atuação cidadã" às empresas.